À conversa com Dário Guerreiro

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
dario_guerreiroDário Guerreiro - conhecido como Môce dum Cabréste – vai estar no Teatro Sá da Bandeira, no próximo dia 15 de abril, a apresentar o seu espetáculo “LenDário”. A VIVA! esteve à conversa com o humorista.

Viva!: O que é que o público pode esperar do espetáculo?
Dário Guerreiro: O público pode esperar uma hora e vinte numa jornada alucinante por tudo aquilo que me rodeia, abordado num ângulo cómico. Apesar de se tratar de um solo de stand-up, o espetáculo contém mais que isso. 50% dos textos são exclusivos deste espetáculo (os restantes são uma compilação dos melhores textos dos meus 4 anos de carreira), mas também haverá apontamentos musicais inéditos e outras surpresas que convém não desvendar.

Como tem sido a receção por parte do público nos espetáculos até ao momento?
O feedback que tenho recebido tem sido absolutamente positivo. As pessoas não só não se arrependem de terem saído de casa, como acabam por constatar que o meu registo em palco é bem diferente daquele que apresento nos vídeos do YouTube, e ficam surpreendidas. Reparo que saem bem dispostos das salas e, emanando essa felicidade, fazem o amor na própria noite.

Qual a ligação que sente com o público?
Eu e o público estamos a atravessar uma ótima fase na nossa relação. Temos as nossas diferenças mas, como todos os casais apaixonados, arranjamos sempre forma de as superar. Eu confesso que sou um pouco ciumento, sobretudo quando vejo o meu público olhar para outros comediantes, mas compreendo as razões dele: eu nem sempre estou lá para contar aquela piada ao fim do dia, como devia... E ganhei uns quilinhos. É natural que ele olhe para os outros, mas depois de uma boa noite de comédia fazemos sempre as pazes e percebemos que estamos melhor quando estamos juntos.

dario_guerreiroQual o tipo de reação que gosta de ver na plateia?
Como qualquer comediante, é sempre bom quando estamos perante uma plateia com sede de riso, com vontade de ser surpreendida. Felizmente sempre que atuo no norte é este o tipo de plateia que tenho encontrado.  

Como é que se iniciou o gosto pelo o humor e a ideia de realização de vídeos para o youtube?
Acredito que o gosto pelo humor mora um pouco em cada um de nós. Não há ninguém que não goste de rir, de se divertir. Claro que há comédia para todos os gostos, mas recetividade ao riso mora lá sempre, e eu não fui exceção. Quanto ao momento em que esse gosto se transformou na convicção de querer fazer disto profissão, acho que foi no momento em que me estreei a fazer stand-up, em 2012. Até então apenas fazia vídeos por hobbie e não tinha ambições nesta área.

Onde se inspira para os guiões dos espetáculos?
Tudo aquilo que nos rodeia pode sempre ser observado de um ponto de vista humorístico, é só encontrar o ângulo certo. Para os meus textos é nisso que me inspiro: um algarvio que cresceu no seio de uma família pobre; que vive com a mãe e a irmã numa casa muito húmida e mal construída; que namora com uma miúda fanática por cozinha; que tem um carro velho que avaria com frequência quando menos se quer... Todas as vidas são risíveis, os meus textos são o produto da minha vida.

Marque na agenda - dia 15 de abril, às 22h, no Teatro Sá da Bandeira -, venha rir muito com Dário Guerreiro. E aproveite que a VIVA! e a Meio Termo estão a oferecer 4 bilhetes duplos para o espetáculo!!!
e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária
Faixa publicitária