Plataforma criada no Porto permite testar virtualmente qualquer produto

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
glexysUma plataforma online criada no Porto permite testar virtualmente produtos, desde uma garrafa a um carro, e verificar se o seu design funciona em ambiente real e reduzindo até 70% o tempo e o custo associado ao seu desenvolvimento.

Através da "Glexyz cloud", tecnologia criada no Porto pela 'startup' (empresa emergente de base tecnológica) Glexys, é também possível alterar produtos já desenvolvidos, de forma a reduzir o seu custo de fabrico e melhorar a sua 'performance', disse à Lusa um dos fundadores, André Luz.
"Quando desenhamos um novo produto, para sabermos se esse design irá funcionar na realidade, o método clássico é fabricar um protótipo físico e testar", processo que "demora muito tempo e é caro", visto que para qualquer alteração é necessário fabricar um novo protótipo, explicou.
Através desta plataforma online os utilizadores conseguem efetuar "mais testes do que no mundo físico", otimizando o design de forma a optar por materiais mais baratos ou menores espessuras, para tornar as peças mais leves, aumentando assim a sua competitividade no mercado.

A ideia
A ideia para a criação desta tecnologia surgiu de uma experiência de André Luz, enquanto engenheiro de teste na empresa britânica Rolls-Royce.
"De cada vez que tínhamos que fazer uma pequena alteração de design, demorava-se meses a testá-la fisicamente", explicou, afirmando que foi por isso que, em conjunto com outro dos fundadores da Glexys, o engenheiro de polímeros Bruno Eisinger, resolveu apostar no desenvolvimento de uma plataforma virtual que conseguisse rapidamente validar e otimizar as alterações de um produto.

Diferenciação
De acordo com André Luz, apesar de existirem no mercado soluções especializadas para um determinado tipo de teste virtual, a "Glexys cloud" é a primeira plataforma que pretende disponibilizar todos os tipos de testes (estrutural, térmico, acústico, vibracional, de fluídos, eletromagnético e 'crash-test', por exemplo), de forma integrada.
"Essa integração permite ao utilizador perceber como uma alteração de design afeta, simultaneamente, todas as funcionalidades de um produto", referiu.
A Glexys foi uma das 'startups' selecionadas recentemente para o Startup Porto Accelerator (SPA), um programa de apoio e aceleração promovido pelo Centro de Inovação, Tecnologia e Empreendedorismo (CITE) do INESC TEC, em parceria com a ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários.
Durante este programa, os fundadores da Glexys pretendem finalizar a implementação da plataforma, de forma a lançá-la mundialmente em setembro deste ano.