Pingo Doce

Campanhã concentra a atenção do mercado imobiliário

Campanhã concentra a atenção do mercado imobiliário

Das nove Áreas de Reabilitação (ARU) do Porto, foi na de Campanhã que se venderam mais prédios em 2018, ficando à frente da ARU da Baixa e destronando a do Centro Histórico, revelou a Confidencial Imobiliário.

Segundo o site Confidencial Imobiliário, os 130 imóveis vendidos na freguesia de Campanhã no ano passado representam já 26% das transações monitorizadas por esta empresa, bem acima, por exemplo, do Centro Histórico, cujo peso recuou para 16%, tendo sido vendidos aqui, em 2018, 85 imóveis com áreas até 500 m2.

No total da área abrangida pelo SIR-RU – uma ferramenta de ‘market intelligence’ para os profissionais do mercado imobiliário que operam na reabilitação urbana -, que cobre as nove ARUs da cidade do Porto, foram vendidos 520 prédios (com áreas até 500 m2). “O eixo de Campanhã está, assim, à frente da ARU da Baixa, que apresenta uma quota de 22% (também com mais de 100 imóveis transacionados), e destrona a ARU do Centro Histórico, cujo peso recuou de 23% em 2017 para 16% em 2018 (equivalente à transacção de 85 prédios)”, lê-se no comunicado da empresa, citada pelo Diário de Notícias.

“A zona oriental do Porto é considerada um eixo estratégico para o crescimento da cidade e Campanhã está a emergir, nesse contexto, como o núcleo de maior potencial. Tem diversos projetos estruturantes previstos nas áreas de mobilidade e urbanismo, e também o mercado imobiliário começa a reconhecer o potencial de regeneração e valorização deste eixo. A evolução observada na venda de prédios, que é um segmento onde ainda predomina muito a compra para posterior requalificação, é uma prova disso”, afirmou Ricardo Guimarães, diretor da Confidencial Imobiliário, citado pela mesma publicação.

Segundo a empresa, em Campanhã, os prédios foram transacionados por um preço médio de 1.559 euros/m2, um valor abaixo quer dos 2.126 euros/m2praticados no Centro Histórico quer dos 1.903 €/m2 da Baixa. Na zona da Lapa, tal valor fica em 1.423 €/m2, abaixo dos praticados, em média, na zona Oriental.

No ano passado, a ARU de Campanhã registou um preço médio de venda da habitação de 2.140 euros/m2, uma evolução positiva face ao ano anterior (1.482 Euro/ m2), indicam ainda os dados apurados no âmbito do SIR-Reabilitação Urbana.

No que diz respeito àsvendas residenciais, também a procura evoluiu de forma muito positiva, aumentando três vezes face ao ano anterior.

“Assim, se em 2017 este território gerou 8% das vendas realizadas no mercado analisado no âmbito do SIR-Reabilitação Urbana em 2018 esse peso reforçou-se para 12%”, lê-se no comunicado.

A ARU de Campanhã tem como eixo central a Estação e a estrutura ferroviária, abrangendo parte das freguesias do Bonfim e de Campanhã.

Viva! no Instagram. Siga-nos.