Faixa publicitária

Sugestões 7 dias

Experincia-Stranger-thingsJá pensou no que vai fazer este fim de semana? Se está com dificuldades, a VIVA! dá-lhe uma ajuda. Há um especial percurso por concertos, mas também por exposições. Há, ainda, (boas) peças de teatro, cinema e muitos mercados para visitar. A lista, esta semana, é extensa. Ora, confirme!

Experiência Stranger Things chega ao Porto

Os fãs portuenses já podem contactar com o imaginário da série de televisão Stranger Things. A experiência Stranger Things, que tem lugar no Hard Club, decorre até domingo e a entrada é livre.

O Hard Club vai estar decorado com vários cenários da série, como o sofá e as luzes de Natal da casa da família Byers, e os fãs vão poder escrever mensagens personalizadas da mesma forma com que Joyce comunicava com Will.

“Há ainda um santuário dedicada a Barb, onde será possível tirar fotografias com vários adereços desta personagem, uma estrada com as bicicletas icónicas do grupo de amigos, uma porta para o Upside Down e um jogo de realidade virtual com o sistema PlayStation VR”, revela a organização.

A Netflix convida os fãs a visitarem o espaço vestidos como as personagens da série, ou seja, com um estilo à anos 80, com bonés, ténis de velcro, calças de ganga, coletes de penas e bonés.

A entrada é livre. Os visitantes podem receber um dos vários brindes distribuídos pela empresa, como pins, porta-chaves e até chapéus iguais aos de Dustin.

A experiência Stranger Things no Porto abre na sexta-feira, dia 8 de fevereiro, às 14h e fecha às 21h. No sábado e domingo, o espaço abre mais cedo, às 11h, e encerra às 21h.

Germano_SilvaVisita d'Autor por Germano Silva

No domingo, dia 10 de fevereiro, o Museu e Igreja da Misericórdia do Porto (MMIPO) propõe um percurso para descobrir as capelas famosas desaparecidas da cidade Invicta.

A visita será conduzida por Germano Silva, historiador e antigo jornalista.

A iniciativa é enquadrada nas Visitas d'Autor do MMIPO, atividade que se realiza duas vezes por mês e que permite a descoberta da história da cidade nas mais diversas vertentes.

Para além de Germano Silva, as Visitas d'Autor contam com a colaboração de outros prestigiados historiadores, profundos conhecedores da cidade: Joel Cleto, José Ferreira e Silva, José Ferrão Afonso, José Guilherme Abreu e José Manuel Tedim.

A visita "Capelas famosas desaparecidas" tem início marcado para as 10h.

Para participar deverá efetuar pré-inscrição através do email  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar .

invicta_filmes_musicaMagia do cinema na Casa da Música

Está de volta o ciclo Invicta.Música.Filmes, que traz para o palco do concerto as películas que ficaram na história.

De 10 a 19 de fevereiro, a magia do cinema regressa à Casa da Música com quatro cine-concertos. No ano em que se completam 130 anos desde o nascimento de Charles Chaplin, “A Quimera do Ouro” está em cartaz numa sessão única na Sala Suggia (dia 16, às 18h). A banda sonora deste filme mudo inesquecível é interpretada ao vivo pela Orquestra Sinfónica do Porto.

Um dos primeiros filmes sonoros produzidos em França, em 1930, “A Idade do Ouro” de Luis Buñuel, foi um autêntico escândalo na sua época. Setenta anos depois, o compositor argentino Martin Matalon compôs uma nova banda sonora para este clássico, para seis percussionistas, piano e eletrónica, que o agrupamento português de percussão Drumming traz ao festival Invicta.Música.Filmes, acompanhando a projeção do filme na Sala Suggia (12 de fevereiro, pelas 19h30).

Mais recentemente, Bill Morrison assinou o filme “Shelter”, uma obra comovente com música do trio de compositores americanos Bang on a Can que o Remix Ensemble interpreta ao vivo no dia 19 de fevereiro, pelas 19h30.

Os dois grandes génios da comédia, Chaplin e Buster Keaton, podem ser vistos num cine-concerto com nova música criada em tempo real (16 de fevereiro, 16h).

A abertura do festival está marcada para domingo, dia 10 de fevereiro, às 12h. O programa que a Banda Sinfónica Portuguesa traz ao Invicta.Música. Filmes celebra bandas sonoras emblemáticas da história do cinema, como "Piratas das Caraíbas", "The Ghost Ship" e "Miss Saigon".

Andor_VioletaConcertos

Andor Violeta

Com Rita Ventura na voz e João Gusmão na guitarra, "Andor Violeta" deixou de significar, apenas, "vai-te embora". O projeto de versões do estilo pop/acústico, criado em 2012 no Porto, foi o responsável por mudar essa semântica. Na verdade, Andor Violeta é, hoje em dia, para as muitas pessoas que os ouvem, o mesmo que boa música, bom ambiente e boa energia!

