Faixa publicitária

O Amor Falou Mais Alto | A Pequena Sereia, Teatro Sá da Bandeira

teatro_sa_band4O Amor Falou Mais Alto

21 a 23 setembro, sexta e sábado 21h31 | domingo 16h, Teatro Sá da Bandeira

"O Amor Falou Mais Alto", de Lázaro Matheus, é uma comédia muito divertida que nos conta a história de quatro personagens e os seus encontros e desencontros amorosos. Um jantar, que inicialmente era só para dois, acaba por se transformar numa noite de grandes confusões.

Autoria Lázaro Matheus | direção Celso Cleto | elenco Vítor de Sousa, Cláudia Negrão, Augusto Portela e Paula Marcelo | som e luz Tiago Pedro

teatro_sa_band3A Pequena Sereia

23 setembro, 7, 14 e 21 outubro, 11h30, Teatro Sá da Bandeira

"Muito longe da terra, onde o mar é muito azul, vivia o povo do mar. O rei desse povo tinha seis filhas, todas muito bonitas, e donas das vozes mais belas de todo o mar.

A filha mais nova era especial, com sua pele fina e delicada como uma pétala de rosa e os olhos azuis como o mar. Como as irmãs, não tinha pés mas sim uma cauda de peixe. Ela era uma sereia.”

A partir do conto original de Hans Christian Andersen, Francisco Santos e a sua equipa apresentam  “A Pequena Sereia”, um musical cheio de cor e fantasia. Ao longo de uma hora, o Teatro Sá da Bandeira irá transformar-se num imenso oceano onde iremos acompanhar as aventuras e descobertas da filha irrequieta do Rei Tritão sempre acompanhada pelos seus fieis amigos. Não irá faltar a terrível Bruxa do Mar e os seus lacaios que tudo farão para complicar a vida, mas no final tudo acabará bem.

Texto, encenação e direção artística Francisco Santos | direção de atores Filipa Guedes | cenografia e figurinos Andrea Graf

teatro_sa_band5Stand Up Together - Festival Internacional de Comédia

3 e 4 outubro, 22h, Teatro Sá da Bandeira

Nos dias 3 e 4 de outubro, no Teatro Sá da Bandeira, alguns dos maiores nomes da comédia nacional juntam-se a destacados comediantes internacionais, para formar um pelotão de seis nacionalidades, pronto a bombardear a prevista enchente de fãs de comédia.

O festival assume duas línguas oficiais: Português e Inglês. Cada noite será dedicada a uma dessas línguas. O modelo de atuações da noite segue a tradicional forma anglo-saxónica, com cinco comediantes, intercalados pelas intervenções do Mestre de Cerimónias (MC).

A primeira noite, falada em língua portuguesa, terá como anfitrião Rui Xará, o mentor do festival. A experiência de dezanove anos de carreira servirá para deixar o público a ferver, antes de receber os cabeças de cartaz: os brasileiros Rafinha Bastos e Victor Sarro, assim como o português Aldo Lima. As primeiras atuações da noite são da responsabilidade do ícone português Miguel Sete Estacas e do respeitado cómico brasileiro Osvaldo Barros.

A segunda noite do festival, falada em inglês, conta com uma diversidade cultural impressionante. O general Jel é o responsável pela ordenação dos grandes coronéis da noite: o americano Tom Rhodes e o inglês Barry Ferns. Às duas lendas da comédia internacional juntam-se os portugueses André de Freitas e Catarina Matos. A noite compõe-se com a presença do irano-galês Darius Tabai.

O festival internacional de comédia Stand Up Together! promete uma celebração da comédia como fenómeno artístico relevante e de grande popularidade, proporcionando ao público uma experiência cultural única e inovadora no panorama português.

teatro_sa_bandMais respeito que sou tua mãe!

11 a 28 outubro, quinta a sábado 21h30 | domingo 16h30, Teatro Sá da Bandeira

A mãe de família e dona de casa mais desesperada da Baixa da Banheira e de Portugal está de volta nesta nova versão de “Mais respeito que sou tua mãe!”. Esmeralda Bartolomeu continua a sua luta pela sobrevivência no caos de um seio familiar onde tem de lidar com um marido desempregado que só tem apego a futebol; um sogro de 80 anos tão ou mais adicto à marijuana que o seu filho mais novo; uma filha adolescente com um comportamento sexual mais desenvolvido (e desenvolto) que o seu; e um filho mais velho que é gay, e depois deixa de ser… e depois volta a ser… e depois deixa de ser outra vez!

Joaquim Monchique veste a pele de Esmeralda Bartolomeu e assina, também, a encenação e adaptação do espetáculo.

Texto Hernán Casciari | encenação e adaptação Joaquim Monchique | cenografia Joaquim Monchique e Rui Filipe Lopes | desenho de luz Luís Duarte | com Joaquim Monchique, Luís Mascarenhas, Joel Branco, Tiago aldeia, Rita Tristão da Silva, Rui Andrade, Diogo Mesquita, Bruna Andrade e Leonor Biscaia

teatro_sa_band6The Umbilical Brothers

24 outubro, 21h30, Teatro Sá da Bandeira

Pela primeira vez em Portugal, a dupla Shane Dundas e David Collins apresenta “Live”, um espetáculo que o The New York Times descreve como “comédia sublime” e que o britânico The Observer aponta como sendo “assombrosamente habilidoso, físico, gritante e divertido”. Conhecidos como The Umbilical Brothers, esta dupla transformou-se num verdadeiro fenómeno da comédia internacional, combinando habilidades vocais e físicas incríveis, nas áreas do teatro e do stand up. Com eles, as regras são para ser quebradas, tornando cada espetáculo mais vibrante a cada nova improvisação.

teatro_sa_band7O Deus da Carnificina

1 a 18 novembro, quinta a sábado 21h30 | domingo 17h, Teatro Sá da Bandeira

Dois casais, adultos e aparentemente civilizados, encontram-se para resolver um incidente protagonizado pelos seus filhos menores. O que é verdadeiramente sedutor neste confronto é a progressão paradoxal do encontro dos casais. Há uma certa sofisticação na forma como o encontro decorre na tentativa de apurar responsabilidades na luta física que ocorreu entre os respetivos filhos, dois jovens de 11 anos.

O que acontece na realidade é a queda progressiva das máscaras a que nos obrigamos no ato social e um estalar do verniz, que deixa a nu a natureza violenta dos relacionamentos humanos. As conversas entre os quatro são constantemente interrompidas pelo telemóvel de Alberto, advogado de uma multinacional farmacêutica, acusada de vender medicamentos para cardíacos que produz efeitos colaterais. A sua mulher Bernardete é uma mulher com ambições sociais e com uma curta tolerância ao álcool. Verónica é uma dona de casa, vagamente interessada em arte africana e o seu marido Miguel é um vendedor de eletrodomésticos. Nada é claro ou linear. Ninguém é normal. As primeiras impressões vão-se contradizendo, negando-se, alterando-se em contacto com as outras. Pouco a pouco vamos sendo levados para o núcleo da nossa natureza primordial, selvagem e violenta. Todos são capazes de pensamentos politicamente corretos, mas também se mostram capazes de usar golpes baixos e letais, quando se trata de defender o interesse próprio ou dos filhos.

O tema da peça é, necessariamente, a hipocrisia, ou se preferirmos, a dupla moral e de como perspetivas éticas se mostram flexíveis para defenderem certos interesses. O que é curioso é que toda esta dimensão ética e política é colocada neste texto em termos profundamente cómicos. “O Deus da Carnificina” é por isso uma comédia, mesmo que o riso tenha como fronteira a dor que sempre sentimos, quando constatamos a nossa fragilidade humana.

teatro_sa_band8Barbixas – Improvável

19 e 20 novembro, 21h30, Teatro Sá da Bandeira

Fundada em 2004, a Companhia Barbixas de Humor tem colecionado êxitos em palco e é o nome forte da comédia de improviso no Brasil, tendo já sido convidada para atuar em festivais icónicos de comédia pelo mundo.

No espetáculo “Improvável”, um mestre de cerimónias apresenta as regras dos jogos, a plateia sugere os temas e os atores improvisam as cenas sem nenhuma preparação prévia, mas com muito génio criativo.

Depois do sucesso da estreia em Portugal, os Barbixas regressam em grande forma e com uma ideia fixa na cabeça: não ter ideia do que vão fazer em palco.

Teatro Sá da Bandeira

Rua de Sá da Bandeira 108 - 4000 Porto

Telf: 222 00 25 50

e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária