Em julho, há jazz ao ar livre em Matosinhos

matosinhos_jazzO festival Matosinhos em Jazz vai decorrer durante o mês de julho, ao ar livre e em espaços públicos da cidade, contando com um cartaz de luxo: Mário Laginha, Cristina Branco, Sérgio Godinho e Pedro Abrunhosa, entre outros artistas.

O Matosinhos em Jazz é um festival antigo na cidade, fundado nos anos de 1990, para divulgar jazz nacional e internacional.

Depois de um interregno de vários anos, o festival está de regresso em 2018.

O evento vai decorrer durante todo o mês de julho, ao ar livre e em espaços públicos da cidade. Os concertos são de entrada gratuita.

O Matosinhos em Jazz arranca logo no dia 1 de julho, no coreto do Jardim Basílio Teles, com a atuação do trio Elas e o Jazz, um grupo que recria os standards dos musicais da Broadway e dos clubes de jazz de Nova Iorque. Até ao final de julho, passarão pelo coreto, sempre às 18h, mais seis coletivos musicais. No dia 7 atua o Mário Laginha Trio e, no dia 8, poderá ouvir-se a sonoridade do grupo Lokomotiv, comandado pelo histórico Carlos Barretto, com Mário Delgado nas guitarras e José Salgueiro na bateria e percussões.

O fim de semana seguinte o palco vai pertencer aos Jazzamboca (14 de julho) e ao Coreto Porta Jazz (15 de julho), este último formado por alguns dos extraordinários músicos da Orquestra Jazz de Matosinhos.

No dia 21 de julho haverá concerto de luxo, com Cristina Branco a trazer ao coreto do centro de Matosinhos as sonoridades do seu mais recente trabalho discográfico, numa espécie de trânsito entre o fado e o jazz. No dia 22 de julho será a vez de atuarem os Songbird, um duo composto por Luís Figueiredo e João Hasselberg.

No último fim de semana de julho, o Matosinhos em Jazz transfere-se para a Praça Guilhermina Suggia. A 27 de julho, a Orquestra Jazz de Matosinhos reinventa alguns dos temas icónicos de Sérgio Godinho, dando sequência ao espetáculo estreado há um ano na Casa da Música do Porto. Para o dia 28 está agendada uma estreia absoluta: Pedro Abrunhosa revisitará o seu repertório ao som da Orquestra Sinfónica do Porto, num espetáculo em estreia absoluta.

O Matosinhos em Jazz contará ainda com uma exposição que reunirá, à volta do coreto, o trabalho criativo de artistas plásticos portugueses (Oficina Arara, AKACorleone, Nash Does Work e a dupla Francisco Queimadela e Mariana Caló) em torno das capas de quatro discos icónicos do jazz. No dia 7, pelas 17h, haverá ainda espaço para a conferência/debate "O Jazz Agora", que juntará, entre outros, o diretor da Orquestra Jazz de Matosinhos, Pedro Guedes, o programador musical do espaço Maus Hábitos, Luis Salgado, e o radialista Joaquim Mota (Radio Nova).

O Matosinhos em Jazz é uma organização da câmara municipal em parceria com a produtora Arruada.

e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária