50 oradores internacionais na Feira para debater artes de rua

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
fresh_streetA segunda edição do seminário internacional Fresh Street, que decorre em Santa Maria da Feira de 24 a 26 de maio, vai reunir 59 oradores e mais de 350 decisores de 41 países numa discussão alargada sobre o futuro das artes de rua.

O evento, de caráter bienal, é promovido pela Circostrada - Rede Europeia de Artes de Rua e Circo Contemporâneo e coorganizado pelo Imaginarius - Festival Internacional de Artes de Rua de Santa Maria da Feira, no que conta com o apoio do programa Europa Criativa da União Europeia, do Ministério da Cultura e Comunicação francês, e o Ministério da Cultura e Secretaria de Estado do Turismo portugueses.
Durante três dias, haverá conferências, debates informais e um mercado de criações artísticas por agentes do setor, que resultará numa publicação final com as conclusões do evento e a definição de uma estratégia de posicionamento que se espera comum a todos os participantes.
"O projeto europeu parece ter parado repentinamente e, diante das ameaças terroristas, continuamos a observar a militarização das nossas ruas, enquanto as formas mais imprudentes do neoliberalismo económico vão monopolizando o espaço público", defende a organização do Fresh Street em documento enviado à Lusa.
"Neste contexto, que papel podem desempenhar as artes de rua? Como podemos reavivar o desejo de união? Que novas narrativas europeias podemos apresentar?", questiona a organização.
"Descobrir novas práticas e experiências, discutir sucessos e fracassos, desenvolver novas parcerias e fortalecer laços já existentes", é o que se pretende, e para tal o seminário revela-se "uma oportunidade de construir o futuro das artes de rua e de formular recomendações concretas que contribuirão para estruturar o setor em Portugal, na Europa e no mundo".
O encontro contará com "um programa ambicioso e forte, com oradores provenientes de quatro continentes e capaz de fazer refletir sobre os problemas e desafios do setor, abrindo portas a soluções sólidas e integradas, nos contextos prático e legislativo".
O centro de congressos Europarque é o palco escolhido para o primeiro dia do Fresh Street #2, onde se irá analisar temas como: "Boas práticas de políticas públicas no apoio à criação artística para o espaço público", "Direitos de autor nas artes de rua", "Planos de segurança nas artes de rua", "Programas participativos", "Parcerias internacionais" e "Desenvolvimento de públicos".
Já para quinta-feira, 25 de maio, no mesmo local, estão previstas discussões sobre tópicos como "As artes de rua no Sul e Leste da Europa", "As artes de rua fora da Europa" e "Arte para pessoas, com pessoas ou por pessoas?".
No último dia, o seminário vai decorrer no Cineteatro António Lamoso - numa aproximação aos palcos do festival Imaginarius, que estará já a decorrer no centro da cidade. A reflexão irá abordar "As artes de rua como fator de transformação" e "A criação artística contemporânea para o espaço público em Portugal", antes de um debate final sobre as conclusões do evento.
O Fresh Street #2 é uma iniciativa da rede Circostrada, criada em 2003 com vista ao desenvolvimento de uma estrutura integrada para o circo e as artes de rua a nível internacional.
Faixa publicitária
Faixa publicitária