Local: Piso 1 do MAR Shopping

Data: 8 de fevereiro

Hora: 21 horas

orquestra_sinfonica_do_portoOrquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Escritas quando o compositor [Richard Strauss] teria 84 anos, as “Quatro Últimas Canções” refletem sobre o significado da morte, entrelaçando a voz com as texturas orquestrais. “O Anel sem Palavras” é uma seleção de momentos chave da tetralogia “O Anel do Nibelungo” de Wagner, condensando 17 horas de música em 75 minutos puramente orquestrais. Realizada pelo maestro e compositor Lorin Maazel, esta adaptação inclui secções célebres como a “Cavalgada das Valquírias”, a jornada de Siegfried pelo Reno ou a cena da imolação de Brünnhilde.

Local: Casa da Música (Sala Suggia)

Data: 8 de fevereiro

Hora: 21 horas

Luisa_SobralLuísa Sobral

Luísa Sobral regressa aos palcos para apresentar Rosa”, o quinto álbum de originais, produzido pelo prestigiado produtor catalão Raül Refree. “Rosa” é o seu disco mais pessoal, maduro e intimista, com arranjos despojados e uma grande cumplicidade criativa entre a compositora e Refree. Em palco, Luísa Sobral é acompanhada por Manuel Rocha (guitarras) e um trio de sopros formado por Sérgio Charrinho (fliscorne), Angelo Caleira (trompa) e Gil Gonçalves (tuba).

Local: Casa da Música (Sala Suggia)

Data: 9 de fevereiro

Hora: 21h30

Eduardo_CardinhoEduardo Cardinho “In Search Of Light”

Eduardo Cardinho apresenta em estreia o seu novo disco “In Search of Light”, que foi gravado em julho de 2018 com a colaboração do saxofonista de renome mundial Ben Van Gelder, do virtuoso acordeonista João Barradas e de uma sólida secção rítmica com Bruno Pedroso e André Rosinha, contando ainda com um quarteto de cordas em algumas das músicas. O vibrafonista tem vindo a afirmar-se seriamente no panorama jazzístico português. Em 2016 editou o álbum “Black Hole”, aclamado pela crítica e considerado um dos melhores discos de jazz do ano (Jazz.pt e Jazz Logical). A música que apresenta foi escrita e pensada para esta formação durante a sua estada em Amesterdão.

Local: Auditório de Espinho

Data: 9 de fevereiro

Hora: 21h30

Orquestra_Jazz_do_Porto_convida_JesusOrquestra Jazz do Porto convida Jesus Santandreu

A Orquestra Jazz do Porto convida o maestro, arranjador e saxofonista espanhol Jesús Santandreu. Com múltiplos prémios e distinções, Santandreu tem uma vasta e aplaudida carreira que se estende da música de câmara às big bands, das orquestras sinfónicas aos coletivos de sopros. O músico valenciano dirige e toca com a Orquestra Jazz do Porto o seu próprio repertório, parte dele composto especialmente para esta ocasião que se advinha memorável.

Local: Casa da Música (Sala 2)

Data: 9 de fevereiro

Hora: 23 horas

Tributo_QueenTributo a Queen | Break Free

Uma das bandas de rock mais poderosas da história e todos os seus sucessos voltam de novo ao palco. Esta banda captura tanto o som original como o estilo pessoal e a postura em cena tão particular dos Queen. Este tributo recria as músicas de ópera rock, os hinos universais e as poderosas baladas que colocaram o grupo liderado por Freddie Mercury no posto número uno das listas de sucesso durante duas décadas. Temas como “We Are the Champions” a “I Want to Break Free”, "We Will Rock You” ou “Bohemian Rhapsody” que já soaram em tantos macrofestivais e estádios de futebol lotados nos anos 70 e 80 e que ainda hoje arrepia ao público.
O show que eles apresentam é uma oportunidade única para experimentar toda a força, a emoção e a genialidade musical dos Queen no seu melhor momento e de lembrar aqueles “These Are the Days of Our Lives (Dias de nossas vidas)”.

Local: Coliseu Porto Ageas

Data: 10 de fevereiro

Hora: 18 horas

Simone_encontra_Ivan_LisSimone encontra Ivan Lins

Cantora e compositor sobem aos palcos portugueses para transmitir ao publico a sua
cumplicidade em temas como “Começar de novo”, “Desesperar”, “Bilhete”, “Daquilo que eu sei” ou ainda “Atrevida”, entre muitos outros clássicos de Ivan Lins gravados por Simone nas últimas décadas.

Este novo reencontro acontece 14 anos após o lançamento de “Baiana da Gema”, álbum no qual Simone interpretou 13 canções então inéditas, especialmente escritas para ela por Ivan Lins e um fabuloso leque de parceiros.

Local: Coliseu Porto Ageas

Data: 12 de fevereiro

Hora: 21h30

AureaAurea | Festival Montepio às vezes o amor

Contar um segredo através de uma canção foi a premissa com que Aurea idealizou o seu último  álbum “CONFESSIONS”.
Neste quarto registo de originais, a cantora, intérprete e também compositora, quis registar em áudio algumas das histórias ou ‘segredos’ que lhe foram confidenciando em vários momentos da sua vida. A leitura que Aurea fez dessas conversas íntimas funcionou como uma espécie catarse destas revelações que nunca poderá expor, caso contrário não seriam segredos. Talvez por este motivo, “CONFESSIONS” seja também um registo assumidamente mais intimista e também inevitavelmente um pouco autobiográfico. Os relatos que inspiraram “CONFESSIONS” podem ser as histórias de uma qualquer pessoa, com as quais todos nos podemos identificar. E, nesse sentido, “CONFESSIONS” é também uma partilha de emoções.
‘Montepio às vezes o amor’ é uma festa de música e emoções distribuídas por dezassete cidades portuguesas.

Local: Coliseu Porto Ageas

Data: 14 de fevereiro

Hora: 22 horas

fotolegendas_fcpExposições

Fotolegendas

A fotografia é uma forma de perpetuar o momento, transportando-o, como testemunho, para além daqueles que o vivem; o fotojornalismo acrescenta-lhe a informação datada pelo pormenor. Estas duas realidades cruzam-se em “Fotolegendas”, mostra temporária que leva ao La Vie Porto Baixa Shopping Center vários trabalhos de cinco repórteres de referência da Imprensa portuense. Ao longo das últimas décadas do século XX e do preto e branco à cor, Bruno Neves, Gaspar de Jesus, Malacó, Manuel Lopes e Ricardo Pereira eternizaram estórias do mundo portista e da Invicta, algumas delas reunidas nesta exposição. Depois de conquistar o público na Sala Multiusos do Museu durante o verão de 2018, “Fotolegendas” regressa para estar patente no coração histórico da cidade. O evento também é uma realização no âmbito da área temática 28., espaço/conceito expositivo que partilha ainda mais história dentro ou fora do Museu FC Porto.

Local: Espaço Art La Vie - La Vie Porto Baixa Shopping Center

Data: 9 de fevereiro a 31 de março

Hora: De segunda a sábado das 9h às 22h e ao domingo das 9h às 21h

joias_artesanaisJóias Artesanais: Manuela Lima Lobo

Local: Casa da Cultura de Paranhos

Data: 9 a 15 de fevereiro

Hora: Inauguração às 16h / De segunda a sexta das 9h às 12h30 e das 13h30 às 17h

Figurações III

Local: Galeria Vieira Portuense

Data: 9 de fevereiro a 1 de março

Hora: Inauguração às 16h / Segunda das 14 às 19 horas, terça-feira a sábado das 9h30 às 12h30 e das 14 às 19 horas

Assembleia da República: Imagens do Parlamentarismo

A exposição é composta por 25 painéis que retratam as evoluções políticas, desde o liberalismo até à atualidade. Recua ainda à origem do Palácio de São Bento, que começou como um Mosteiro, em 1598, até à transformação em Palácio das Cortes, em 1833. Descreve também as adaptações e acrescentos ao atual edifício, e dedica especial atenção à história do Parlamento, a partir de 1976, com a referência aos partidos políticos representados, mostrando ainda o modo de funcionamento deste órgão de soberania nacional.

Local: Museu Bernardino Machado, Vila Nova de Famalicão

Data: 11 a 28 de fevereiro

Hora: Inauguração às 17 horas

agulha_guiaAgulha Guia

A exposição de Eliane Duarte reúne a produção da artista surgida nos anos noventa, no Rio de Janeiro, e interrompida prematuramente pela sua morte, em 2006. Eliane transformou em materiais as suas pinturas iniciais. Recortava, dobrava e costurava. Virava as telas do avesso, costurava outra vez. Descobria superfícies e encobria outras. Assim, num trabalho de redefinição da própria obra, iniciou uma série de relevos (por assim dizer) que revelavam uma vasta experimentação em busca de novas formas até então relegadas ao plano bidimensional. Partia de sobras de telas, caixas de papelão, couro e também da pele de animais e preenchia-as com algodão e outros materiais atribuindo volume e estranheza aos seus objetos. Abdicava assim da tela como suporte de representação e construía superfícies, criava corpos estranhos como a descobrir-se a si mesma, seus gestos, seu próprio corpo, sua memória. Numa entrevista, Eliane afirmou: “trabalho com agulha e linha como se fossem vísceras, meu intestino grosso e delgado... É através deles que existo e tento fazer arte. Com agulha e linha crio um pequeno mundo pra mim mesma, onde tento me entender”. O poeta Chacal, irmão da artista, escreveu: “Eliane vai buscar lá onde o som ainda é murmúrio, onde a forma ainda é esboço, rascunho, estranheza... com isso a forma vem sem filtro como escrita automática, com a liberdade extrema de quem inventa em cima do vivido.

