Faixa publicitária

Cinderela | A minha vida de Courgette | Vozzzzzzzzzz! | Invited, Teatro Municipal Campo Alegre

teatro_camp_alegre4Cinderela

15 e 16 dezembro, 11h, Teatro Municipal Campo Alegre

Esta não é uma Cinderela tradicional. Há uma reescrita, um tanto ou quanto anacrónica, da história tradicional, a partir das versões de Perrault e Grimm.

Personagens saídos de outros contos de fadas “caem do céu” para dificultar a vida a Cinderela. Há uma Bruxa Má que detesta histórias com final feliz e um Lobo Mau disfarçado de GNR a patrulhar as estradas da floresta. Os Sete Anões são chamados para salvar a Cinderela de morte certa, na sua qualidade de especialistas em técnicas de salvamento de meninas envenenadas. A Fada Madrinha é uma tia irascível e ajusta contas com a Bruxa Má, num combate de wrestling. No final Cinderela casa mesmo com o príncipe e têm muitos filhos, para descanso de todos.

Encenação, texto e cenografia João Paulo Seara Cardoso | Marionetas a partir de desenhos de João Vaz de Carvalho | Música Paul Ferrer | Figurinos Pedro Ribeiro | Coordenação de movimento Isabel Barros | Desenho de luz António Real e Rui Pedro Rodrigues | Produção Sofia Carvalho | Interpretação Micaela Soares, Shirley Resende e Vítor Gomes | Coprodução Teatro de Marionetas do Porto, Auditório de Espinho, FIMS - Chão de Oliva

teatro_camp_alegre5A minha vida de Courgette

15 dezembro, 11h30 + 15h | 16 dezembro, 11h30, Teatro Municipal Campo Alegre

Courgette é uma alcunha curiosa para um rapaz de nove anos. Porém, a sua história única é surpreendentemente universal.

Após o desaparecimento da sua mãe, Courgette torna-se amigo do polícia Raymond, que o acompanha ao orfanato, cheio de outros jovens da sua idade. No início, tem de lutar para encontrar o seu espaço nesse ambiente estranho e por vezes hostil. Mesmo assim, com a ajuda de Raymond e dos seus novos amigos, Courgette acaba por aprender a confiar e pode ser que encontre o verdadeiro amor.

teatro_camp_alegre7Vozzzzzzzzzz!

15 e 16 dezembro, 12h30 + 20h15, Teatro Municipal Campo Alegre | Entrada gratuita

Que sons têm muitas vozes sozinhas, que som faz a voz de um grupo, que sons têm muitas vozes juntas?

E como pode o corpo ser palco e instrumento de participação artística e criativa? Um conjunto de performances de carácter mais ou menos formal procurará inspirar-se nos conceitos, percursos, trabalhos e imagéticas desenvolvidas no programa global deste “Foco Famílias", para experimentar respostas a estas perguntas. A nossa voz, as nossas vozes, poderão assim sugerir mais perguntas e descobertas.

Coordenação e gestão do projeto ondamarela | Direção artística Ricardo Baptista e Luís Arrigo | Com a participação de um grupo de alunos da Academia de Música de Vilar do Paraíso

teatro_camp_alegre8Invited

15 dezembro, 16h + 19h | 16 dezembro, 16h, Teatro Municipal Campo Alegre

“Vejo-me como alguém que cria ligações entre gerações, usando a dança como linguagem. Acredito que há uma grande força nisso.” Seppe Baeyens

Em “Invited”, Baeyens procura dar a sua resposta artística à questão de como é que o público pode ajudar a escrever a coreografia de uma performance. Tomando a dança como uma linguagem comum, procura uma forma alternativa de vivermos juntos e desvanecer as fronteiras entre intérpretes e público. Este espetáculo é composto por um grupo intergeracional de intérpretes que reflete a sociedade contemporânea. O público desempenha um papel fundamental e terá a oportunidade de assumir o controlo. O dispositivo cénico divide e une, aparece e desaparece, guiando quer os intérpretes, quer o público, através da história coletivamente escrita.

Direcção e coreografia Seppe Baeyens | Em criação com Emile Van Puymbroeck, Luke De Bolle, Chisom Onyebueke Chinaedu, Leonie Van Begin, Rosa Boateng, Oihana Azpillaga, Ischa Beernaert, Esther Motuanya, Roel Faes, Trui De Mulder, Adnane Lamarti, Seppe Baeyens, Frank Brichau, Stephan Verlinden, Elisabeth Wolfs, Leon Gyselynck | Música original ao vivo Stef Heeren, Kwinten Mordijck, Karen Willems | Dramaturgia Kristin Rogghe | Cenografia e desenho de luz Ief Spincemaille | Figurinos Lieve Meeussen | Produção Seppe Baeyens / Ultima Vez & KVS

teatro_camp_alegre6Quintas de Leitura: Que se Freud

20 dezembro, 22h, Teatro Municipal Campo Alegre

O título de um poema de Joaquim Castro Caldas, poeta falecido há 10 anos e grande impulsionador das noites do Pinguim Café, inspira esta sessão.

“Aos 80 que se Freud / porque a morte”. Pedro Lamares irá recordar-nos, em jeito de homenagem, alguns textos deste insurgente poeta. Saudades de chumbo. O coletivo poético “O Copo” vem comemorar ao Campo Alegre os seus 20 anos de existência. Nuno Moura e Paulo Condessa irão recordar-nos alguns momentos das suas relampejantes passagens por este ciclo poético. Cesariny, Adília e O`Neill no cardápio. Tempo ainda para Renato Filipe Cardoso apresentar a sua performance poética “Nunca te Foram ao Céu?”. Vetusto e insigne, o eclesiástico Sem Frei na Língua celebra a divindade celestial da Poesia, invocando ao altar alguns dos mais sarcásticos e irreverentes espíritos do verso e do reverso. Três momentos, três sopros de Vida, abençoados com a pintura surrealizante de Mário Vitória. O Campo Alegre a caminho de A(MAR-TE). E, como se não bastasse, anunciamos ainda a sensualidade e o vislumbre acrobático da bailarina Liliana Garcia. Mathilda, acompanhada pelo one-man band Gobi Bear, e Homem em Catarse dão música a esta festa da poesia. Porque “a poesia é tudo o que nasceu com asas a cantar”.

Teatro Municipal Campo Alegre

Rua das Estrelas s/n

4150-762 Porto

e-max.it: your social media marketing partner
Faixa publicitária
Faixa publicitária