Conselhos para as suas férias

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
malaA fazer a mala? Não deixe isto para trás
Conheça alguns dos artigos frequentemente esquecidos em casa e que nos arrependemos de não ter posto na mala, a começar pelo cartão de cidadão ou passaporte e bilhetes vários.

Dinheiro
Apesar de atualmente ser fácil encontrar uma máquina ATM, há ainda alguns destinos em que isto não acontece. Quanto menos levantamentos fizer, menos comissões verá cobradas.

High-tech
Carregadores para toda a família e para todos os dispositivos eletrónicos que levar na bagagem, desde a máquina fotográfica ao computador e tablets, sem esquecer ainda todos os cabos que possa precisar, como os dos relógios de corrida, por exemplo. E, caso necessário, adaptadores de corrente elétrica. Um cartão de memória extra para a máquina fotográfica é também uma boa ideia.

Kit de primeiros socorros
Mais ou menos básico de acordo com o destino. Mas medicação habitual, alguns analgésicos e pensos rápidos não devem faltar. No caso de destinos mais exóticos, deverá acrescentar à lista repelente de insetos, antidiarreicos, antipiréticos e todos aqueles recomendados na consulta do viajante.

Snacks
Frutos secos e barras proteicas dão sempre jeito no caso de atraso de transportes ou chegadas tardias a hotéis já sem serviço de quartos. É também de considerar uma garrafa reutilizável, que pode encher em muitos aeroportos, por exemplo, e que além de ajudar o ambiente, lhe pode permitir poupar bastante. Atenção: se o destino for mais exótico, não a encha nunca com água da torneira.

Bálsamo para os lábios
Ideal, preferencialmente os neutros (sem cor ou sabor), para manter os lábios hidratados, pode ser usado em SOS para proteger a pele em caso de muito vento quente, como bálsamo para as pontas do cabelos e para soltar fechos de correr presos. É igualmente útil para remover maquilhagem dos olhos – basta aplicar num bocadinho de algodão –, para amaciar cutículas e até as mãos à falta de creme.

Toalhetes tira-nódoas
Não ocupam espaço e evitam ter de andar o dia todo com manchas de café ou de gordura, sobretudo se levar pouca roupa devido a limites de bagagem.

Óculos e afins
Para ver ao perto ou ao longe, escuros, não se esqueça dos seus óculos ou das lentes de contacto, se for o caso, bem como as soluções para o seu cuidado. E colírios e/ou soro fisiológico, se necessário.

Cuidados pessoais
Se viajar com malas de porão, guarde uma escova e pasta de dentes na bagagem de mão, bem como uma muda de roupa, sempre útil em caso de extravio de bagagem. Toalhitas desodorizantes podem também revelar-se úteis, bem como creme hidratante – as amostras são a melhor opção dado não ocuparem espaço.

Prevenidos para a chuva
Um ou dois dias antes de embarcar confirme as previsões meteorológicas e, se for caso disso, acrescente à mala um poncho ou guarda-chuva para não perder tempo depois à procura de um.

Saco de compras reutilizável
De preferência em versão mochila, mais práticos de transportar, evitam o desperdício de sacos acumulados no caixote de lixo antes da partida e podem revezar-se como mala de mão se viajar em low-cost e só for permitida uma peça de bagagem – basta dobrar e acomodar já que o espaço que ocupam ser insignificante.

criancas6 dicas para férias com crianças pequenas
Vai de férias com filhos ou sobrinhos pequenos? Ficam algumas dicas para minimizar contratempos e permitir-lhe desfrutar do tempo em família.

1) Tempo precisa-se…
… Antes, durante e após a viagem, por isso, antecipe-se, incluindo algum tempo extra. No aeroporto, na viagem de carro, na visita a um museu ou a um parque natural. Lembre-se que os miúdos gostam de explorar: dê-lhes a oportunidade de descobrir o que os rodeia. Contemple ainda pausas para WC, para esticar as pernas regularmente nas deslocações mais longas de carro, para se distraírem com o que possa chamar-lhes a atenção no momento.
Evite terminar as malas e demais preparativos para o último dia; ideal é deixar tudo pronto no dia anterior: além de evitar stresse de última hora, permite-lhe algum “descanso” antes da partida e menos esquecimentos. Habitue-se a fazer uma lista antes com tudo aquilo que é mesmo essencial.

2) Distrações sempre bem-vindas
Livros para colorir, cartas, música, jogos e apps mais ou menos lúdicas são ideais – e essenciais – para manter as crianças e o resto da família entretidos. Habituá-las a fazer um diário de viagem desde pequeninas é algo que deve tentar; no início, basta um caderno e lápis de cor/cera para pintarem o que veem e recolherem recordações (folhas e flores, bilhetes de monumentos ou de transportes, etc.). Experimente oferecer-lhes uma máquina fotográfica e deixe-as capturar o mundo à sua maneira. Escolha um modelo para crianças – já se encontram facilmente a preços acessíveis – ou um telemóvel antigo que já não use, por exemplo.

3) Todos juntos
Aproveite as férias para fazer uma atividade nova para todos em conjunto: surf ou snorkel, uma aula de culinária, um workshop de olaria, pintura, dança… da praia à cidade há sempre ofertas: informe-se e arrisque!

4) Água e snacks sempre à mão
Fruta, cenouras, bolachas embaladas em doses individuais, queijos miniatura ou em triângulos, sanduíches são bons exemplos do que deve ter sempre consigo se viaja com crianças. E água, sempre, para beberem ao longo do dia, especialmente com temperaturas elevadas.

5) Regras básicas
Apesar de as férias serem uma época de maior descontração, há sempre regras a cumprir e que devem ficar claras antes de sair de casa, mesmo que exijam alguma negociação. Do não falar com pessoas estranhas ao que fazer caso se percam e quantos gelados ou bolas de Berlim podem comer por dia/semana, etc., são essenciais para evitar birras e preocupações.

6) Medicação e primeiros socorros
Anti-histamínico, analgésico, anti-inflamatório e antidiarreicos são alguns dos medicamentos de que se deve acompanhar em viagem – em caso de dúvida ou se for para destinos exóticos, informe-se com o seu médico ou na consulta de medicina do viajante -, bem como repelente de insetos e um kit básico de primeiros socorros para pequenos incidentes. E, protetor solar, sempre.

protetor_solarProtetor solar: erros comuns a evitar
A exposição ao sol está associada ao envelhecimento precoce da pele e a um risco elevado de cancro da pele. Evitar as horas de maior radiação (11h-16h) e usar um protetor solar é a melhor forma de prevenção, mas há que aplicá-lo corretamente.

Usar protetor só com sol
A radiação UVA consegue atingir a superfície terrestre nos dias nublados ou com nevoeiro, sendo conveniente habituar-se a proteger sempre as zonas expostas. A areia e a água, por sua vez, refletem as radiações nocivas e mesmo os guarda-sóis na sua maioria deixam passar uma percentagem significativa de raios ultravioletas, por isso não descure a aplicação de protetor solar nestas situações.

Aplicar só de manhã
Se estiver ao sol, na praia ou na piscina, por exemplo, o efeito do protetor solar dura duas horas, por vezes nem tanto, independentemente do fator de proteção, que não deve ser inferior a 30, pelo que a regra de ouro a seguir é reaplicá-lo a cada duas horas ou até menos, se transpirar muito ou nadar frequentemente.
Lembre-se de que o protetor só começa a fazer efeito cerca de 30 minutos depois de aplicado, por isso não espere até chegar à praia ou piscina para o fazer e espalhe-o no rosto e corpo antes de sair de casa.

Espalhar comedidamente
Se o objetivo é pele bem protegida, aplique uma dose generosa, que permita uma boa absorção e eficácia. Regra geral as quantidades aplicadas ficam muito aquém do ideal.

Usar a mesma embalagem do(s) ano(s) anterior(es)
Se lhe sobra protetor após a época balnear, o mais provável é não o ter usado em quantidade suficiente ou não ter feito muito mais do que uma semana de praia. Em todos os casos, se ainda tem a embalagem do ano anterior, deite-a fora: é grande a probabilidade de os ingredientes ativos do produto se terem deteriorado com o tempo. Não vale a pena arriscar. Já agora, convém igualmente ler as recomendações de armazenamento do produto – temperaturas muito elevadas, como as registadas no interior dos carros expostos ao sol, podem danificá-lo.

Resistente à água, mas não tanto
Nenhum protetor solar é 100% à prova de água (aliás, esta designação foi mesmo proibida pela FDA, agência federal norte-americana que regula os produtos alimentares e farmacêuticos); pode ser resistente à água, mas não por tempo indefinido. Se ficar na água algum tempo, o melhor é mesmo reaplicar quando chegar à toalha.

Usar produtos de corpo no rosto
A pele do rosto é normalmente mais sensível do que a do corpo, sendo preferível recorrer a produtos especificamente formulados para o efeito, especialmente peles com tendência para acne e/ou sensíveis.

Esquecer partes do corpo
A maior parte das pessoas aplica protetor solar na cara, peito, barriga, braços, pernas, costas, e esquece-se de zonas igualmente expostas ao sol como o pescoço, axilas, peito dos pés, costas das mãos, orelhas, pálpebras, couro cabeludo e lábios. Da próxima vez que aplicar o protetor, certifique-se de que todas estas áreas estão bem protegidas – para os lábios, use batons com proteção elevada e aplique com frequência, já que comer, beber e falar provocam a sua eliminação.

Lifestyle
e-max.it: your social media marketing partner

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Faixa publicitária
Faixa publicitária