Local: Maus Hábitos

Data: 14 de fevereiro a 24 de março

Hora: 21h30

transantiquity“Transantiquity”- A reflexão sobre a presença da Antiguidade na atualidade

Com curadoria de Filipa Oliveira e Guilherme Blanc, o projeto expositivo inclui obras de 20 artistas cujo trabalho estabelece uma relação entre os paradigmas da Antiguidade e o tempo contemporâneo. De que forma estamos condicionados pelo “cânone clássico” da Grécia Antiga e da Roma Antiga, berços da civilização ocidental? A exposição propõe que, nos tempos de crise política e social em que vivemos, é vital reavaliar os fundamentos da Antiguidade, que ciclicamente alicerçam as sociedades ocidentais, simultaneamente questionando as suas fronteiras temporais e geográficas e respetivas narrativas. Num mundo cada vez mais globalizado, como pode essa reflexão revelar diferentes perspetivas e orientar possíveis futuros?

Local: Galeria Municipal do Porto

Dia: Até 17 de fevereiro

Horas: terça-feira a sábado das 10h às 18h; domingo das 14h às 18h.

juan_miro_serralvesJoan Miró e a Morte da Pintura

A exposição "Joan Miró e a morte da pintura” centra-se na produção artística do mestre catalão em 1973, altura em que, com oitenta anos de idade, preparava uma importante retrospetiva no Grand Palais, em Paris. Numa série de telas perfuradas de 29 de março de 1973, de relevos tecidos ("Sobreteixims” e "Sobreteixims-Sacks”) executados em 1972 e 1973 em colaboração com Josep Royo e em cinco "Toiles brûlées” (Telas queimadas) executadas entre 4 e 31 de dezembro de 1973, Miró deu largas à sua raiva estética. Precisamente no momento em que a crítica anunciava a "morte da pintura” como um facto consumado perante práticas que desafiavam as narrativas do alto modernismo — arte processual, performance, land art e instalação —, Miró colocou a pintura à prova, numa tentativa de renovar os seus recursos e procedimentos.

Local: Casa de Serralves

Dia: Até 3 de março

de_outro_modo“De outro modo”

Os artistas plásticos Sobral Centeno, Sá Coutinho e Manuel Porfírio iniciaram o seu percurso artístico nos anos 1960, na prestigiada Galeria Alvarez, no Porto, então dirigida pelo pintor Jaime Isidoro. Meio século depois, o percurso deste coletivo artístico pode ser revisitado na exposição “De Outro Modo”.

A exposição procura dar a conhecer a memória de um percurso biográfico e de intervenção artística, cultural e social, aliado a uma permanente procura de expressão artística pessoal dos três autores.

A entrada é livre.

Local: Galeria Municipal de Matosinhos

Data: Até 16 de março

Hora: de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30. Sábados, domingos e feriados, das 15h às 18h.

tacita_deanTacita Dean

A reconhecida artista britânica-europeia Tacita Dean está ligada à história de Serralves e à sua programação desde a sua exposição individual em 2002. Inspirada pelo Museu, em 2003 filmou “Boots” na Casa de Serralves, filme posteriormente adquirido para a Coleção de Serralves. A mostra atual constitui uma estimulante oportunidade de projetar “Boots” em conjunto com o seu novo e ambicioso projeto “Antigone” [Antígona, 2018], estreado no ano passado na sua trilogia de exposições simultâneas que teve lugar em Londres, na Royal Academy of Arts, na National Gallery e na National Portrait Gallery. “Antigone” é um projeto iniciado há vários anos cujas ideias centrais têm sido abordadas noutros trabalhos das últimas três décadas, muito particularmente em “Boots”. “Antigone”, uma dupla projeção de 35mm com uma hora de duração, constitui uma exploração épica do nome da irmã da artista, Antigone, protagonizada pela poeta e dramaturga Anne Carson e pelo ator Stephen Dillane. Este díptico fílmico evoca a figura homónima mitológica Antígona e o seu pai cego e coxo, Édipo, e a ideia da jornada de ambos através regiões inóspitas que decorre entre as duas peças de Sófocles, Édipo Rei e Édipo em Colono.

Esta importante apresentação reúne ainda outras obras anteriores da artista - que acompanham a trajetória do pensamento relacionado com Antigone desde 1991 - e inclui dois dos seus mais recentes desenhos de grande formato sobre tinta de ardósia, assim como uma fotogravura constituída por vários elementos pertencente à Coleção de Serralves.

Local: Museu de Serralves

Data: Até 5 de maio

alameda_marketMercados

Alameda Market

Com uma variedade de oferta de ideias, tanto para mulher como para homem, o mercado pop up posiciona-se como opção de última hora para os visitantes comprarem o presente de Dia dos Namorados ideal. Conta com a presença das marcas Mediterraneo, Mandala, Mercearia d’ameã, Beauty by Noor, Blue Soul, Mime o seu bebé, Missy M e The Captain Socks.

Local: Piso 3 do Centro Comercial

Data: 8 a 10 de fevereiro

Hora: 11 às 22 horas

Mercado Porto Belo

Baseado no famoso Portobello londrino, o Mercado Porto Belo reúne discos de vinil, ilustrações, cadernos e livros, cosméticos naturais, bijutaria, mel e massa fresca, chás e ervas aromáticas, cerâmicas, brinquedos de madeira ou artigos de decoração. A entrada é livre.

Local: Praça de Carlos Alberto

Data: 9 de fevereiro

Hora: 10 às 18 horas

mercado-clerigosMercadinho dos Clérigos

Iniciativa reúne uma oferta variada, desde artesanato, roupa e antiguidades até bijuteria, livros, brinquedos e produtos biológicos, entre outros artigos. Existem, também, alguns momentos de animação, música ou performances. O acesso ao evento é livre.

Local: Rua de Cândido dos Reis

Data: 9 de fevereiro

Hora: 10 às 20 horas

Mercadinho Português

Com produtos gourmet, peças de autor, artesanato urbano e artes decorativas e manuais, este evento é também um espaço de lazer onde se procura criar um ambiente em que os visitantes possam conviver e partilhar experiências. Os “Ateliers do Mercadinho” acontecem em algumas edições e trazem alguns passatempos e ações especiais de artes manuais, nos quais os participantes têm a oportunidade de “colocar a mão na massa”. Os ateliers dão a conhecer o que de melhor se faz e vende nos Mercadinhos, estreitando a relação com os visitantes.

Local: Centro Comercial Continente de Valongo

Data: 9 e 10 de fevereiro

Hora: Sábado das 9h30 às 23h e domingo das 09h30 às 21h45

DominguinhosMais Novos

Dominguinhos

O amor, tratando-se de um sentimento universal e transversal a todas as idades, deverá ser vivido e expressado por todos. Assim, nos “Dominguinhos” de 10 de fevereiro, os mais novos serão convidados a criar uma lanterna de sombras. Numa folha de papel dobrada serão recortadas várias formas, que depois irão forrar um frasco de vidro. Este servirá de apoio a uma vela pequena, que, quando acesa, refletirá as formas recortadas. Uma excelente prenda para oferecer à cara-metade ou aos primeiros amores das nossas vidas – os nossos pais!

Local: Piso 0 do MAR Shopping

Data: 10 de fevereiro

Hora: Entre as 11 e as 12h30

a_fera_na_selvaTeatro

A fera na selva

Esta é a história de um affair entre John Marcher e May Bartram, mas sobretudo entre nós, que assistimos, e eles, que adiam a vida.

Dois atores para duas personagens em décor sóbrio, indefinido, talvez intemporal. Tudo demasiado doce para não potenciar uma violência extrema, mas estática, envenenada. Explicam-nos o mundo, como Marguerite Duras nos costuma explicar, explicam-nos a impotência perante esse mundo, perante o amor que adiam, perante o medo que pressentem na fera que espreita, sensação que domina John, a catástrofe eminente, que os arrastará para o fim. Uma via para a destruição comum e cúmplice, esse medo, essa procrastinação de uma hipótese de felicidade, de uma hipótese de vida. Uma vida por procuração, dada em frases inconsequentes, sem ponto de gravidade, enigmáticas, sem retorno.

Local: Teatro Municipal Rivoli

Data: 8 e 9 de fevereiro

Hora: sexta 21h e sábado 19h

lindos_DiasLindos Dias!

Dizemos “lindos dias, estes que estamos a viver” e ouvimos a ironia, mesmo que a intenção seja celebrar o dia. O que pode fazer uma mulher enterrada até à cintura num montículo que a cobrirá até ao pescoço? Sim, fala com um marido vagamente presente. E mais?

O clown, e a dimensão tragicómica nele contida, terreno particularmente caro a esta equipa, é o ponto de vista escolhido para revisitar este clássico de Samuel Beckett.

Local: Palácio do Bolhão

Data: 8 e 9 de fevereiro

Hora: 21h30

zeManel_TaxistaZé Manel Taxista

Pela primeira vez na sua história, Zé Manel Taxista sobe ao palco para um espetáculo de celebração dos 20 anos de existência desta que é uma das personagens mais emblemáticas e acarinhadas de Maria Rueff.

Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica, anda arreliado com o sucesso de Lisboa, que transformou tudo em alojamento local e restaurantes gourmet. O próprio filho, Eusébio Jr., ganha a vida como condutor de tuk-tuk, e Vickie, o mais à frente lá do bairro, safa-se a arrendar partes de casa. Só Luna, a estudante italiana do Erasmus, está encantada com a enchente de estrangeiros e a borrifar-se para a “gentrificação”. Zé Manel tenta defender o prédio onde todos vivem da voracidade turística, até que chega Chico, um esperto entrepreneur, que já foi daquela rua e agora regressa com promessas de fama e dinheiro fácil. A tentação é grande e Zé Manel despista-se... naturalmente.

Local: Coliseu Porto Ageas

Data: 8 e 9 de fevereiro

Hora: sexta às 21h30 e sábado às 16h30

2084_o_triunfo_sobre_os_porcos“2084: O triunfo sobre os porcos”

De feição distópica e marcadamente orwelliana, a peça transporta-nos para lá do ano de 2084, no qual a morte se tornou um tabu, graças à crença na eternidade proporcionada pelos avanços biónicos. Os poucos serviçais que restam serão em breve substituídos pelo último grito da inteligência artificial e apenas uns quantos “caídos” manterão acesa a chama dos valores éticos da humanidade, apesar da perseguição de que são alvo.

Com interpretação de Rui Spranger, Sandra Salomé, Filomena Gigante e Daniela Jesus, “2084: O Triunfo sobre os Porcos” é servido por uma estética ousada e “exquisita”, conforme a define o autor do texto e da encenação, na qual se misturam técnicas da biomecânica meyerholdiana, diálogos surrealizantes e carregados de neologismos, e palavras de carácter conotativo e dúplice, como só a língua portuguesa autoriza.
Tributária dos célebres romances “1984” e “A Quinta dos Animais”, ambos de George Orwell, mas também de “O Fim do Mundo”, de Boualem Sansal, a peça de Castro Guedes combina a tragédia distópica com o humor dos irmãos Marx e o cinismo de Sacha Guitry, servida por personagens como os irmãos Apolo e Rasputina, ou como Hedónica, a viúva do general Daesh.

Local: Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery

Data: 9 de fevereiro

Hora: 21h30

conta_me_tudoConta-me Tudo

Depois do podcast, do programa no Canal Q e de esgotar o Cinema São Jorge, o Conta-me Tudo chega pela primeira vez ao Porto para uma noite incrível de histórias reais contadas por pessoas especiais. Isabel Silva, Sara Tavares, Rui Paula, Daniel Carapeto e Ângelo Rodrigues prometem encher o Sá da Bandeira de relatos em que o amor vai estar no ar. O amor alegra e entristece, exulta e deprime. Mas continua a ser o que faz o mundo girar.

Local: Teatro Sá da Bandeira

Data: 13 de fevereiro

Hora: 21h30

breuBreu

É nos bastidores do circo tradicional que o coletivo Musgo monta a tenda de “Breu”, o seu novo espetáculo, com criação e direção artística de Joana Moraes. No universo do menos amado dos espetáculos de palco, a companhia reconhece uma metáfora que condensa conceitos a serem trabalhados: a precariedade destes artistas, o desdobramento das suas funções, a estigmatização com que frequentemente são vistos, uma profissionalização que lhes é negada. Com base no devising (o processo colaborativo de pesquisa e criação de raiz de material para cena, que o Musgo tem vindo a aprimorar) e inspirando-se em recolhas decorrentes de visitas a circos e conversas com estas trupes multidisciplinares documentadas numa exposição fotográfica de Paulo Pimenta que acompanhará “Breu”, Joana Moraes irá erguer o texto dramático, permeável também a referências do cinema e da fotografia sobre o circo. Entre o lado de lá e de cá da cortina, entre o glamour do espetáculo, as vicissitudes da intimidade e a crueza da realidade, BREU quer assumir uma abordagem tão humanista quanto humorística do que entre eles transita e contamina. Não querendo ser nem realista nem documental, é um espetáculo sobre precariedade, dedicação e amor.

Local: Teatro Carlos Alberto

Data: 14 a 23 de fevereiro

Hora: quarta e sábado às 19h; quinta e sexta às 21h; domingo às 16h.

a_FavoritaCinema

Estreias

A Favorita

Título original: The Favourite

De: Yorgos Lanthimos

Com: Olivia Colman, Emma Stone, Rachel Weisz, Nicholas Hoult, Joe Alwyn, Mark Gatiss, Jenny Rainsford, James Smith, Tim Ingall, LillyRose Stevens, Liam Fleming, Carolyn Saint-Pé

Género: Drama, Histórico, Comédia

Classificação: N/A

Outros dados: 120 minutos

Início do século XVIII. A Inglaterra está em guerra com a França. Uma frágil rainha Anne (Olivia Colman) ocupa o trono, mas é a sua amiga mais próxima, Lady Sarah (Rachel Weisz), que governa o país enquanto cuida da saúde precária da monarca e gere o seu temperamento imprevisível.

Quando Abigail (Emma Stone) chega, o seu charme conquista Sarah. Abriga-a sob a sua asa e Abigail vê uma oportunidade de regressar às suas raízes aristocráticas. Como a guerra acaba por consumir grande parte do tempo de Sarah, Abigail entra subtilmente em cena para assumir o papel de dama de companhia da rainha. Esta amizade dá-lhe assim a hipótese de cumprir as suas ambições, não permitindo que alguém se atravesse no seu caminho.

Mia_e_o_Leo_BrancoMia e o Leão Branco

Título original: Mia et le lion blanc

De: Gilles de Maistre

Com: Daniah De Villiers, Mélanie Laurent, Langley KirkwoodGénero: Aventura, Drama

Classificação: N/A

Outros dados: 98 minutos

Mia, com dez anos, vê a sua vida virada do avesso no momento em que a família decide deixar Londres para gerir uma quinta de criação de leões, na África do Sul. Mia reencontra a felicidade quando nasce um lindo leão branco, Charlie, desenvolvendo uma ligação próxima com a cria selvagem. Três anos depois, a vida de Mia volta a ser abalada, quando descobre um segredo inquietante que o pai esconde. Destroçada pela ideia de que possam fazer mal a Charlie, Mia decide fugir, deixando a quinta e a família para trás. Os dois partem numa aventura épica, através da savana africana, à procura de um local onde Charlie possa viver livre e em segurança.

alita_Anjo_de_CombateAlita: Anjo de Combate

Título original: Alita: Battle Angel

De: Robert Rodriguez

Com: Rosa Salazar, Christoph Waltz, Ed Skrein, Mahershala Ali, Jennifer Connelly, Keean Johnson, Michelle Rodriguez, Lana Condor, Jackie Earle Haley, Eiza González, Jorge Lendeborg Jr., Marko Zaror, Elle LaMont, Leonard Wu, Casper Van Dien, Jeff Fahey, Idara Victor, Sam Medina, Liz Tabish, Tristan Riggs

Género: Aventura, Ação, Romance, Ficção Científica, Thriller

Classificação: M/12

Outros dados: 122 minutos

Alita (Rosa Salazar) acorda sem memória num futuro que não reconhece. É levada por Ido (Christoph Waltz), um médico bondoso que percebe que dentro desta ciborgue abandonada está o coração e alma duma jovem mulher com um passado extraordinário.

Enquanto Alita aprende a lidar com a nova vida e caminhar pelas ruas traiçoeiras da Cidade de Ferro, Ido tenta protegê-la da sua misteriosa história, enquanto um novo amigo, Hugo (Keean Johnson), a ajuda a recuperar a memória. Mas quando as mortais e corruptas forças que controlam a cidade a perseguem, Alita descobre uma pista para o seu passado - ela possui capacidades únicas de combate. Se conseguir permanecer a salvo, Alita pode ser a chave para a salvação dos seus amigos, família e do mundo que ela amava.

vinganca_PerfeitaVingança perfeita

Título original: Cold Pursuit

De: Hans Petter Moland

Com: Liam Neeson, Laura Dern, Emmy Rossum, Tom Bateman, William Forsythe, Julia Jones

Género: Ação, Thriller, Drama

Classificação: M/16

Outros dados: 118 minutos

Bem-vindos a Kehoe. A temperatura é de 10 graus negativos e a descer nesta requintada estância de esqui nas Rocky Mountains. A polícia local não está habituada a ter de lidar com muita ação até que um dia o filho de Nels Coxman (Liam Neeson), um pacato limpador de neve, é assassinado às ordens de Viking (Tom Bateman), um excêntrico barão da droga. Consumido pela raiva e armado com artilharia pesada, Nels parte para a vingança e decide desmantelar o cartel de Viking, um homem de cada vez, embora quase tudo o que ele sabe sobre homicídios vem do que leu em livros de crime. À medida que os cadáveres se amontoam, as ações de Nels provocam uma guerra entre Viking e o gang rival liderado por White Bull (Tom Jackson), um chefe da máfia Nativo-Americano. Rapidamente, os sopés brancos da cidade vão começando a ficar pintados de vermelho.

as_delcias_de_EllaLivros

As Delícias de Ella

De Ella Woodward

“Neste meu novo livro vai encontrar 100 receitas novas, todas vegetarianas, testadas em casa, nos restaurantes e em supper clubs. Servimos já milhares de pessoas, os pratos foram provados (e aprovados) por veganos, vegetarianos e até por apreciadores de carne!

