O poder do amor

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
amorMais do que bem-estar, o amor tem uma verdadeira ação protetora da nossa saúde. Descubra como um coração feliz pode melhorar a sua vida.

E foram felizes para sempre…. A frase final dos contos de fadas não é pura fantasia. Aliás, cientificamente falando, até podia ser completada da seguinte forma: “E foram felizes e saudáveis para sempre”. Um pouco por todo o mundo, investigadores das áreas da Medicina e Psicologia têm tentado descobrir o verdadeiro poder do amor. E é mais forte do que imaginamos. Confira aqui.

Combater maus hábitos

Um relacionamento estável e feliz tem impacto no estilo de vida. Pesquisas realizadas nos Estados Unidos concluíram que o consumo de bebidas alcoólicas, tabaco e drogas era menor em casais. Tudo graças à boa influência do parceiro. Quando um elemento adota um comportamento mais saudável o outro tende a segui-lo, revela estudo publicado no JAMA Internal Medicine: a probabilidade de deixar de fumar ou de praticar mais exercício físico, se o parceiro também o fizer, chega aos 40 por cento.

Afastar a depressão
São os laços afetivos que construímos desde a infância que nos ajudam a reagir às adversidades da vida. Viver uma relação feliz e em que a pessoa se sente segura, compreendida e ligada tem um efeito positivo e pode contribuir para reduzir os sintomas de ansiedade e depressão. Um estudo da Stony Brook University (Nova Iorque), que analisou os cérebros de casais apaixonados (relações recentes e longas) através de ressonância magnética, verificou que ambos tinham a zona cerebral associada à recompensa ativada, mas que nos casais com relações mais longas estava também ativa a zona associada à união e menos ativa a área da ansiedade.

Reduzir a tensão arterial

Um abraço pode trazer muitos benefícios. Por um lado aumenta os níveis de oxitocina, a hormona da felicidade e que potencia os laços entre as pessoas, por outro ajuda até a baixar a pressão arterial. As conclusões são de um estudo da Universidade da Carolina do Norte (EUA) realizado com mulheres na fase da pré-menopausa e os seus parceiros.

Fortalecer o sistema imunitário

Aqui não é apenas o sentimento que faz bem mas a sua expressão mais física: o sexo. Estima-se que a atividade sexual potencia o sistema imunitário ao favorecer a libertação de imoglubina A, um anticorpo que protege o organismo das infeções. Um estudo realizado na Pensilvânia concluiu que nos casais que tinham relações sexuais uma a duas vezes por semana o aumento chegava aos 30%. Contudo, neste âmbito não há uma receita universal, defendem outros investigadores. Cada casal tem o seu ritmo e ao sentir-se bem na sua intimidade elimina um dos piores inimigos do prazer e felicidade: o stress.

Dormir melhor
Muitos cientistas tentam avaliar se dormimos melhor acompanhados e tudo indica que sim. Dados de uma pesquisa publicada em 2009 revelaram que, apesar das reviravoltas que o parceiro pode dar na cama, as mulheres que tinham uma relação estável adormeciam mais rapidamente e acordavam menos vezes durante a noite do que as que dormiam sozinhas. Sensação de conforto e segurança foram algumas das razões apontadas pelos autores.

Superar experiências difíceis

O carinho e apoio do parceiro pode ser decisivo para o equilíbrio emocional de quem, por razões profissionais, enfrenta duros desafios.  Ao analisarem a relação no quotidiano de 162 casais com carreira militar, alguns deles envolvidos em acontecimentos como o 11 de setembro, os investigadores da Universidade de Gonzaga (Washington) constataram que o apoio mútuo evita problemas de sono, stress ou solidão, comuns no regresso a casa após uma missão. O apoio determinante, segundo o estudo, é a “capitalização”, ou seja, a partilha de boas notícias. “Quando partilhamos algo de positivo, e o parceiro está genuinamente feliz por nós, isso traz benefícios para o bem-estar de ambos”, revelou uma das investigadoras.

(Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare. A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a consulta de um médico e/ou especialista)

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Faixa publicitária
Faixa publicitária