Faixa publicitária

Sugestões Casa da Música

cmusica_37Américas

Sexta, 18 janeiro, 21h, Sala Suggia | €22-€26

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Baldur Brönnimann direção musical

George Gershwin Abertura Cubana

Leonard Bernstein Abertura de Candide

Claude Vivier Orion (estreia em Portugal)

Silvestre Revueltas Sensemayá

Edgard Varèse Amériques

Um programa que percorre as Américas e compositores que beberam frequentemente das fontes populares. George Gershwin utiliza na sua “Abertura Cubana” instrumentos do folclore cubano, como as maracas e os bongós, enquanto o compositor mexicano Silvestre Revueltas inclui na textura orquestral de “Sensemayá”, a sua obra mais popular, instrumentos como clavas, maracas, raspador, cabaça e tambores, evocando os rituais pagãos das tribos indígenas. “Amériques” de Varèse traz reminiscências da “Sagração da Primavera” de Stravinski, invocando um sentido de ritual urbano numa obra apoteótica. Sobre ela, Varèse afirmou: “Com Amériques comecei a escrever a minha própria música.

cmusica_4Viagem na América

Sábado, 19 janeiro, 18h, Sala Suggia | €9,40-€13,15

Remix Ensemble

Synergy Vocals

Peter Rundel direção musical

Piia Komsi soprano

Mauricio Kagel  Die Stücke der Windrose: Oeste

Claude Vivier Trois airs pour une opéra imaginaire, para soprano e ensemble

Steve Reich Tehillim, para ensemble e grupo vocal (estreia em Portugal)

Viaja-se pelas Américas neste concerto que assinala a abertura do tema Novo Mundo na temporada do Remix Ensemble. A fundação do Synergy Vocals teve como mote uma interpretação de “Tehillim”, tão apreciada pelo próprio Steve Reich que viria a dar origem a uma relação próxima entre o reputado ensemble vocal e o compositor norte-americano, especialmente conhecido como pioneiro do Minimalismo. Com um estilo marcado pela provocação, “Oeste” de Mauricio Kagel representa elementos do jazz americano mesclados com ritmos de diversas latitudes. O programa completa-se com árias escritas numa língua inventada pelo singular compositor canadiano Claude Vivier, na voz da soprano moldava Anna Palimina.

cmusica_5Velho Mundo/Novo Mundo

Domingo, 20 janeiro, 18h, Sala Suggia | €9,40-€13,15

Coro Casa da Música

Paul Hillier direção musical

Arvo Pärt  Kleine Litanei

Filipe de Magalhães  Asperges me

Arvo Pärt Virgencita

Manuel de Sumaya  La Bella Incorrupta

Abraham Wood  Brevity

William Billings  I am the rose of Sharon

Heitor Villa-Lobos  Bendita Saboria

Julia Wolfe  Guard my tongue

Alonso Lobo  Versa est in luctum

Arvo Pärt  And I heard a voice…

Manuel Cardoso  Nemo te condemnavit

Hernando Franco  Magnificat Sexti Toni

O Coro Casa da Música dá início à sua temporada lançando pontes entre o Velho e o Novo Mundo, e entre o passado e o presente. A época de ouro da polifonia renascentista portuguesa e espanhola deu-se no período em que estes países estavam na linha da frente da expansão europeia pelas Américas. Quando Filipe de Magalhães e Manuel Cardoso compunham, por cá, obras polifónicas da mais alta qualidade, já o espanhol Hernando Franco tinha marcado a actividade musical colonial da Guatemala e do México. Mais tarde, Manuel de Sumaya tornou-se o mais notável representante mexicano da transição entre as linguagens renascentista e barroca. Sob a direção de um dos maiores especialistas do mundo em música coral, Paul Hillier, este programa apresenta também dois dos primeiros compositores naturais dos Estados Unidos da América, activos no período revolucionário – Abraham Wood e William Billings –, e avança até figuras-chave do nosso tempo.

cmusica_6Prémio Jovens Músicos/Antena 2

Recital dos vencedores do nível superior da edição 2018

Terça, 22 janeiro, 19h30, Sala 2 | €9,40

Zita Silva harpa

José Pedro Pereira trompete

Duas promessas da música portuguesa, galardoadas em 2018 com o almejado Prémio Jovens Músicos, apresentam-se em recital na Sala 2. Zita Salomé da Silva estudou no Porto e em Londres, concluindo o Mestrado em Artes com Distinção na Royal Academy of Music, sob a orientação de Karen Vaughan e Skaila Kanga. José Pedro Pereira estudou na Artave, na classe de Paulo Silva, concluindo o curso com a classificação máxima. Recentemente obteve o 3º prémio no prestigiado Internationaler Bodensee Musikwettbewerb (Alemanha) e o 1º Prémio na Eric Aubier International Trumpet Competition (categoria Júnior).

cmusica_7Gal Costa

Quarta, 23 janeiro, 21h30, Sala Suggia | €30-€50

Gal Costa apresenta o álbum mais recente, “A Pele do Futuro”, que inclui músicas inéditas como “Palavras no Corpo” (Silva/Omar Salomão), “Sublime” (Dani Black), e outras escritas por figuras como Gilberto Gil, Djavan, Adriana Calcanhotto, Nando Reis, Jorge Mautner e Marilia Mendonça. O concerto passa ainda por alguns sucessos da sua carreira como “Sua Estupidez” (Roberto e Erasmo Carlos), “Oração de Mãe Menininha” (Dorival Caymmi) e “Festa do Interior” (Moraes Moreira e Abel Silva).

cmusica_8Talita Cayolla

Quarta, 23 janeiro, 21h30, Café Casa da Música | Entrada livre

Influenciada pelos mais variados estilos e culturas, Talita Cayolla apresta-se para lançar “Sweet Tease”, o seu primeiro álbum de originais, onde imprime um cunho pessoal a registos musicais que variam entre o samba e a bossa, o jazz e o blues, a pop e tudo o mais que venha à rede da sensibilidade que a define. Nele cabe ainda o contributo de músicos de rua que vai encontrando diariamente pelo Porto.

cmusica_9José Valente

Quinta, 24 janeiro, 22h, Café Casa da Música | Entrada livre

Com o novo álbum “Serpente Infinita”, José Valente continua a percorrer um trilho desassossegado, mapeado pela constante descoberta de novas possibilidades musicais para o seu instrumento, a viola d’arco. Tem como ponto de partida o quotidiano enquanto terreno fértil para a apatia e para a banalidade, resultando numa peça obscura mas enérgica e virtuosa, carregada de nuances musicais cuidadosas, detalhadas e imprevisíveis.

cmusica_10Sonhos de Inverno

Sexta, 25 janeiro, 21h, Sala Suggia | €17,85-€21,60

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Michail Jurowski direção musical

Rafael Kyrychenko piano

Piotr Ilitch Tchaikovski  Concerto para piano e orquestra nº 1

Piotr Ilitch Tchaikovski Sinfonia nº 1, “Sonhos de Inverno”

O multipremiado pianista português Rafael Kyrychenko, que estudou na Bélgica com Maria João Pires e Daniel Blumenthal, interpreta um dos Concertos para piano mais célebres de sempre. Nele, Tchaikovski combinou elementos do folclore russo, ritmos de dança e melodias lindíssimas que são orquestradas com o requinte da melhor tradição sinfónica. O programa inclui ainda a “Primeira Sinfonia” do compositor russo, uma obra escrita numa fase inicial da sua carreira mas que revela já uma inventividade prodigiosa em melodias que descrevem as paisagens invernais da Rússia.