As receitas são fáceis fazer e depressa se tornam parte da ementa, tanto para alguém que esteja a dar os primeiros passos na cozinha vegetariana, como para alguém que quer simplesmente passar a comer mais vegetais.

Neste livro partilho também a minha visão dos bastidores da criação da Deliciously Ella e os meus últimos anos de trabalho.

Tem sido uma aventura extraordinária, onde enfrentei desafios e conheci um sucesso que nunca imaginei ser possível – nem nos meus sonhos mais delirantes.

Espero que as nossas histórias e receitas lhe sirvam de inspiração. E boas receitas!”

torto_AradoTorto Arado

De Itamar Vieira Júnior

Bibiana e Belonísia são filhas de trabalhadores de uma fazenda no Sertão da Bahia, descendentes de escravos para quem a abolição nunca passou de uma data marcada no calendário. Intrigadas com uma mala misteriosa sob a cama da avó, pagam o atrevimento de lhe pôr a mão com um acidente que mudará para sempre as suas vidas, tornando-as tão dependentes que uma será até a voz da outra.

Porém, com o avançar dos anos, a proximidade vai desfazer-se com a perspetiva que cada uma tem sobre o que as rodeia: enquanto Belonísia parece satisfeita com o trabalho na fazenda e os encantos do pai, Zeca Chapéu Grande, entre velas, incensos e ladainhas, Bibiana percebe desde cedo a injustiça da servidão que há três décadas é imposta à família e decide lutar pelo direito à terra e a emancipação dos trabalhadores. Para isso, porém, é obrigada a partir, separando-se da irmã.

Numa trama tecida de segredos antigos que têm quase sempre mulheres por protagonistas, e à sombra de desigualdades que se estendem até hoje no Brasil, “Torto Arado” é um romance polifónico belo e comovente que conta uma história de vida e morte, combate e redenção, de personagens que atravessaram o tempo sem nunca conseguirem sair do anonimato.

o_Poco_e_a_EstradaO Poço e a Estrada, Biografia de Agustina Bessa-Luís

De Isabel Rio Novo

Agustina: uma mulher controversa, uma vida extraordinária, uma obra genial. «Mas tenho uma história, e que história. […] Ninguém a conhece.»

Era com estas palavras enigmáticas que, aos setenta anos, muito perto da viragem do século, Agustina Bessa-Luís perspetivava a sua existência. Já nessa altura contava com mais de cinquenta títulos, entre romances, contos, biografias, peças de teatro, ensaios, livros para a infância e de memórias, dialogando com a História, com a sociedade que a rodeava, com outros escritores, com outros artistas.

Desde cedo, Agustina revelou ter consciência de que não era uma pessoa convencional. Não foi uma criança comum. Não casou nas circunstâncias que se esperariam de uma rapariga da sua condição social. Não foi a típica esposa e mãe burguesas. Não foi a apoiante política esperada. Nunca se afirmou feminista, mas a sua história de vida foi mais radical e corajosa do que a de muitas feministas convictas. E, como escritora, raros são os que têm dúvidas em apontá-la como uma das mais geniais e complexas personalidades da literatura em língua portuguesa.

Através de uma pesquisa extensiva e rigorosa, baseada em dezenas de entrevistas, testemunhos, documentários, registos oficiais e textos epistolares, estabelecendo pontes constantes com a obra literária de Agustina, Isabel Rio Novo, uma das mais talentosas romancistas portuguesas da atualidade, reconstitui o percurso de vida de uma figura ímpar da nossa cultura contemporânea, numa biografia que se lê como um romance.

paginas_EsquecidasPáginas Esquecidas

De Agostinho da Silva

O conhecimento e a liberdade como valores supremos da condição humana.

Procurando fornecer ao maior número possível de pessoas os conhecimentos bastantes, “uma informação quanto possível certa e objetiva sobre o que no mundo significa progresso”, publicou Agostinho entre 1938 e 1947, em 125 cadernos, num total de cerca de três mil páginas, uma síntese do saber humano.

Nascidos sob o desígnio de abranger o maior número possível de áreas do saber, estabelecendo, de forma sólida, os alicerces de uma cultura geral, os Cadernos de Agostinho contribuíram em grande escala para a formação integral dos jovens e adultos de todas as classes sociais, em suma, da massa geral da nação.

e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária