Faixa publicitária

Oleanna | A Pior Comédia do Mundo, até 24 fev | Tarzan O Musical, Teatro Sá da Bandeira

teatro_sa_band3Oleanna

21 fevereiro a 17 março*,  quarta a domingo, 21h, Teatro Sá da Bandeira

Em “Oleanna”, pulsam temas como o assédio sexual, o politicamente correto, a liberdade de expressão, a rape culture no campus universitário, em diálogos sobrepostos e intrigantes mal-entendidos. Em segundo plano, o enredo radica no realismo, enquanto se queimam pontes.

“Ninguém está certo e ninguém está errado.”, dizia Mamet aquando da estreia.

'Oleanna' de David Mamet  | versão de Pedro Mexia | encenação Ricardo Pais

| instalação cenográfica Filipe Cortez | luz Nuno Meira | interpretação Mafalda Lencastre, Pedro Almendra e um telefone

* exceto dias 6, 7, 8, 9 e 10 março

teatro_sa_band9A Pior Comédia do Mundo

Até 24 fevereiro, quinta a sábado 21h30 | domingo 16h, Teatro Sá da Bandeira

E se de repente a porta dos bastidores se abrisse e o espectador tivesse acesso ao que por lá se passa?

Um olhar alucinante sobre o teatro e as loucuras e devaneios dos que o fazem, cujas tendências para crises descontroladas de ego, falhas de memória e alguma promiscuidade transformam cada atuação numa verdadeira aventura de alto risco.

“A Pior Comédia do Mundo” não é só uma peça, mas sim duas: simultaneamente um espetáculo de comédia e o drama de bastidores que se desenvolve durante a sua preparação. Através de três momentos chave – o ensaio geral, a noite de estreia e um espetáculo no fim de uma atribulada digressão –, acompanhamos a crescente tensão entre os membros de um elenco à beira de um colapso nervoso coletivo.

“A Pior Comédia do Mundo”, no original “Noises Off”, foi levado a cena pela primeira vez em 1982. Da autoria de Michael Frayn, é considerado por muitos críticos como o melhor texto de comédia escrito no século XX. Desde a estreia até à atualidade, contou com inúmeras reposições nas mais prestigiadas salas do mundo – do West End à Broadway. Foi nomeada para o Tony de Melhor Espetáculo de Comédia e recebeu os prémios Evening Standard e Olivier, na mesma categoria, entre outras distinções.

Texto Michael Frayn | encenação Fernando Gomes | tradução Ana Sampaio | cenografia Eric da Costa | música Filipe Melo e Nuno Rafael | figurinos José António Tenente | desenho de luz Luís Duarte | coprodução Força de Produção e Teatro da Trindade INATEL | com Ana Cloe, Cristóvão Campos, Elsa Galvão, Fernando Gomes, Inês Aires Pereira, Jorge Mourato, José Pedro Gomes, Paula Só e Samuel Alves

teatro_sa_band2Tarzan O Musical

23 e 24 fevereiro, 2, 3, 9 e 10 março, sábado 16h | domingo 11h30, Teatro Sá da Bandeira

Uma família britânica viaja num barco ao largo de África. Surpreendido por uma violenta tempestade, o barco afunda-se mas dão à costa são e salvos. Completamente sós na selva africana aprendem a conviver com os animais, principalmente os orangotangos e macacos.

Mas um Tigre vem perturbar este equilíbrio e Tarzan, com a morte dos seus pais ainda bébé, acaba por ser criado pelos macacos. Os anos passam e Tarzan cresce forte e resistente e consegue comunicar facilmente com os animais. Um dia aparece um grupo de exploradores europeus, entre os quais uma bela jovem, Jane, que irá travar conhecimento com Tarzan e ajudá-lo a descobrir a sua verdadeira história. O líder da expedição, um caçador sem escrúpulos, vê em Tarzan uma maneira fácil de ganhar dinheiro apresentando-o na Europa como o verdadeiro Homem-Macaco. Após muitas aventuras, Tarzan e Jane acabam juntos em África onde irão permanecer em perfeita harmonia com a natureza.

A história do homem da selva é agora apresentada em musical pela ViVonstage, por um elenco com mais de 15 atores e cantores, seis bailarinos e acrobatas, músicos e ainda um coro de crianças. Com efeitos especiais de cortar a respiração, cenários fantásticos, voos e acrobacias, iremos viver intensamente as aventuras de Tarzan na selva africana com os seus amigos!

teatro_sa_band4Diogo Faro - Lugar Estranho

1 março, 21h30, Teatro Sá da Bandeira

Como é que ainda aqui estamos? Como é que já quase se imprimem órgãos humanos e ainda andamos a discutir igualdade de género? Como é que já entregam fast food em casa em dias de ressaca e o racismo ainda é um tão grande assunto? Porque é que gasto mais em Segurança Social do que em viagens? E será que há vida depois da morte, nas redes sociais (onde realmente importa)? São tantas, talvez demasiadas, as dúvidas que me vêm deste lugar estranho.

teatro_sa_band5Os piratas também se apaixonam

9 e 10 março, 15h30 + 17h, Teatro Sá da Bandeira

“Mas meu amo é um apaixonado

Que adoro um rabo de saia

E eu continuo esfomeado

Por causa de tanta catraia

Nada tenho contra as senhoras

São cheirosas e dão-lhe carinho

Mas nada melhor que um bom rum

Tremoços e um leitãozinho

Eu sou o Piramouco, meu amo é o Piratudo e nesta ilha a sua amada é a primeira que aparecer!”

Os Piratas também se apaixonam!!

Uma comédia imperdível para toda a família!!

teatro_sa_band6Sexo, Drogas e Rock n’Roll

29 e 30 março, 21h30, Teatro Sá da Bandeira

Aldo Lima sobe ao palco em “Sexo, Drogas e Rock n’Roll”, o icónico e incontornável texto de Eric Bogosian.

Através de um rol de personagens masculinas frenéticas e brilhantemente desenhadas, “Sexo, Drogas e Rock n’ Roll” esboça um comentário hilariante e mordaz sobre assuntos que nos assombram a todos, num one man show imperdível onde Aldo Lima está como peixe na água: sozinho em palco e pronto para tudo neste retrato humorístico e mordaz da sociedade moderna contemporânea.

Texto Eric Bogosian | encenação Marco Medeiros | tradução Pedro Gorman | espaço cénico Marco Medeiros | desenho de luz Luís Duarte | com Aldo Lima | produção Força de Produção

teatro_sa_band7Modo Voo por Guilherme Geirinhas

9 abril, 22h, Teatro Sá da Bandeira

Guilherme Geirinhas larga as redes sociais e entra em modo voo para nos trazer o seu primeiro espetáculo de stand up a solo.

Quem o acompanha online, terá aqui a oportunidade de o ver ao vivo, sem filtros e com máxima resolução de megapíxeis, mas chega de me promover na terceira pessoa como se não tivesse sido eu a escrever isto. Venham daí, não me cortem as asas.

Teatro Sá da Bandeira

Rua de Sá da Bandeira 108 - 4000 Porto

Telf: 222 00 25 50

e-max.it: your social media marketing partner