Orquestra Jazz de Matosinhos estreia novo projeto com trompetista Peter Evans

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
orq_jazz_matEm dezembro, a OJM vai apresentar seis novas peças de compositores portugueses, interpretadas no interior de um sistema sonoro criado por Rui Penha para o Cine Teatro Constantino Nery.

A Orquestra Jazz de Matosinhos (OJM) vai iniciar, nos próximos dias 3 e 4 de dezembro, um novo projeto que contará com a participação do trompetista nova-iorquino Peter Evans e para o qual está a trabalhar desde 2010, com o objetivo de criar um centro de alto rendimento artístico no concelho.
Em comunicado enviado às redações, a autarquia matosinhense explicou que “’CARA Ano Zero’ é o primeiro módulo de programação e provocação do projeto ‘CARA’, uma iniciativa que congrega a criação artística, a inovação tecnológica e o envolvimento de parceiros externos”. Abordar a música enquanto organização de som no tempo e no espaço, proporcionando aos espectadores uma experiência musical e sensorial única, é a grande meta do programa. Para dar resposta ao desafio, a OJM encomendou seis peças originais a seis compositores portugueses, criadas para um sistema de som (cilindro sonoro) desenhado para o Cine Teatro Constantino Nery por Rui Penha, em colaboração com o Inesc/UP. “Este sistema, constituído por várias colunas dispostas numa formação cilíndrica, envolverá a pequena plateia montada para estas apresentações. No interior, os espectadores poderão ouvir todas as potencialidades de espacialização sonora do ‘cilindro’, que modifica a interação entre as fontes sonoras e o espaço acústico”, esclareceu a câmara. A Orquestra de Jazz vai, assim, interpretar as seis peças encomendadas aos compositores Carlos Guedes, Filipe Lopes, Gustavo Costa, Igor Silva, Rui Penha e Rui Dias, contando com a participação do prestigiado trompetista norte-americano Peter Evans e do percussionista Gustavo Costa.
e-max.it: your social media marketing partner