Pingo Doce

Sugestões Casa da Música

Sugestões Casa da Música

André Rosinha Quinteto
Terça, 23 julho, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
O contrabaixista André Rosinha traz à Casa da Música a formação com a qual gravou o disco de originais “Pórtico”, que conquistou a crítica logo após o seu lançamento no final de 2017. Ao seu lado, conta com a cumplicidade de um conjunto de solistas com provas dadas e já indispensáveis no panorama do jazz nacional, resultando num som empolgante e em férteis diálogos improvisados.

Concerto Estágio Fundação Calouste Gulbenkian
Quarta, 24 julho, 21h, Sala Suggia | 10 €
Orquestra Estágio Gulbenkian
Joana Carneiro direção musical
Gustav Mahler Sinfonia nº 9, em Ré maior
Ludwig van Beethoven Abertura Leonore nº 3, op.72b
Lançado em 2013, o Estágio Gulbenkian para Orquestra, sob a direção artística da maestrina Joana Carneiro, é um projeto que promove a experiência orquestral de elevado nível técnico-artístico entre jovens instrumentistas e auxilia a transição entre a fase final da vida académica e a sua entrada no mundo profissional. Cerca de 80 músicos de talento excecional, entre os 17 e os 26 anos, são escolhidos através de rigorosas provas de seleção realizadas anualmente em vários locais do país. Grandes obras do repertório sinfónico são preparadas sob a orientação de tutores especializados e de maestros com alargada experiência neste domínio.

GP-AMVP Grupo de Percussão da Academia de Música de Vilar do Paraíso
Quarta, 24 julho, 21h30, Esplanada | Entrada livre
O Grupo de Percussão da Academia de Música de Vilar do Paraíso tem já um longo percurso de 15 anos, com participações em inúmeros concertos, peças de teatro e dança e festivais. Tem um disco editado e outro em fase de masterização. Recentemente ganhou o 1º prémio no Festival Internacional de Música para Jovens de Neerpelt. Neste concerto, apresenta uma retrospetiva da história do rock desde os anos 50 à atualidade, passando por Chuck Berry, Beatles, Frank Zappa, Led Zeppelin, Doors, Ornatos Violeta e muitas outras bandas. Tudo em instrumentos de percussão.

VIII Estágio Nacional da Orquestra Sinfónica de Jovens AMCC
Concerto de Encerramento
Quinta, 25 julho, 21h30, Sala Suggia | 10 €
Cesário Costa direção musical
Emídio Ribeiro Viola d’Arco
George Gershwin Um Americano em Paris
Joly Braga Santos Concerto para viola, op.34
Edvard Grieg Danças Sinfónicas, op.64
Os alunos da Academia de Costa Cabral apresentam um programa apelativo e exigente neste concerto que assinala a despedida do ano letivo. “Um Americano em Paris” é uma das obras-primas de Gershwin e traduz precisamente as impressões de um americano que passeia pelas ruas da Cidade Luz, procurando captar os seus ruídos e a sua atmosfera. Depois de uma obra concertante assinada por uma referência incontornável da música sinfónica nacional, o programa completa-se com quatro danças célebres de Grieg construídas sobre melodias tradicionais norueguesas.

Eliane Salek
[Super Bock Unlock]
Quinta, 25 julho, 22h, Esplanada | Entrada livre
Cantora, pianista e compositora, Eliane Salek apresenta-se em trio com o baterista/ percussionista Carlos César e o contrabaixista Tiago Mourão. O repertório estende-se dos temas originais aos standards da bossa nova e do samba/jazz, passando por autores como João Donato, Caetano Veloso, Chico Buarque, Cole Porter, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho e Jacob do Bandolim, entre outros. Cantora no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Eliane atuou por 19 anos no coro e como solista. Dedica-se também ao universo da música popular e do jazz, tocando ao lado de grandes nomes da MPB como Toquinho, Paulinho da Viola, Sivuca, Elizeth Cardoso e Zeca Pagodinho, entre outros.

Fado à Mesa
Sexta, 26 julho, 20h30, Restaurante | 39,5 €
Mensalmente, o Restaurante Casa da Música torna-se uma verdadeira Casa de Fados, em que o fado é “servido à mesa” por intérpretes de eleição, honrando a nossa melhor tradição, mas também a contemporaneidade da canção portuguesa por excelência.

Cordel
[Super Bock Unlock]
Sexta, 26 julho, 22h, Esplanada | Entrada livre
Cordel é o novo do projeto que une Edu Mundo, poeta e natural contador de histórias, e João Pires, compositor, guitarrista e geógrafo de uma cartografia musical própria – uma dupla de cantautores que tem escrito para artistas como Ana Moura, Aline Frazão, Sara Tavares, António Zambujo e Omara Portuondo. Um mergulho profundo nas raízes da música portuguesa e nas suas ramificações lusófonas, sem rótulos nem embalagens, entrançando sonoridades tradicionais, como a chula, o vira, o fado canção e até a marcha popular, com os ritmos das latitudes africanas e brasileiras. Nas letras, recupera-se a poesia popular da literatura de cordel.

Good Times
Orquestra Jazz de Matosinhos convida Fay Claassen | Matosinhos em Jazz

Sexta, 26 julho, 22h, Praça Guilhermina Suggia/Matosinhos | Entrada livre
A música vocal regressa às estantes da big band de Matosinhos no encontro com uma cantora de referência do panorama jazzístico europeu. A profundidade emocional das suas interpretações e o domínio da improvisação fazem de cada atuação da cantora holandesa Fay Claassen um momento único e imperdível.

Encontro de Bandas Filarmónicas
Sábado, 27 julho, 15h, Casa da Música | Entrada livre
domingo, 28 julho, 15h, Casa da Música | Entrada livre
O Verão é tempo de arruadas e romarias, onde marcam presença invariavelmente as inúmeras bandas que por todo o país mantêm actividade, muitas delas já centenárias. É também altura para mais um Encontro de Bandas na Casa da Música, onde a tradição não é esquecida e se evoca em arruadas vespertinas no exterior do edifício. Num encontro que se pretende enriquecedor para o público e para os participantes, fomentando as trocas de experiências entre os “músicos filarmónicos”, as bandas convidadas sobem depois ao palco da Sala Suggia para se apresentarem em concerto, com programas que variam entre as aberturas e rapsódias históricas e os novos e desafiantes repertórios contemporâneos.

An Evening with Avishai Cohen
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música convida Avishai Cohen Trio | Matosinhos em Jazz

Sábado, 27 julho, 22h, Praça Guilhermina Suggia/Matosinhos | Entrada livre
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Avishai Cohen Trio
Bastien Stil direção musical
Ao longo das duas últimas décadas, o baixista, cantor, compositor e visionário do jazz Avishai Cohen conquistou um lugar de topo entre os músicos da sua geração. As suas composições refletem um universo musical amplo e abarcam uma grande mistura de tradições, culturas, línguas e estilos. Ao lado da Orquestra Sinfónica Casa da Música, o trio de Avishai junta o mundo do jazz ao da música clássica, apresentando composições do baixista com linguagens próximas do jazz contemporâneo e das músicas do mundo, orquestrações de canções tradicionais hebraicas e ladinas e peças do repertório clássico, sempre com espaço para a improvisação. Uma experiência estimulante apresentada pela Casa da Música no Matosinhos em Jazz, num concerto de entrada livre com o apoio da Câmara Municipal de Matosinhos.

Tika
[Super Bock Unlock]
Sábado, 27 julho, 22h, Esplanada | Entrada livre
A cantora Tika apresenta na Casa da Música o seu disco de estreia, “Unwritable”, lançado no final de 2017 pela YBmusic. Produzido pela própria cantora, o álbum junta nove originais e foi muito bem recebido pela imprensa brasileira. Apresenta o universo sensorial e feminino da artista, com influências da bossa nova e da pop. A sonoridade próxima da cena independente paulista é reforçada pelas parcerias com letristas como Rodrigo Campos e Alice Coutinho, Romulo Fróes e Clima. Natural de Rio Claro/SP, Tika é também vocalista da Banda Odara e do projecto Passarim30 (homenagem a Tom Jobim).

Miguel Xavier
Portugal a Gosto
Quinta, 1 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Miguel Xavier lançou o seu disco de estreia há um ano e é residente da casa da fados “O Mal Cozinhado”, no Porto. O fado chegou à sua vida muito cedo, e em 2015 vencia o Concurso de Fado da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, no Porto. Já conhecido do público da Casa da Música, onde foi revelado no ciclo dedicado aos novos valores do fado, participou ainda no Festival Caixa Alfama com uma apresentação em nome próprio.