cmusica_11Camané & Mário Laginha

Sábado, 26 janeiro, 21h, Sala Suggia | €20-€25

Do excelente entendimento sentido nas colaborações esporádicas entre Camané e Mário Laginha resultou o inevitável aprofundamento dessa simbiose. “Aqui está-se sossegado” é pensado de raiz para dar mais brilho a uma voz e a um piano que se descobriram cúmplices. O novo projeto conta com cerca de duas dezenas de temas, saídos do cânone fadista tradicional do repertório de Camané e inclui inéditos compostos por Mário Laginha.

cmusica_12Descobertas Barrocas

Domingo, 27 janeiro, 18h, Sala Suggia | €14,10-€17,85

Orquestra Barroca Casa da Música

Laurence Cummings cravo e direção musical

Jean-Baptiste Lully  Le Temple de la Paix (excertos)

Henry Purcell Suite de Indian Queen

Jean-Philippe Rameau  Suite de Les Indes Galantes

Os compositores barrocos não se ocuparam apenas da representação do mundo que os rodeava, mas foram também estimulados por uma época de descoberta do outro lado do globo. O contacto com os povos para lá dos oceanos deu origem a “Les Indes Galantes” de Rameau, em que se inclui o célebre andamento “Les Sauvages”, resultado da impressão causada no compositor francês pela visita de chefes de tribos norte-americanas à corte francesa, em 1725. As disputas pelo poder entre as cortes peruana e mexicana antes da invasão espanhola estão na base da trama de “Indian Queen”. A semi-ópera que Purcell deixou incompleta raramente é apresentada, pelo que esta será uma oportunidade para ouvir de que forma a cultura nativa americana foi representada pelo grande compositor barroco inglês.

cmusica_13Beatriz Nunes

Terça, 29 janeiro, 19h30, Sala 2 | €9,40

Lançado em 2018, “Canto Primeiro” é o primeiro álbum de originais de Beatriz Nunes, que inclui também novos arranjos de clássicos como “A Canção da Paciência” e criações para poemas portugueses contemporâneos. “Canto Primeiro” afirma Beatriz Nunes como compositora e produtora de um disco íntimo, que procura o conforto do silêncio no sussurro de uma voz que se conhece muito bem, onde encontramos canções de carácter contemplativo, entre a herança da música portuguesa, a música de cantautor e o jazz.

Em 2018, foi selecionada pela European Jazz Network para os concertos no âmbito da conferência On The Edge.

cmusica_14Os Bardo

Quarta, 30 janeiro, 21h30, Café Casa da Música | Entrada livre

Os Bardo são um duo improvável, formado pelo guitarrista Carlos Magano e pela violoncelista e cantora Gisela Silva. As histórias de um e do outro preenchem o concerto com as canções de que todos se lembram e que todos cantam, interpretadas e arranjadas com uma originalidade descomplicada. 

cmusica_15Tiago Nacarato

Quarta, 30 janeiro, 21h30, Sala Suggia | €11,30-€14,10

Tiago Nacarato é um cantautor portuense de 27 anos, com raízes brasileiras. Atualmente é uma das vozes habituais da Orquestra Bamba Social que junta músicos luso-brasileiros residentes no Porto e que presta tributo a vários clássicos da música brasileira, recriando-os e acrescentando novas sonoridades. Tiago Nacarato sobe ao palco da Sala Suggia da Casa da Música - desta vez a solo, depois de se ter estreado com a Orquestra Bamba Social - para um espetáculo em que irá apresentar temas que farão parte do seu álbum de estreia, bem como algumas das músicas que têm marcado a sua carreira.

cmusica_16Mova Dreva

Quinta, 31 janeiro, 22h, Café Casa da Música | Entrada livre

Formado em Lisboa, o projeto Mova Dreva tem como ponto de partida a cultura folk bielorussa. O quarteto de ethno-jazz/ world music procura criar contos musicais inspirados em canções quase desaparecidas: temas festivos, de chamamento da Primavera e dos ciclos da natureza, cânticos de saudade e tristeza, de brincadeiras e casamento.

