Sugestões 7 dias

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
cidade_globalDesde concertos, a feiras com o sofisticado caráter vintage, passando por atividades para os mais novos, e as habituais exposições, teatro ou críticas musicais. Tudo para sete dias com o melhor da cultura na cidade do Porto. Para continuar a seguir.  

“Cidade Global – Lisboa no Renascimento” no Museu Nacional de Soares dos Reis

Já inaugurou a exposição “Cidade Global – Lisboa no Renascimento” no Museu Nacional de Soares dos Reis (MNSR).
A mostra fechou em abril no Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA). Na inauguração no MNSR, Porto, marcou presença Paula Silva, diretora-geral da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), António FilipePimental, diretor do MNAA, e Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto (CMP).
No discurso de abertura, Maria João Vasconcelos, diretora do MNSR, agradeceu aos técnicos que ajudaram na planificação e construção da exposição, passando a palavra ao diretor do MNAA que afirma que “é uma rua de Lisboa, mas podia ser uma rua do Porto”. Esta exposição, na perspetiva de António Filipe Pimental, mostra uma altura em que Portugal se abriu para o mundo e saiu a “ganhar”, tendo similaridades com o presente.
Com um plano de atividades paralelo intitulado de “As descobertas que os Portugueses trouxeram à Europa”, a exposição no Porto pretende levar os visitantes à descoberta e experimentação do século XVI.
No âmbito do plano de atividades, acontece esta sexta-feira, dia 19 de maio, às 18h30, a conferência “Garcia de Orta e a litoterapia”, por Maria do Sameiro Barroso, médica e escritora.
“Cidade Global – Lisboa no Renascimento” é comissariada por Annemarie Jordan Gschwens e Kate Lowe, e representa o período renascentista em Portugal.
A exposição “Cidade Global – Lisboa no Renascimento” vai estar patente ao público até 27 de agosto.

sao_joao2Festas de São João vão durar um mês
As festas de São João, no Porto, entre 25 de maio e 25 de junho, apostam forte na vertente musical, juntando no palco Rui Veloso e Shirley King, para além das bandas portuenses GNR, Taxi e Clã.
O programa das festas foi  apresentado no Miradouro da Sé, no Porto, pelo administrador da PortoLazer, Nuno Lemos, que deu conta de um conjunto de iniciativas de "uma festa de todos para todos".

As atividades
Para além da construção das cascatas sanjoaninas, do lançamento dos balões de fogo, dos bailes e arraiais, a Câmara do Porto quer com esta iniciativa "homenagear o património imaterial da cidade: as suas gentes".
No âmbito da Cascata Comunitária serão promovidas 30 oficinas - de três horas cada - entre os dias 25 de maio e 17 de junho - que percorrerão todas as freguesias do Porto, procurando-se, com isso, "executar cerca de 250 casas", sendo o resultado revelado a 18 de junho.
Para a construção dos balões serão criadas também três oficinas comunitárias, entre 14 e 16 de junho, no antigo Posto de Turismo da Sé, projeto que será conduzido pelo mestre baloeiro Luciano Britto.
O Elevador da Lada, a partir do dia 25 de maio e até 31 de julho, estará ocupado com uma instalação CX LUX - que junta a luz à componente sonora, inserido no projeto ALUMIA.
Os dias 26 e 27 de maio marcam a estreia do Porto Blues Fest, um concerto de homenagem a BB King e que juntará no palco Rui Veloso e Shirley King, filha do antigo intérprete daquele género musical, BB King.

gnrMúsica "Made in Porto"
E de um conjunto de eventos que abrange ainda os jardins do Palácio de Cristal e Serralves, são os Concertos da Avenida que dominam o cartaz a 22, 23 e 24 de junho, ligados  à música "Made in Porto".
A Banda Sinfónica do Porto, dirigida pelo maestro Francisco Ferreira, atuará na primeira das três datas, enquanto na mais longa noite do ano será a vez dos Trabalhadores do Comércio, TAXI e os GNR & Convidados, que surgirá em palco com Isabel Silvestre a cantar a "Pronúncia do Norte" e depois com Javier Andreu a interpretar "Sangue Oculto".
Na terceira e última noite, será a vez da Marta Ren & The Groovevelvets e os Clã, de Manuela Azevedo, subirem ao palco.
A par disto mantêm-se os palcos para os mais novos na Rotunda da Boavista, Alameda das Fontainhas, Campanhã, Lordelo do Ouro, Largo do Amor de Perdição e na Foz.
Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, destacou tratar-se de uma programação "engraçada, virada para cidade, para as pessoas", sublinhando que "as rusgas vão ser um sucesso".
"Pelo meio vamos ter aqui os festejos do 10 de Junho, com a avenida engalanada e o senhor Presidente da República, de quem as pessoas vão gostar", frisou o autarca.

