Portugal Fashion: Dias dois e três

Atenção, abrirá numa nova janela. PDFVersão para impressãoEnviar por E-mail
pf_1No segundo dia do Portugal Fashion destacam-se os 10 anos de um percurso de sucesso. Referimo-nos a Diogo Miranda. O designer soprou as velas e continuou o espetáculo. A passerelle foi uma verdadeira celebração, como seria de esperar.

Carla Pontes abrilhantou a Alfândega do Porto com a coleção “Raw”. Já Susana Bettencourt concebeu a coleção do próximo verão a pensar no renascer do movimento da ERA (Equal Rights Amendment). Numa altura em que as reações anti Trump se fazem sentir  nas obras de artistas e designers de todo o mundo, Susana juntou-se ao coro. Mas atenção que esta causa não deve ser confundida com o feminismo. A designer açoriana focou-se, contudo, numa figura de proa do movimento. Amelia Earhart, a primeira mulher piloto a fazer um voo transatlântico, inspirou os estampados das malhas, onde surgiram aviões e elementos que remetem para os posters da National Women’s Party.
Para Estelita Mendonça, o que temos: riscas e uma paleta de cores onde predominam o azul e o amarelo. Saídas com amigos, flyers de festas dos anos 90 e dias bem passados na praia preenchem a "felicidade".
pf_2O segundo dia do Portugal Fashion na cidade invicta contou ainda com os desfiles de Júlio Torcato e Anabela Baldaque, dois nomes bem consagrados da moda portuense. Hugo Costa e Miguel Vieira, que fechou a agenda do dia, também apresentaram as suas coleções.
A 41.ª edição do Portugal Fashion terminou este sábado com destaque para os desfiles dos criadores Alexandra Moura, Luís Buchinho e Katty Xiomara, que apresentou a nova coleção no antigo Matadouro Municipal do Porto.
Com um mural de 60 metros criado por 14 artistas da Circus Network como pano de fundo, a ‘designer’ Katty Xiomara apresentou “Parachute Trip”, uma proposta “inspirada numa viagem” de paraquedas que “aterra no revivalismo ‘art déco’ de Miami dos anos 60”.
A ligação nostálgica e o laranja como cor dominante, assente em formas simples e padrões “que pretendem evocar o ambiente”, são algumas das inspirações da criadora.
No Cais Novo, pelas 13h, foi a vez de Luís Buchinho apresentar as propostas para as estações mais quentes, com “uma forte influência desportiva”, pode ler-se na apresentação da coleção, com cores claras e padrões muito presentes nos coordenados, que procuram refletir “a liberdade de movimentos e o bem-estar”.
Alexandra Moura mostrou “Within the Time Within”, inspirada “na deterioração dos interiores de palácios e palacetes portugueses do século XVIII” e no vestuário da época, com o preto e o vermelho como tons dominantes e tecidos “danificados e desfiados”.
Pelas 21h30, Micaela Oliveira mostrou na Invicta as novas propostas seguida da marca Dielmar e de Ana Sousa, o derradeiro desfile marcado para as 23h30.
“Entre 25 a 30 mil pessoas é o número médio por edição e também é o que esperamos [ter alcançado] nesta edição, de acordo com a lotação dos locais deste ano”, disse em entrevista à Lusa o diretor de comunicação do Portugal Fashion, Rafael Rocha, acrescentando que nesta edição estiveram envolvidos na organização do evento 450 pessoas (manequins, criadores, cabeleireiros, maquilhadores, ‘stylists’, técnicos de som, imagem e multimédia e segurança).
pf_3O Portugal Fashion gerou, em 2016, um “advertising value equivalency” (retorno mediático) de "7,5 milhões de euros", avançou à Lusa fonte oficial do Portugal Fashion.
Segundo dados do Portugal Fashion, os criadores e marcas que costumam participar no evento (setor têxtil e calçado incluídos), representam uma "faturação anual de cerca de 500 milhões de euros", um montante que resulta de 65 a 70% das exportações, acrescentou Rafael Rocha.
O Portugal Fashion 2015-2017 é financiado pelo Portugal 2020, com fundos da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional e teve um valor total aprovado de oito milhões para o triénio 2015/2017.
e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária
Faixa publicitária
Faixa publicitária