17

Bruckner na Despedida

Sábado, 24 novembro, 18h, Sala Suggia | €14-€18

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Michael Boder direção musical

Arnold Schoenberg Sinfonia de Câmara nº 2

Anton Bruckner Sinfonia nº 9

“Um adeus à vida”, foi este o epíteto que o próprio Bruckner atribuiu ao terceiro andamento da sua “Nona Sinfonia”. O compositor concluíra?o dois anos antes de morrer, mas o seu frágil estado de saúde não lhe permitiu terminar o último andamento, dele restando múltiplos esboços fragmentados. Contando com a direção do maestro Michael Boder, um dos grandes especialistas na música do século XX, o programa completa?se com a “Sinfonia de Câmara nº 2” de Schoenberg, obra que o compositor iniciou em 1906 mas só 33 anos mais tarde concluiria – representando assim um raro regresso à linguagem tonal que há muito tinha sido abandonada pelo criador do dodecafonismo.

 18

25 nov

Peter Evans & Orquestra Jazz de Matosinhos

Domingo, 25 novembro, 18h, Sala Suggia | €13-€17

Orquestra Jazz de Matosinhos

Pedro Guedes direção musical

Peter Evans trompete

O trompetista Peter Evans é uma referência do jazz mais experimental. Interessa-se especialmente pela improvisação livre como uma ferramenta de composição, explorando as possibilidades simultâneas de afirmação individual e de desenvolvimento colaborativo. Tem trabalhado com uma infinidade de músicos e compositores e lidera vários projetos, com destaque para o seu septeto. Participa ainda nos grupos Pulverize the Sound (com Mike Pride e Tim Dahl), Rocket Science (com Evan Parker, Craig Taborn e Sam Pluta) e Mostly Other People Do The Killing (com Jon Irabagon, Matthew “Moppa” Elliott e Kevin Shea), entre muitas outras configurações. Depois de partilhar o palco com artistas das mais diversas proveniências, a Orquestra Jazz de Matosinhos continua a manifestar o seu espírito aventureiro e encontra-se agora com esta grande referência da improvisação livre.

19

Jorge Palma - "Expresso do Outono"

Segunda, 26 novembro, 21h30, Sala Suggia | €30

A viver um dos seus melhores momentos, Jorge Palma tem partilhado com o público mais de 40 anos de carreira. Para encerrar 2018, preparou “Expresso do Outono”, um concerto que conjuga sonoridades eléctricas com outras mais acústicas. Uma viagem de longo curso com paragens nas diferentes sonoridades que constituem o seu universo musical. Neste concerto, é acompanhado pelos seus parceiros da estrada: Pedro Vidal (guitarras e direcção musical), Gabriel Gomes (acordeão), Vicente Palma (guitarra e teclados), Nuno Lucas (baixo) e João Correia (bateria).

20

António Zambujo

Terça, 27 novembro, 21h30, Sala Suggia | €20-€25 Concerto Solidário Vida Norte

A Casa da Música recebe António Zambujo para um concerto solidário a favor da Associação Vida Norte, que atua nos concelhos de Porto e Braga e tem como principal missão apoiar grávidas e bebés em situação de vulnerabilidade, através de um acompanhamento de proximidade.

António Zambujo é um dos nomes incontornáveis da música portuguesa atual, somando prémios e salas esgotadas, dentro e fora de Portugal. O seu percurso musical está traçado entre o fado e o cante alentejano, num estilo único marcado também pela influência da MPB. Neste concerto a solo, oferece um percurso pelos seus maiores sucessos.

21

Astrodome

Quarta, 28 novembro, 21h30, Café Casa da Música | Entrada livre

Depois da estreia discográfica em 2015 com o LP homónimo, os Astrodome estão de volta aos discos com “II”, obra obrigatória para os fãs de rock instrumental. “II” tem sido destaque na imprensa nacional e internacional, contando com uma digressão de apresentação em Espanha, França, Alemanha, Áustria e Bélgica, e que culminou num concerto em casa, no Hard Club do Porto. Os Astrodome percorreram as salas e pequenos festivais de cidades como Leiria, Viana do Castelo, Aveiro e Caldas da Rainha, e tocaram ainda no SonicBlast Moledo e no Rodellus, entre outros.

22

João Farinha & Fado ao Centro

Quarta, 28 novembro, 21h30, Sala 2 | €15

Foi a Pessoa, por intermédio de Ricardo Reis, que João Farinha pediu emprestado o título para o seu disco e concerto em nome próprio, mas criado no “seu” Fado ao Centro. “Sim” percorre novos caminhos para o fado de Coimbra, com novos instrumentos, abordagens e sonoridades, cantando as palavras dos poetas com o amor sempre em pano de fundo, também as mágoas, a saudade e a força que só se encontra num chão semeado de amigos e partilha.

23

Giovanni Guidi

Quinta, 29 novembro, 22h, Café Casa da Música | Entrada livre

O pianista italiano Giovanni Guidi é um valor reconhecido do jazz europeu, com vários prémios conquistados e colaborações frequentes com o célebre trompetista Enrico Rava. Apresenta-se pela primeira vez a solo no Café Casa da Música para interpretar composições originais, temas de Brian Eno, Tom Waits, Osvaldo Farres, Leo Ferrè e standards de jazz.

24

La Valse!

Sexta, 30 novembro, 21h30, Sala Suggia | €19-€23

Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

Baldur Brönnimann direção musical

Joly Braga Santos Sinfonia nº 4

Maurice Ravel La Valse

 La Valse” é uma homenagem à dança mais emblemática de Viena, a capital do País-Tema 2018 na Casa da Música.

Joly Braga Santos foi o maior sinfonista português de sempre, com um total de seis sinfonias para orquestra no seu catálogo.

Procurava recuperar o monumentalismo musical perdido nas gerações que lhe precederam, e contribuir para a afirmação de um sinfonismo latino. A “Quarta Sinfonia” é precisamente a mais grandiosa do conjunto, com ecos de Bruckner, Sibelius ou Beethoven. A influência da “Sinfonia Coral” deste último faz-se ouvir no último andamento, um Hino à Juventude brilhante e contagiante.

 25

Flauta Mágica Vista da Lua

Sábado, 1 dezembro, 16h, Sala 2 | €7,50

Mário João Alves direção artística e interpretação

Ângela Alves, Gabriel Neves dos Santos e João Tiago Magalhães interpretação

Ópera Isto coprodução

 

Estreada no início do Ano da Áustria na Casa da Música, esta ópera cantada em português leva a “Flauta Mágica” ao espaço. Na estação lunar do sábio Sarastronauta, por uma nova história, respira o essencial da obra-prima do repertório clássico: a extraordinária riqueza musical, alguns personagens memoráveis e a luta épica do bem contra o mal que domina o libreto. A caminho das estrelas revela-se, uma vez mais, a genialidade de Mozart, o intergaláctico.

26

Fausto Bordalo Dias - A Trilogia

Sábado, 1 dezembro, 21h30, Sala Suggia | €30

Fausto Bordalo Dias, apologista da música e da cultura em português, propõe-se revisitar neste espetáculo cada um dos discos que compõem a sua trilogia sobre a Diáspora Lusitana: os álbuns “Por este rio acima”, “Crónicas da terra ardente” e “Em busca das montanhas azuis”, referências da música popular portuguesa.

Fausto compõe cada álbum de originais como quem conta uma história, da primeira à última canção. Dizem os seus admiradores que cada um dos seus discos devia ser escutado “de guião em punho”, como quem vai à ópera.

27

Harlem Gospel Choir

Segunda e terça, 3 e 4 dezembro, 21h, Sala Suggia | €30

Pelo décimo ano consecutivo, o Harlem Gospel Choir troca Nova Iorque por Portugal para nos oferecer um Natal diferente, igualmente espiritual, festivo e capaz de unir toda a família em torno de algumas das mais celebradas canções do mundo.

O Harlem Gospel Choir, talvez o mais famoso grupo de gospel do mundo neste momento, já trouxe a Portugal espetáculos de homenagem a gigantes da música como Michael Jackson, Stevie Wonder ou Whitney Houston, Adele ou Beyoncé, compositores e interpretes de méritos mais do que reconhecidos que nas experientes vozes deste grupo se tornam também autores de hinos universais capazes de exprimir o espírito de uma época muito especial.

Desta vez, o Harlem Gospel Choir propõe ao seu fiel público e a quem os queira agora descobrir uma viagem pelos maiores êxitos da sua muito celebrada carreira. Este grupo, que já cantou ao lado ou para gente tão importante como Nelson Mandela, o papa João Paulo II, Paul McCartney, Diana Ross, U2 ou Gorilaaz, entre tantos outros, tem quase três décadas de história, percurso relevante que lhes permitiu coleccionar muitos sucessos que agora se traduzem num envolvente espectáculo, capaz de elevar os espíritos e de inundar de paz qualquer plateia.

O convite é para uma celebração muito especial e dirige-se a toda a família. A banda sonora, essa, será de luxo e entregue com o inimitável estilo do Harlem Gospel Choir.

28

ESMAE Big Band

Terça, 4 dezembro, 19h30, Sala 2 | €10

Ao longo dos anos, aquele que foi o primeiro curso superior de jazz do país tem alimentado o circuito nacional com músicos criativos e projetos de alto nível artístico. Este é o concerto em que os alunos do Curso de Jazz da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo mostram a sua escrita para um formato exigente, a big band, apresentando-se num papel misto de compositores, arranjadores e intérpretes. Sem espartilhos estilísticos, aqui se poderá ouvir um esboço do futuro do jazz em Portugal.

29

Patrick Watson

Quarta, 5 dezembro, 21h30, Sala Suggia | €30-€35

Patrick Watson está de regresso com um novo álbum, "Melodie Noire", e com ele uma luxuosa tournée em território nacional.

Tendo tocado em Portugal pela última vez em 2015, já tínhamos saudades deste canadiano, que continua a surpreender o "mundo" com a sua originalidade e genialidade.

Acarinhado pelo público português e com uma paixão muito especial pelo nosso país. Patrick Watson e os seus acompanhantes do costume prometem novamente uma viagem "sonora" inesquecível, repleta de ambientes fantásticos aos quais já nos habituaram através dos inúmeros discos e concertos esgotados ao longo dos tempos.

Para além dos novos temas, não faltarão clássicos como "To Build A Home", entre outros...

30

Lukáš Vondrá?ek

Sábado, 8 dezembro, 18h, Sala Suggia | €20-€24

Lukáš Vondrá?ek piano

Fryderyk Chopin Polonaise-Fantasie, op.61

Ludwig van Beethoven Sonata nº 30, op.109

Franz Schubert Sonata em Si bemol maior, D.960

Desde a última vez em que atuou na Casa da Música, num recital memorável, Lukáš Vondrá?ek juntou ao seu palmarés mais um importantíssimo prémio internacional, com a vitória no Concurso de Piano Rainha Isabel 2016 em Bruxelas – sucedendo a figuras como Emil Gilels e Vladimir Ashkenazy. Mas já então o pianista checo era presença habitual como solista junto das grandes orquestras europeias e americanas. O seu regresso à Sala Suggia inicia-se num registo simultaneamente épico e lírico, com a “Polonaise-Fantasie” de Chopin, prosseguindo para sonatas monumentais de Beethoven e Schubert num programa composto de obras favoritas do público.

 

 

e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária

Faixa publicitária