Wem na Casa da Música este sábado
Ponto de encontro: às 22h30. Wem é já uma das confirmações da música brasileira. O primeiro disco, lançado em 2014, ficou na lista dos “100 melhores discos da música brasileira” e foi selecionado para o Prémio da Música Brasileira. Apresenta agora ao vivo o álbum “Conectar”, resultante da interação entre o artista e o público, que ajudou a escolher o repertório a incluir no disco.
Wem reuniu então um grupo de músicos ‘de peso’ para gravar: Dadi Carvalho, Guilherme Kastrup, Ricardo Prado, Fábio Pinczowski, Lu Lopes, Marina Pittier, Fê Stok, Bruno Buarque e Marcelo Jeneci. A não perder, portanto.
Nota: Não é necessário proceder a levantamento de bilhete.

infusionsINfusions: Performance de guitarra e fotografia

Este sábado, dia 20 de maio, às 21h30, o projeto INfusions apresenta um novo espetáculo, desta vez na associação cultural Porto d'Artes, na Rua Padre António Vieira nº 76, no Porto. O evento terá a duração de uma hora e a entrada são dois euros e meio.
INfusions é da autoria do guitarrista Ricardo Brito e do fotógrafo António F. Maia. Trata-se de um projeto "que apresenta um novo conceito de viagem, numa fusão emocional entre a arte da guitarra e a arte da fotografia. À medida que cada espectador mergulha na contemplação de cada imagem do fotógrafo, a mesma é preenchida pelas composições tocadas pelo guitarrista solista. Neste instrumento, serão tocados temas de compositores como Bach, António Pinho Vargas, Legnani, Isac Albeniz e Leo Brouwer".
Ricardo Brito é licenciado pela Escola Superior de Artes Aplicadas e atualmente frequenta o mestrado de ensino musical na mesma instituição. Estudou também no conservatório musical de Vila Nova de Gaia, onde realizou estudos de análise musical, técnicas de composição, formação musical e coro.
Nos últimos anos apresentou-se como solista em vários locais, desde monumentos, igrejas e salas de espetáculo.  
António F. Maia publicou os livros  "Porto nos is" (fotografias a preto e branco sob a temática da cidade do Porto) e  "Somos" (fotografia a preto e branco em coautoria com poemas de Carla Valente) e já expôs, sempre com uma maior preferência pela fotografia a preto e branco, em locais como CIPA - Centro interpretativo do Património da Afurada e CCP - Casa de Cultura de Paranhos.

sandy_kilpatrickSandy Kilpatrick ao vivo em Ovar este sábado
Este sábado, dia 20 de maio, Sandy Kilpatrick apresenta-se ao vivo na Casa do Povo de Ovar, pelas 22h, para um  concerto de apresentação do seu mais recente álbum "Confessions from The South". Este espetáculo tem também como convidada a poetisa brasileira Maria Rezende que apresenta "Carne do Umbigo", uma sessão  perfomativa de declamação de poemas e videopoemas.
Neste concerto, Sandy Kilpatrick viaja pelo seus últimos trabalhos, e apresenta o seu mais recente single "Burlesque Sky" saído de "Confessions from The South", álbum de homenagem a Portugal editado no passado dia 17 de março num inesquecível concerto no Theatro Circo de Braga.
Esta apresentação na Casa do Povo de Ovar, uma ação com o apoio da AVFM, será um concerto em formato íntimo. Com Sandy Kilpatrick na voz e guitarra acústica, ele é apenas acompanhado por Edgar Ferreira na guitarra elétrica, Pedro André no contrabaixo e José Barroso no trompete.
A convite de Sandy Kilpatrick, ao espetáculo junta-se a poesia e o trabalho de Maria Rezende, caracterizado por muitos como uma literatura otimista. A artista brasileira apresenta "Carne do Umbigo", depois de atuar em Lisboa e no Porto. Um recital multimédia que tem como cenário as fotografias da autoria de Ana Alexandrino, que captou partes do corpo da poeta e que são depois costurados pelos videopoemas que se tornaram a marca dos espetáculos de Maria Rezende.
Este espetáculo é de entrada livre.

silver_apples_catsEletrónica pioneira dos Silver Apples este sábado em concerto no Gnration
Após duas décadas sem lançamentos, “Clinging to a Dream” é o novo disco do influente grupo histórico da música eletrónica da década de 60. Em marc?o de 2015, Danny Talor, o baterista fundador, aos 56 anos de idade, falece de um ataque de corac?a?o. Apesar de sozinho, e quando todos menos esperavam, Simeon “ressuscita” Silver Apples e decide continuar com concertos e performances.
A solo, percorre o mundo e acompanha-se dos sons de bateria de Danny, agora recreados com recurso a? eletro?nica. Em 2016, regressa aos discos com “Clinging to a Dream”, trabalho que servira? de mote para a sua histo?rica passagem por Braga. Concerto este sábado, 20 de maio, no Blackbox. Bilhetes a 7 euros.

O legado
Estávamos em 1967 quando Dan Taylor, na bateria, se juntou a Simeon Cox III, este num sintetizador caseiro que consistia em doze osciladores e um conjunto de filtros sonoros, teclas de telégrafo, pec?as de ra?dio, material de laborato?rio e um variado lixo eletro?nico em segunda ma?o. Taylor e Simeon rapidamente ganhavam uma enorme reputac?a?o em Nova Iorque e lideravam a expressa?o musical alternativa da cidade. O primeiro longa-durac?a?o foi editado em 1968, na KAPP Records. Em 1996, Simeon reativou os Silver Apples. Gravou e apresentou-se ao vivo com diversos amigos mu?sicos e admiradores.
De?cadas depois de uma breve e influente carreira iniciada e parada de forma repentina e ate? misteriosa, os Silver Apples permaneceram como um dos verdadeiros enigmas da mu?sica pop. Uma dupla "surreal", quase sem precedentes, que explorou drones e zumbidos interestelares, ritmos pulsantes e melodias geradas eletronicamente, tudo antes de outros nomes como Suicide e Spacemen 3 adotarem trabalhos semelhantes.

