The Gift: Houve "festa" na Casa da Música

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
The_Gift_600Esta segunda-feira o serão na Casa da Música não poderia ter sido melhor. Sónia Tavares e companhia proporcionaram momentos mágicos. De que banda falamos? Dos The Gift, claro!
"Altar", o mais recente álbum destes senhores foi o mote para o tremendo concerto que assistimos, a convite da MTV, na Casa da Música.
Mas, atenção, que houve tempo para os clássicos. "Driving you slow" foi um deles. Canção ainda bem melódica e capaz de movimentar o pé mais teimoso.
"Podem dançar, se quiserem," lançou o desafio Sónia Tavares. O público alinhou nestas palavras simpáticas e contagiantes, deixando-se envolver pela verdadeira explosão de cores e sentimentos.
Mas voltemos ao novo disco.  "Altar", que não é nada mais nada menos que "um sonho tornado realidade", um projeto de vida agora materializado.

"Altar" foi produzido pelo icónico e tremendo Brian Eno, e misturado por Flood, incluindo 10 canções melódicas, explosivas e colossais.
O album inclui (já assim as podemos considerar) hits como "Love without violins" , "Clinic Hope", e "Big Fish".
Não podemos negar o forte conceito visual impregnado no concerto.
E uma coisa é certa: a digressão "Altar" agitou indelevelmente o palco da Sala Suggia com uma sonoridade que oscila entre a pop alternativa e a eletrónica.
Já para não mencionar o bom ambiente que Sónia Tavares e Nuno Gonçalves criaram. De vez em quando, após o término das canções, ambos "quebravam o gelo" com um sentido de humor contagiante, que não deixou o público portuense indiferente.
E ainda voltaram no final, após cerca de 2 horas de concerto, para encores fantásticos como o tema "Fácil de Entender". Assim vale a pena.
Irene Leite

Comentar

Código de segurança
Actualizar

Faixa publicitária
Faixa publicitária