FC Porto nos oitavos de final da Liga dos Campeões

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
fcp_monaco2Após bater de forma clara o Mónaco, por 5-2, com um bis de Aboubakar – que já vai em cinco golos na prova – e ainda tentos de Brahimi, Alex Telles e Soares, o FC Porto está pela 13.ª vez na história nos oitavos de final da Liga dos Campeões e, no que diz respeito à época em curso, foi mesmo a única equipa portuguesa a garantir um lugar entre as 16 melhores da Europa.

Os Dragões trataram rapidamente de garantir os três pontos (ao intervalo venciam por 3-0) e somar os dez necessários para assegurar o segundo lugar do grupo G, atrás do Besiktas.
“Fico contente com a vontade e a objetividade da equipa, mas por vezes é preciso controlar o jogo com bola. Num ou noutro momento faltou-nos paciência, mas esta equipa tem uma ambição muito grande de chegar à baliza contrária. Há sempre aspetos a melhorar e a aperfeiçoar, mas no geral, só posso estar satisfeito. Poucos acreditavam nesta equipa e no trajeto que tem feito até agora, sobretudo no Campeonato e na Liga dos Campeões”, garante o técnico da equipa portista, Sérgio Conceição.
Os azuis e brancos foram acima de tudo eficazes: não deram facilidades ao ataque do Mónaco – que chegou ao Dragão já eliminado mas com uma estratégia clara de contragolpe, traçada por Leonardo Jardim – e sempre que chegaram à área contrária conseguiam criar perigo.
A parceria entre Brahimi e Aboubakar, que construiu dois dos três primeiros golos, foi decisiva para uma vitória que confirmou o FC Porto como, mais uma vez, o único clube português a passar aos oitavos de final.
“O Aboubakar é um jogador que aprecio e, como avançado, tem características que me agradam, tal como o Marega e o Soares também. Até poderia ir buscar um avançado de não sei quantos milhões, mas queria ficar com o Aboubakar. Quanto ao Marega, não foi uma surpresa para mim. Quando estava no Nantes, queria ter levado o Marega para lá, por isso, quando cheguei ao FC Porto, disse na hora que queria que ele voltasse”, diz Sérgio Conceição.
Até ao apito final, o encontro nunca deixou de ser entretido, e viram-se ainda mais dois golos: Falcao, no regresso ao Dragão, fez o 4-2, aos 77 minutos, e foi ovacionado; Soares, que substituiu Aboubakar, ainda apontou o 5-2, de cabeça, aos 88. Desta vez o FC Porto não ganhou 3-0 ao Mónaco, como nos dois encontros oficiais anteriores, mas voltou a superiorizar-se por três golos.
e-max.it: your social media marketing partner