this_is_not_a_marketPorto recebe primeira edição do “This is not a Market”
Este sábado, dia 20, o District Offices and Lifestyle recebe o “This is not a Market”, uma iniciativa que reúne marcas de acessórios de moda, roupa, artesanato e decoração. O evento decorre entre as 10h e as 20h e a entrada é gratuita.
O “This is not a Market”, o primeiro evento do ano aberto à cidade com assinatura do District Offices and Lifestyle, pretende “ser mais do que um mercado tradicional. O objetivo é proporcionar experiências diferenciadoras aos visitantes, através da partilha de histórias do emblemático edifício que recebe o projeto, enquanto as marcas participantes revelam os seus trabalhos de forma personalizada”.
Entre as confirmadas, destaque para Fátima Oliveira Jewlery, Joana de Sá Barbosa e as marcas She e NUUK, a representar a joalharia portuguesa, a Like Me, uma marca de roupa infantil, as marcas MaryG World e The Bright Side, com propostas de looks femininos para a nova estação, ou a Tendinha dos acessórios e a Watermelon, com acessórios coloridos e práticos para todas as idades.
Destaque ainda para a presença da reconhecida insígnia de cosmética Mary Kay, com “demonstração gratuita de cremes e maquilhagem orientada por consultoras de beleza da marca”.
Além destas pop stores, criadas especialmente para o “This is not a Market”, os visitantes podem conhecer as lojas residentes do District, como A Barraquinha (decoração e artesanato), a Life Urban Store (acessórios de moda), a L’Bouvardia (roupa contemporânea para homem e mulher), a Happy House (loja de roupa e decoração para casa) e a Gallery Concept Design Store (roupa e acessórios de moda de autor).
Espaço ainda para uma pausa nas compras para visitar a exposição de fotografia da autoria de Lídia Magalhães ou para “recuperar energias” na estação de comidas e bebidas da loja Maria Palito. A oferta inclui crepes e várias propostas de bebidas a copo.
O District Offices and Lifestyle, inaugurado em fevereiro deste ano, apresenta um “conceito único e diferenciador na cidade que pretende colocar a criatividade ao serviço dos negócios, apostando num formato de comunidade. Com um ambiente informal, o objetivo é promover o convívio de talento criando novas oportunidades e sinergias, quer a trabalho quer a lazer”.

Mafalda Veiga em Arcos de Valdevez
Mafalda Veiga apresenta este sábado, dia 20 de maio, o seu mais recente trabalho, "Praia", ao vivo no Auditório da Casa das Artes em Arcos de Valdevez.
“Praia” é um espetáculo em que (quase) tudo se renova: nova banda, novo alinhamento, novas canções e um novo projeto de  palco, som, luz e vídeo, este com pequenos filmes inéditos realizados pela própria Mafalda.
O disco novo é tocado na íntegra, mas o público pode também contar com as canções mais emblemáticas e incontornáveis da artista, agora com arranjos que se aproximam da sonoridade deste mais recente trabalho.
Os bilhetes já estão à venda na Casa das Artes de Arcos de Valdevez e custam 10€.

feira_velhariasFeira de Velharias e Vintage no Armazém
Todos os terceiros fins de semana de cada mês, muitas preciosidades ao dispor, aliadas a um ambiente de requinte. (Rua de Miragaia nº 93, Porto)

E também no Bonfim!
Feira de Antiguidades e Velharias que se realiza, nos terceiros sábados de cada mês, na Praça do Dr. Francisco Sá Carneiro (antiga Praça Velásquez).

Helen Doron Gaia recebe quinto encontro de leitura de contos em família
O centro de ensino de inglês Helen Doron de Vila Nova de Gaia volta a receber, em parceria com a Biblioteca Municipal de Gaia, uma série de leituras animadas de contos e expressão plástica para crianças e pais.
A iniciativa insere-se no projeto de animação e estímulo para a leitura “Catrapás, Catrapás… Cucu vem atrás”, que inclui a leitura de contos pela contadora de histórias da Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia, Cristina Jardim, bem como um momento de expressão plástica adequado às temáticas abordadas no conto.
O projeto tem como objetivo "estimular o gosto pela leitura nas crianças, através de palavras contadas, rimadas, dançadas ou imaginadas em contos e a promoção de atividades em família".
A atividade destina-se a crianças entre os três e os seis anos de idade e respetivos pais/educadores e inclui histórias que fazem parte do Plano Nacional de Leitura - Ler +.
O momento tem-se repetido uma vez por mês desde janeiro, aos sábados de tarde, terminando em julho. O próximo será este sábado, 20 de maio, às 15h. A história escolhida será a Carochinha.
A atividade é de inscrição prévia obrigatória e faz parte de um conjunto de iniciativas Helen Doron Gaia para a promoção de momentos pedagógicos pais/filhos.

Sábados a Contar na Biblioteca Almeida Garrett
Hora do conto para toda a família seguida de uma atividade de expressão plástica, escrita ou dramática.
Destinatários: Crianças a partir dos 3 anos

blogger_foodBloggers & Food Lovers no Shopping Cidade do Porto
Uma alimentação saudável tem impacto positivo na nossa saúde física e mental, sendo a base fundamental para que viva mais e melhor. É neste contexto que o Shopping Cidade do Porto (Praça Central, piso -1) recebe o evento “Bloggers & Food Lovers”, dividido em quatro sessões de ‘showcooking’, com quatro convidadas especiais.
O próximo é já este sábado, 20 de maio, pelas 16h, com Catarina Beato e a sua demonstração de “Papas de Aveia e Alimentação Saudável”.
Para encerrar da melhor forma, dia 27 de maio é a vez de Isabel Zibaia Rafael exibir as suas possibilidades de “Tapas e Petiscos” que são sempre uma tentação com muita procura.
A iniciativa é aberta ao público em geral.

Mercado Urbano “Família Desce à Rua!”
Um mercado repleto de artesãos com muito bom gosto, acima de tudo.
Produtos para todas as idades e gostos (bijuteria, sabonetes, brinquedos de madeira, doces e compotas, têxtil, pinturas, arte floral,…)
No primeiro fim de semana (sábado e domingo) e no terceiro domingo de cada mês, a Rua das Galerias de Paris recebe uma feira de artesanato urbano. Imperdível.
Como decorre ao ar livre, o evento está sempre dependente de condições climáticas favoráveis.

Concerto ao vivo de Neno no GuimarãeShopping
Este sábado, dia 20 de maio, às 21h, na Praça da Restauração, Neno, ex jogador de futebol do Vitória de Guimarães e Benfica, regressa aos palcos, com um concerto ao vivo, que promete animar a noite de todos os visitantes do centro comercial.
“Viver Guimarães” é um projeto do GuimarãeShopping que pretende proporcionar a todas as famílias vimaranenses diversas atividades de arte, música, cultura, animação e entretenimento, estimulando a proximidade e os elos de ligação afetiva entre o Centro e a comunidade, homenageando a cultura da cidade.

dominguinhos2Dominguinhos: O mistério da lagarta comilona
Era uma vez uma lagarta muito gulosa que andava a comer todas as folhas da floresta. Os amigos – a Formiga, o Louva-a-Deus, o Camaleão e o Caracol – decidiram ir ter com ela para tirar satisfações, mas entretanto chegara a primavera e nada de a encontrar. Para onde foi?
O teatro de fantoches chega aos “Dominguinhos” no dia 21 de maio com uma bonita história sobre a transformação presente no fenómeno natural da metamorfose das borboletas.
Os “Dominguinhos” são compostos por diferentes temáticas mensais e surgem da parceria com a Catavento, empresa da incubadora de indústrias criativas da Fundação de Serralves, que se dedica a projetos educativos. Aos domingos, entre as 11h e as 12h, no corredor de Moda Infantil do Mar Shopping Matosinhos, piso 0, acontece um leque de atividades gratuitas de lazer, numa simbiose perfeita de momentos alegres e educativos.

pessimoExposições
O expressionismo de Alberto Péssimo na Galeria Municipal de Matosinhos

Depois de grandes nomes como os de Julião Sarmento, José Emídio, Jorge Pinheiro, Carlos Marques ou Fernando Lanhas, o senhor da arte contemporânea portuguesa que se segue na Galeria Municipal de Matosinhos é Alberto Péssimo. A exposição "Fogo no Paiol" será inaugurada este sábado, 20 de maio, pelas 17h.
"Fogo no Paiol" integra um conjunto de três mostras dedicadas à obra de Péssimo que estarão patentes em simultâneo no Grande Porto: "Sonhar a Bíblia", já aberta ao público, no Museu da Misericórdia do Porto, e "Lavoura", que abrirá portas a 4 de junho, na Fundação Júlio Resende.
Na Galeria Municipal de Matosinhos, as 21 obras a óleo sobre madeira que compõem "Fogo no Paiol" revelam a faceta mais expressionista de Alberto Péssimo. Os retratos expostos resultam, “da sobreposição de largas pinceladas em tons fortes, ora luminosos ora obscuros, provocando a inquietação de quem olha para uma galeria de personagens tolhidas pela doença, pela velhice, pela solidão, pelas fragilidades e pela alienação”.
"Um pesadelo de mulher que sorri com seus olhos redondos como seios", viu a poetisa Regina Guimarães. A exposição estará patente até 17 de junho.
"Ao retratar estes loucos e loucas, Péssimo simultaneamente expõe a dor e a fragilidade dos seus retratados - coisa que deles faz um reflexo pouco deformado de nós mesmos - e oculta os labirínticos corredores e muralhas que os enclausuram e separam de nós", escreveu Saguenail, o realizador e escritor francês que, em conjunto com Regina Guimarães, produziu os textos que acompanham o catálogo único concebido para as três exposições, intitulado "Ossos do Ofício". "Elas interrogam-nos. Chamam-nos, fraternalmente, ou até amorosamente. E acordam emoções inomináveis que dormitavam enterradas no fundo das nossas cabeças", acrescenta Saguenail.
De recordar que Alberto Péssimo nasceu em Moçambique em 1953 e veio para Portugal aos 8 anos de idade. Formou-se na Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto e foi professor da Escola Artística da Cooperativa Árvore, tendo concebido diversos cenários para peças de teatro e a cenografia de programas televisivos como "A Árvore dos Patafurdios" e "Os Amigos de Gaspar".
Expõe regularmente desde 1977, afirmando-se como um dos “mais significativos artistas portugueses da geração que atingiu a maturidade durante o período final da Guerra Colonial”. A sua obra foi também objeto de um documentário da autoria de Miguel Lopes Rodrigues e exibido no Canal 180.

afasia_tatica"Afasia Tática" em exposição na Culturgest Porto
O projeto “Afasia Tática”, concebido por Jonathan Uliel Saldanha está patente no espaço da Culturgest Porto, no Edifício Caixa Geral de Depósitos, na Avenida dos Aliados, nº 104, até 2 de julho. A entrada é gratuita e o projeto poder ser visitado de segunda a sábado, das 12h30 às 18h30. Encerra aos domingos e feriados.
O projeto, com curadoria de Delfim Sardo, parte de um filme, ainda em processo de finalização, que é decomposto em quatro ecrãs.
O libreto fundamental presente neste filme foi desenhado para a peça "Sancta Víscera Tua", apresentada em duas igrejas em Portugal por altura da Quaresma, a convite do pároco da Sé do Porto, isto com a finalidade de construir uma "cerimónia participativa e aberta a todos".
De referir que durante o período da exposição, Jonathan Saldanha apresentará uma performance com um coro de 50 elementos, transformando o espaço cinemático num dispositivo cénico, que abrange as componentes de som, música e filme.

porto_patrimonioO Património Mundial visto pelas crianças
"O meu PORTO é Património Mundial" é o nome da exposição que reúne trabalhos de alunos das escolas da cidade.
A exposição foi composta a partir do projeto com o mesmo nome e desenvolvido pela Câmara do Porto junto da comunidade escolar, ao longo do ano letivo 2016/2017.
A iniciativa tem como objetivo principal realçar a importância da classificação atribuída pela UNESCO ao Centro Histórico do Porto enquanto bem único e insubstituível. Neste contexto, foram desenvolvidas atividades dentro e fora da escola para promover a consciência sobre a responsabilidade individual e coletiva na preservação do património da cidade, bem como para criar hábitos de participação e fruição de experiências criativas.
O ano letivo 2016/2017 foi o quinto consecutivo do projeto "O meu PORTO é Património Mundial" e envolveu 783 alunos e 21 professores de 16 escolas.           
Já reconhecido pela UNESCO como uma boa prática no âmbito das dinâmicas educativas e formativas, o projeto é promovido pela Câmara do Porto e a Porto Vivo - Sociedade de Reabilitação Urbana.          
A exposição ficará patente até 2 de junho no Museu do Vinho do Porto (Rua de Monchique, 98), de terça-feira a sábado entre as 10h e as 17h30 e ao domingo entre 10h e as 12h30 e entre as 14h e as 17h30.

a_nossa_terraGalardões “A Nossa Terra” em exposição no Nova Arcada
O Nova Arcada, em colaboração com a Organização dos Galardões “A Nossa Terra”, apresenta até dia 22 de maio, no Piso 1, uma mostra fotográfica do evento pelos reconhecidos fotógrafos bracarenses Manuel Correia e Alberto Queirós, no ano em que este cumpre a XX Edição.
Nesta exposição está o registo de “momentos únicos”, a certeza de rostos alegres e orgulhosos, as recordações de noites mágicas e inesquecíveis, pese nela não caber a totalidade dos galardoados, nem as dezenas de atuações que abrilhantaram os diferentes saraus ao longo destas duas décadas.
Os Galardões “A Nossa Terra” têm como principal objetivo, desde a primeira hora, o reconhecimento público ao mérito de cidadãos e entidades que se destacam em ações de relevo em prol da comunidade, nos seus diversos sectores de atuação, contribuindo, desse modo, para uma maior dignificação e prestígio do bom nome de Braga.
A XX Gala de Atribuição dos Galardões "A Nossa Terra", vai acontecer no próximo dia 6 de junho, no emblemático Theatro Circo de Braga, numa organização da empresa bracarense Direnor – Comunicação e Divulgação Regional e cuja preparação decorre de alguns meses a esta parte, tendo-se iniciado com a constituição de uma Comissão de Honra composta por mais de 20 entidades, entre as quais, a Presidência da República, o Ministério da Cultura, a Arquidiocese de Braga, o Município de Braga, entre muitas outras e o convite de várias centenas de individualidades e entidades, que em representação das mais variadas áreas e sensibilidades políticas, religiosas, culturais, sociais, turísticas, recreativas e artísticas, integram o júri desta iniciativa.

alumiaViaCatarina Shopping recebe a exposição Alumia, “A Exaltação da Luz”
O ViaCatarina Shopping recebe, até 18 de junho, a exposição Alumia, “A Exaltação da Luz”, uma exposição fotográfica pelos alunos do Instituto Multimédia, que transmite uma iluminação especial sobre o património da cidade do Porto.
Com um objetivo de celebrar os 20 anos da classificação da UNESCO, Porto Património Cultural da Humanidade, os alunos do Instituto Multimédia fotografaram a história da cidade, num registo da Cordoaria à Sé Catedral, com uma iluminação particular sobre o património da cidade do Porto.
Além do Safaria Fotográfico Juvenil, que também esteve patente no ViaCatarina Shopping em 2015, este é mais um registo que mostra como há razões para a classificação do Porto como melhor destino turístico europeu.
Nesta exposição, exalta-se a luz e celebra-se o património, com fotografias da autoria de Catarina Azevedo, Daniel Teixeira, Daniela Mota, Inês Tunga, Joana Vieira, Luís Monteiro, Luzia Santos, Mariana Rodrigues.
A exposição está patente no ViaCatarina Shopping até 18 de  junho, no Piso 3, das 9h às 22h.

Enquanto em Santo Tirso…
No âmbito das Comemorações do 1º aniversário do Museu Internacional de Escultura Contemporânea, que decorrem até 21 de maio, a Câmara Municipal de Santo Tirso convida todos a marcar presença nos vários momentos das comemorações, nomeadamente, no concerto comemorativo, com Teresa Salgueiro – Digressão Mundial, no dia 21, domingo, no Largo Abade Pedrosa, pelas 21h30.

serralvesNoite Europeia dos Museus em Serralves este sábado
A Noite Europeia dos Museus, criada pelo ICOM - Conselho Internacional de Museus, pretende celebrar e dar voz aos museus e ao papel que desempenham na sociedade atual, através da escolha de um tema de reflexão a nível mundial que permita uma discussão alargada e sobre distintos pontos de vista.
Este ano o tema é "Museus e Histórias Controversas: Dizer o Indizível nos Museus". Neste âmbito, a Fundação de Serralves apresenta um programa de debate e cinema em parceria com o Instituto de Filosofia - Aesthetics, Politics and Knowledge da FLUP e do i2ADS [Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade] da FBAUP.

