Sete atitudes preventivas para não ficar doente

chaO termómetro começa a mostrar temperaturas próximas do zero, a chuva passa a neve nas terras altas e o sol teima em não aparecer durante semanas. Está feito o cenário perfeito para que os pequenos vírus surjam em força e ataquem os sistemas imunitários mais fragilizados. Nariz a pingar, espirros e tosse são comuns durante o inverno, mas atenção, não são uma inevitabilidade. Damos-lhe uma ajuda com estas sete dicas para passar estes meses frios sem gripes nem constipações.

1. Beba Leite Dourado

Agora que sabemos que o leite de vaca poderá ter efeitos inflamatórios, é melhor pensar em alternativas. O mais aproximado – e numa versão bem mais saudável – é o Leite Dourado, feito com base em bebidas vegetais, curcuma, mel e especiarias. A curcuma fortalece o sistema imunitário e é anti-inflamatória. Além disso, por servido quente e com gengibre, junta-se o efeito termogénico, o que é bom para aquecer as noites frias.

2. Aposte no Kuzu

O Kuzu é um amido de uma raiz com origens na América do Sul e das montanhas do Japão. É usado na culinária como espessante – para engrossar molhos, por exemplo – mas tem fins terapêuticos muito variados. Além de fortalecer o sistema imunitário, pode ser usado em casos de constipação ou gripes ainda em fase inicial. Para atuar como revitalizante ou para evitar uma gripe mais forte, siga esta receita: dissolver uma colher de chá rasa de kuzu num pouco de água fria. Juntar a uma chávena de água fria e deixe levantar fervura enquanto mexe constantemente. Adicionar uma pitada de sal ou um pouco de molho de soja.

3. Beba chá verde

Já são vários os estudos a ligar a L-tianina – presente no chá verde – à prevenção da gripe. Num deles, foi usada uma amostra de 197 trabalhadores da saúde, nomeadamente médicos e enfermeiros. Desse total, 98 receberam cápsulas de L- Tianina e 99 receberam placebo. A incidência de casos de gripe foi significativamente menor naqueles a quem foi dado este suplemento, com apenas 4 participantes do primeiro grupo a ficarem doentes. Já no grupo a quem foi administrado placebo, esse número subiu para 13.

4. Probióticos

Não vamos florear a situação: probióticos são bactérias, que tomadas na dose certa só trazem vantagens para o organismo, principalmente no reforço do sistema imunológico. Um estudo alemão feito com uma amostra de 479 pessoas entre os 18 e os 67 anos veio provar que o consumo de três probióticos (Lactobacillus gasseri, Bifidobacterium longum SP, B. bifidum MF), durante três meses de inverno poderia influenciar na gravidade dos sintomas, incidência e duração da gripe comum. O consumo de bactérias probióticas diminui os episódios de gripes e constipações em dois dias e reduziu a severidade dos sintomas em 20%. É sempre bom relembrar que os probióticos encontram-se em alimentos comuns como o iogurte, os pickles ou no queijo envelhecido.

5. A vitamina C não vem (só) da laranja

Durante décadas, a laranja foi sempre apresentada como o fruto com mais potencial de vitamina C do mercado. Mito. Existe uma vasta lista de alimentos mais ricos neste nutriente, como é o caso do kiwi, o camu-camu, a papaia ou o pimento vermelho cru. Por isso, o ideal é apostar nestes alimentos o ano inteiro como forma de prevenção e de uma forma mais intensiva no inverno, altura em que o sistema imunitário precisa de uma dose extra de proteção.

6. Praticar meditação

Um estudo recente Wisconsin School of Medicine and Health concluiu que as pessoas que praticam meditação, complementada com exercício físico moderado, ganham defesas extra contra gripes e constipações. A investigação teve em conta uma amostra de 149 pessoas, dividida entre quem praticava meditação, quem praticava meditação conjugada com exercícios de corrida ou bicicleta e, por fim, também por aqueles sem qualquer tipo de atividade. Os resultados são surpreendentes: as pessoas que meditavam tiveram 27 episódios de sintomas relacionados com gripes e constipações, que duraram 257 dias e os que conjugavam a meditação com outro tipo de exercício, diminuíam esses episódios para 26, com duração de 241 dias. Já os que não meditavam nem tinham qualquer atividade física, tiveram sintomas gripais 40 vezes, com uma duração total de 453 dias.

7. Limpar e arejar a casa

Está frio e a verdade é que pouco apetece abrir as janelas para deixar a casa arejar. Mas é essencial, isto se quiser evitar que o seu quarto passe a ter o ambiente ideal para a propagação de um vírus. Além disso, há sempre vantagens em respirar ar fresco. Sair de um ambiente fechado e fazer uma caminhada num jardim só traz benefícios para a saúde.

Não existem milagres para um inverno sem gripes. Existem sim pequenas mudanças, como estas que apresentámos, que podem fazer a diferença e ajudá-lo a passar os meses mais frios sem espirros, tosses e constipações.

(Advanced Care)

e-max.it: your social media marketing partner

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Faixa publicitária