BPI

Agustina Bessa-Luís dá nome a novo avião da TAP

Agustina Bessa-Luís dá nome a novo avião da TAP

“Uma das maiores escritoras do mundo literário português contemporâneo vai poder continuar a contar as suas grandes histórias. Mas, desta vez, entre as nuvens”, anunciou a TAP Air Portugal, que batizou o novo Airbus de Agustina Bessa-Luís.

Depois de este ano já ter batizado aviões como os nomes de Zé Pedro, Carlos Paredes, Agostinho da Silva, e mais recentemente D. Maria I ou Amélia Rey Colaço, a TAP presta agora homenagem a Agustina Bessa-Luís, que faleceu no passado dia 3 de junho. 

Uma “homenagem à que é considerada uma das maiores escritoras do mundo literário português contemporâneo” e que “deixou um vasto legado no património literário e cultural”, salienta a TAP em comunicado.

De recordar que são várias as personalidades da cultura portuguesa já homenageadas pela companhia aérea, nomeadamente Camões, Gil Vicente, Fernando Pessoa, José Saramago, Sophia de Mello Breyner Andresen, Almada Negreiros​ e Manoel de Oliveira.

Nascida a 15 de outubro de 1922, em Vila Meã, Amarante, Agustina Bessa-Luís é autora de obras como “”A Sibila” e “Fanny Owen”. Escreveu romances, contos, peças de teatro, biografias romanceadas, crónicas de viagem, ensaios e livros infantis. Foi traduzida para alemão, castelhano, dinamarquês, francês, grego, italiano e romeno.

Vários dos seus romances foram adaptados ao cinema pelo realizador Manoel de Oliveira. Exemplos desta parceria são “Fanny Owen” (Francisca, 1981), “Vale Abraão” (filme homónimo, 1993), “As Terras do Risco” (O Convento, 1995) ou “A Mãe de um Rio” (Inquietude, 1998). Foi também autora de peças de teatro e guiões para televisão, tendo o seu romance “As Fúrias” sido adaptado para teatro e encenado por Filipe La Féria, (Teatro Nacional D. Maria II, 1995).

Foi distinguida com o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada, a 9 de abril de 1981, tendo sido elevada ao grau de Grã-Cruz da mesma ordem a 26 de janeiro de 2006.

Em 2005, foi-lhe atribuído o título de doutor honoris causa pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Em 2004, aos 81 anos, recebeu o mais importante prémio literário da língua portuguesa, o Prémio Camões. Segundo a Wikipedia, na ata do júri da XVI edição do Prémio, pode ler-se que “o júri tomou em consideração que a obra de Agustina Bessa-Luís traduz a criação de um universo romanesco de riqueza incomparável que é servido pelas suas excepcionais qualidades de prosadora, assim contribuindo para o enriquecimento do património literário e cultural da língua comum”.

Foto: TAP

Viva! no Instagram. Siga-nos.