17h30-19h30 | Debate "Pensamento e Catástrofe"
Com Frédéric Neyrat (University of Wisconsin, EUA), Howard Caygill (Kingston University, Reino Unido), Pedro de Llano (Universidade de Santiago de Compostela, Espanha), Fernanda Bernardo (Universidade de Coimbra, Portugal) e Jorge Leandro Rosa (Instituto de Filosofia da Universidade do Porto) - programa em parceria com o Instituto de Filosofia - Aesthetics, Politics and Knowledge da FLUP e do i2ADS [Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade] da FBAUP.
Acesso: gratuito
Lotação: 250 pessoas
Destinatários: Adultos

21h30-23h | Sessão de cinema "Trouble Every Day"
Shane e June são um perfeito casal americano em lua de mel, em Paris. Secretamente, Shane, que é atormentado pelo seu apetite sexual, começa a frequentar uma clínica médica que trata da líbido humana, deixando-se levar por perigosos impulsos sexuais.
Acesso: gratuito
Lotação: 250 pessoas

luiz_caracolLuiz Caracol na Casa da Música
Três anos depois de “Devagar”, o seu disco de estreia a solo, “Metade e Meia” é o novíssimo álbum do cantautor português Luiz Caracol e o culminar de uma maturada viagem  sonora, lírica  e  musical  que  se  deve  ao  seu  percurso  a  solo  mas  nunca solitário.  
Fez  centenas  de  concertos  com  Sara  Tavares  como  artista  convidado,  e colaborou também  com  nomes  como  Jorge  Palma,  Zeca  Baleiro,  Manecas Costa, Fernanda Abreu, Uxía ou Tito Paris. A 25 de maio na Casa da Música.
Nascido em Portugal, mas gerado em Angola, Luiz Caracol sempre assumiu na sua música e nas suas letras um fortíssimo lado mestiço, em que a obra dos grandes cantautores portugueses (Sérgio Godinho, Fausto, Zeca...) encontra ecos em grandes nomes  da canção brasileira  (Caetano Veloso, Gilberto Gil, Lenine...), cabo-verdiana, angolana, moçambicana ou da Guiné-Bissau, assim como no funk, no rock ou no reggae.
“Metade e Meia” reflete não só esta mestiçagem de Luiz Caracol e da sua música, como toda a mistura de influências que em si se encontram.
Neste segundo trabalho continuam a poder encontrar-se muitos destes elementos que o caracterizam e caracterizam a sua maneira de fazer música, em que as texturas e as sonoridades de uma Lisboa marítima, portuária e mulata se misturam com as palavras e as histórias de Luiz Caracol, assim como as de outros parceiros autorais como Zeca Baleiro, José Luís Peixoto, Fred Martins, Fernando Terra, Edu Mundo, Paulo Flores ou Biru  (A.F. Diaphra).
Em estúdio, para a gravação do disco, estiveram com ele alguns novos cantores e autores luso-africanos que falam português e crioulo - Aline Frazão, Remna Schwarz (filho do lendário compositor guineense José Carlos Schwarz), Biru e o escritor José Luís Peixoto, que não canta mas dá voz a parte do seu poema “Tempo”, a faixa escondida do  álbum). E músicos de enorme qualidade que, ao lado de Luiz Caracol (voz, guitarras, cavaquinhos, percussões, baixo, bandolim, kalimba, guitalele, glockenspiel, synth pad...) refletem também uma diversidade de géneros assinalável: Ivo Costa  (bateria), Miroca Paris (percussões), ou Carlos Lopes (acordeão).
Uma combinação irresistível a não perder na Casa da Música.

escrita_ficcao_workshopWorkshop Escrita de Ficção com Alexandre Lobão

Trata-se da primeira edição deste workshop em Portugal, após 11 edições no Brasil que deram origem ao livro “A Bíblia do Escritor”, e que apresenta técnicas profissionais utilizadas por autores de best-sellers internacionais para produção de romances, desde a validação da ideia inicial, até as etapas finais de revisão, como encontrar a editora ideal para seu livro e como realizar as (obrigatórias) ações de divulgação da obra após publicada, nos mundos físico e virtual.
Público alvo: escritores e roteiristas
Data: 20 de maio, de 10h às 13h e das 14h30 às 20h
Local: Espaço Cultural A Cadeira de Van Gogh, no Porto
Conteúdo: técnicas profissionais produção de um livro ou guião de ficção, incluindo a definição de uma premissa estruturada, a criação de cenas, organização da trama, definição de personagens e outros.
Inscrições: http://inv.pt/inscricao

cabeca_dragaoTeatro: Um clássico do teatro espanhol para ver em Matosinhos
O teatro está de regresso a Matosinhos e ao Constantino Nery. Este sábado, 20 de maio, chega da Galiza um clássico do teatro espanhol, "A Cabeça do Dragão", de Ramón María del Valle-Inclán, com encenação de outro nome icónico do teatro galego, Quico Cadaval.
"A Cabeça do Dragão" conta "a história do príncipe Verdemar e do seu recontro com o animal mítico, aproveitado por um bandido da floresta para reclamar a mão da habitual princesa".
Astuciosamente manipulado pelo autor, o consabido conto ganha uma dimensão que se cruza com elementos atuais, a crítica social, as brincadeiras políticas e os anacronismos, afastando-se da tradição e do público mais infantil.  
Na versão de Quico Cadaval, que também participa como ator, "A Cabeça do Dragão" move-se, aliás, entre a magnética influência do Japão e a tradição burlesca da farsa europeia, com influências do cinema, da BD e das estéticas da pop oriental.
Esta primeira versão do clássico na língua galega (Valle-Inclán não permitiu representações neste idioma, mas a sua obra passou em 2017 a ser de domínio público, tornando possível a respetiva adaptação) conta com espaço cénico e iluminação da autoria de Baltasar Patiño, uma referência incontornável do teatro espanhol. Em palco, para além de Cadaval, estarão mais sete atores e atrizes: Ana Sanmartin, Víctor Mosqueira, Iván Marcos, Patricia Vázquez, Josito Porto, Yelena Molina e Marcos Orsi.
"A Cabeça do Dragão" teve estreia absoluta na Galiza no mês de março, no Teatro Principal de Santiago de Compostela, estando a efetuar desde então uma digressão por várias cidades galegas.

subterraneo_bolhao"Subterrâneo" no Palácio do Bolhão
"Subterrâneo" estará em cena esta sexta e sábado às 21h30 e no domingo, 21 maio, às 16h, no Salão Nobre do Palácio do Bolhão, no Porto.
Vinte anos depois de uma experiência marcante no seu percurso, Nuno Cardoso volta como ator a “Subterrâneo”, partindo do texto homónimo de Dostoiévski, que definiu o mundo que criou nessas paginas como “estranho, áspero e louco”.
Desta vez com encenação de Luís Araújo e com uma nova dramaturgia, "Subterrâneo" é a voz de um homem acossado que se entrega a um monólogo pleno de desencontros e contradições.
A peça parte de “Cadernos do Subterrâneo”, ponto de viragem na obra de Dostoiévski, que "antecederia e marcaria as suas principais obras, despertando de forma implacável uma nova consciência sobre o lugar do homem na sociedade e avançando para territórios não explorados da literatura, o que levaria George Steiner a considerá-lo, em termos formais, o mais decisivo texto para a modernidade literária".
"Subterrâneo" é um monólogo que constantemente se reinventa como falso diálogo com interlocutores imaginários, fingindo respostas que de imediato desmonta, num jogo de espelhos onde fuga e confronto se equivalem, aqui exposto na solidão do palco.

camaneCamané no Teatro Municipal de Vila do Conde
No ano em que se assinalam 20 anos sobre a edição de "Uma Noite de Fados", Camané regressa com um disco novo. "Infinito Presente" é o título do aguardado novo registo de Camané e o seu primeiro disco em cinco anos. Novos temas que marcarão certamente presença no teatro Municipal de Vila do Conde, a 26 de maio (sala 1), ás 21h30.
Dos temas que compõem "Infinito Presente", destaque para duas composições de José Júlio Paiva, bisavô de Camané (Conta e Tempo e Aqui Está-se Sossegado [fado espanhol]), um inédito de Alain Oulman (A Correr), um tema de Vitorino Salomé (Medalha da Senhora das Dores) e a presença dos cúmplices habituais Manuela de Freitas e José Mário Branco. O título-tema do disco, “Infinito Presente”, é um poema de David Mourão-Ferreira (cujo título original é Corpo Iluminado, XII), poeta de referência na obra de Camané.
A par de discos anteriores, "Infinito Presente" conta com produção, arranjos e direção musical de José Mário Branco que coassina com Manuela de Freitas a supervisão artística. O instrumental ficou a cargo de José Manuel Neto (guitarra portuguesa), Carlos Manuel Proença (viola) e Carlos Bica (contrabaixo).
Com produção executiva de Alfredo Almeida (Becas) e Design de som de António Pinheiro da Silva, o novo disco foi gravado nos estúdios Valentim de Carvalho por Nelson Carvalho, João Pedreira, Pedro Gerardo, Marco Cipriano, Suse Ribeiro e António Pinheiro da Silva.

tertulias_leonardinasSegunda edição das Tertúlias Leonardinas

A Out of the Wall apresenta no próximo dia 26 de maio, pelas 19h, na Alfândega do Porto, a segunda edição das Tertúlias Leonardinas, enquadradas na programação da exposição  "Leonardo da Vinci - As invenções do Génio".
Arquitetura, Arte e Liderança é a tríade temática que será debatida por um painel de excelência: Eduardo Souto de Moura, Joe Berardo, Carlos Gomes da Silva, Rosário Gambôa e Manuel Casimiro.
“Desta vez convidamos Fátima Campos Ferreira, a jornalista e apresentadora do programa da RTP, Prós e Contras, para moderar o debate”, avança a organização.
A entrada é gratuita, mediante inscrição prévia através do email Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar .

livrosLivros: Prevenir e tratar a doença do século com "Diga Não ao Cancro"
A Albatroz publicou “Diga Não ao Cancro”, um livro essencial para conhecer melhor esta doença, as suas causas e, sobretudo, novas formas de a prevenir e tratar.
Após perder vários familiares para diferentes formas de cancro, o autor decidiu empreender um périplo pelo mundo em busca de novas soluções para o problema. Resultado desta viagem, o livro reúne as respostas de mais de 130 especialistas no combate a esta doença. Fruto daquilo que Ty M. Bollinger assume como missão de vida – partilhar informação e dar a conhecer novas possibilidade e opções de cura, permitindo opções mais conscientes – “Diga Não ao Cancro” explica como uma dieta saudável, a desintoxicação do organismo, o equilíbrio emocional e espiritual e as terapias naturais podem ser o caminho certo e um aliado poderoso para combater esta doença.

“William Wenton e o Puzzle Impossível”, de Bobbie Peers, é o primeiro volume de uma nova coleção juvenil protagonizada por um jovem dotado de uma inteligência fora do comum e capaz de quebrar qualquer código. O livro chega às livrarias portuguesas a 25 de maio pela Porto Editora, acompanhando o lançamento mundial nos 36 países que já compraram os direitos de tradução.
Este primeiro livro é também a estreia literária de Bobbie Peers, importante realizador e argumentista norueguês, que aqui apresenta um universo original onde convivem humanos e robots, numa aventura entusiasmante já premiada na Noruega em três anos consecutivos.

posta_barrosaAbrindo apetites:
Até 21 de maio, o Município de Ponte da Barca promove o fim de semana gastronómico em que a Posta Barrosã é rainha.
Depois do sucesso do Cozido à Portuguesa, da Lampreia e do Cabrito à Serra Amarela, o Município de Ponte da Barca promove uma edição alargada dos Domingos Gastronómicos com um fim de semana inteiro dedicado à Posta Barrosã.
O maior fim de semana gastronómico desta iniciativa conta com a parceria de 14 restaurantes de Ponte da Barca. São eles a Adega do Artur, a Barca Velha, a Churrasqueira Barquense, o In Tapas Veritas, o Jaime Gomes, o Lindo Verde, o Churrasco, o Emigrante, o Moinho, o Kibom, o Retiro, o Santana, o S. Martinho e o restaurante do Hotel & Spa Tempus.
A Carne Barrosã, como denominação de origem protegida, tem o cunho dos prados verdes do Norte, dos lameiros e pastos naturais, marcada pelo milho e azevém semeados pelos produtores.
Esta raça nobre produz uma "carne de excelência", deveras tenra, extremamente suculenta e muito saborosa. Por este motivo, no século XIX, muitas embarcações exportavam milhares de animais diretamente para a Corte Inglesa. Ainda hoje é vulgar encontrar-se a designação de portuguese beef em restaurantes londrinos, tendo na Carne Barrosã a sua origem.
Os Domingos Gastronómicos regressam a Ponte da Barca em outubro com o Naco à Terras da Nóbrega e novembro com o Sarrabulho.

iggy_popCrítica: O Hino à Vida sem limites em “Lust for Life” (1977) - Iggy Pop
1977. A folia e a eletricidade não abandonavam Iggy Pop, algo muito patente em “Lust for Life”, provavelmente a faixa mais emblemática do álbum.
Este registo relaciona-se com uma temática muito específica: o mundo das drogas, do qual Iggy não conseguiu escapar na sua juventude.
Não foi ao acaso que a faixa “Lust for Life” foi aplicada aos dois filmes de Trainspotting, um dos mais poderosos símbolos da cultura pop dos séculos XX e XXI. “Choose Life” é apenas o mote.
Mas para a redação, o mais belo tema deste álbum é “Tonight”. Refere-se a alucinações, uma espécie de ”Lucy in the sky with diamonds” (Beatles), mas selvagem. O coro de David Bowie (seu grande amigo e parceiro) é sublime. Uma declaração de amor alucinada. “I´ll see you in the sky tonight”.
Outra das faixas que se tornou um hino é “Passenger”. “And I Ride, and I Ride”. Lá está a liberdade invencível da iguana. Por isso a adoramos.
Quanto aos restantes temas, destaque para “Success”, que demonstra um certo desconforto em lidar com (isso mesmo)… o sucesso. “Here comes the zoo”. Palavras de Iggy.
As gravações do disco foram feitas no Hansa Studio by the Wall em Berlim e contaram com as participações de Ricky Gardiner e Carlos Alomar na guitarra, Hunt Sales na bateria e Tony Sales no baixo. David Bowie, além de produzir, também fez backing vocals e tocou teclado. A fotografia da capa foi tirada por Andy Kent, que também tirou a foto da capa de “The Idiot”.
“Lust for Life” alcançou o posto 28 no top de discos no Reino Unido.  

Vídeo da Semana com Roxy Music (“Kiss and Tell”)
Sempre rodeado e repleto de charme, mulheres perfeitas e músicas generosas. É assim o mundo de Bryan Ferry, com quem aprendemos a dar a mão romanticamente em “Avalon”, suplicar em “Take a chance with me”, a amar em “Jealous guy” e a idolatrar ainda mais na sua fase a solo. Irresistível e viciante. Assim podemos definir o vídeo e a música em “Kiss and Tell”. (https://youtu.be/dA2rI6HGb6E)

Vamos limpar o pó? Com Roxy Music (“Oh yeah”)
E continuamos à boleia de Bryan Ferry. Aqui com os seus queridos e inolvidáveis Roxy Music. É, segundo a redação da VIVA!, um dos temas mais belos e melódicos desta banda que também acolheu Brian Eno. Para recordar com muita saudade, por favor.

genesisPosto Emissor: Entre a recordação e a surpresa com Genesis
São uma grande banda seja com Peter Gabriel, seja com Phill Collins, embora seja unânime que cada vocalista dá o seu carimbo único.
Gabriel é mais desconcertante, capaz das melodias mais complexas e encantadoras. E isso viu-se muito no seu percurso a solo. Sledgehammer, ou Big Time. Palavras para quê?
Collins, por outro lado é mais simples na melodia. Mas com qualidade também, atenção. Não nos esqueçamos que é um grande baterista capaz de ir às melodias mais dançáveis (Invisble Touch) e às criticas sociais (Jesus he Knows me).

Jesus he knows me
Misunderstanding
I can´t dance
Land of confusion
Invisible Touch
A Trick of the Tail
Abacab
Faixa publicitária
Faixa publicitária