Porto Pianofest
Orquestra Jazz de Matosinhos e João Paulo Esteves da Silva – “Bela Senão Sem”

Quinta, 1 agosto, 21h, Sala Suggia | 10 €
No seu concerto de abertura, o Porto Pianofest convida a Orquestra Jazz de Matosinhos e João Paulo Esteves da Silva, que apresentam um projeto de arranjos originais sobre composições deste pianista de referência do circuito do jazz nacional.
O Porto Pianofest é um festival internacional de piano que junta, em masterclasses e conferências, pianistas de renome a jovens estudantes, oferecendo à cidade uma semana de concertos e recitais por pianistas nacionais e internacionais. Dirigido por Nuno Marques, pianista português radicado em Nova Iorque, propõe-se fomentar o diálogo artístico transatlântico e apresentar a cultura como eixo de promoção da cidade.
O Porto Pianofest conta com a coprodução da Câmara Municipal do Porto e tem como principais apoios a Casa da Música, o Conservatório de Música do Porto, a Associação Comercial do Porto e a Universidade do Porto.

António Guerra
Super Bock Unlock
Quinta, 1 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Entre choros, maxixes, valsas e jazz, esses dois craques de gerações e formações distintas descobrem uma afinidade musical inesgotável. A união de Silvério Pontes (trompete), que sempre bebeu na fonte da música genuinamente carioca, o choro e o samba, com Antonio Guerra (piano), um concertista com a música negra no sangue, resultou muito rapidamente no primeiro CD do duo, Coração Brasileiro (Kuarup, 2018). O disco traz no repertório Pixinguinha, Radamés, Gil, Guinga e Chico Buarque, além de originais.

P’las Cordas da Guitarra
Portugal a Gosto
Sexta, 2 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
A sonoridade apaixonante da guitarra portuguesa é o mote para um concerto preenchido de tradição. Através das guitarradas, os instrumentistas dão largas ao seu virtuosismo e mostram uma vertente da identidade nacional que vai muito para lá do fado. P’las Cordas da Guitarra é uma ode aos instrumentistas e compositores que mais marcaram a evolução da guitarra portuguesa, incluindo peças de Armandinho, Carlos Paredes, Eduardo Jorge, José Carvalhinho, José Fontes Rocha e Pedro Caldeira Cabral, além de originais.

Queen Symphony – Orquestra Nacional de Jovens da Figueira da Foz
Sexta, 2 agosto, 21h30, Sala Suggia | 15 € – 20 €
A Glorious Experience Associação Cultural, em parceria com a Câmara Municipal da Figueira da Foz, apresenta o concerto da 12ª edição deste festival de reconhecimento nacional.
Durante 15 dias, cerca de 50 técnicos, maestros, professores, auxiliares estiveram com 200 jovens músicos oriundos de todo o pais para a realização de mais de 12 concertos.
Após a estreia a nível mundial por uma orquestra sinfónica de jovens ter sido pela Orquestra Nacional de jovens, em virtude da 6ª edição do Festival de Música da Figueira da Foz, eis que a obra Queen Symphony está de regresso para dar a grande temática da 12ª edição.
A obra será dirigida pelo diretor artístico e maestro titular da ONj Cristiano Silva.
Destaque para a participação da Camerata da Fundação Amazônica de Música oriunda do Brasil como orquestra convidada do Festival de Música da Figueira da Foz.

Ricardo Gordo convida Valéria Carvalho
Super Bock Unlock
Sexta, 2 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
“Retrato” é o mais recente trabalho do guitarrista Ricardo Gordo, uma figura destacada da nova geração da guitarra portuguesa. É pela voz da fadista Valéria Carvalho que este trabalho ganha vida, sendo o primeiro álbum cantado do guitarrista. Temas como “Ingratidão”, “Retrato” ou “Mau Cupido” resultam numa sonoridade única, que remete para uma mistura entre o fado e o rock, tal como o músico já nos havia habituado.

Adriana Paquete
Portugal a Gosto
Sábado, 3 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Adriana Paquete apresenta uma perspetiva singular do fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu – Amália Rodrigues, Fernanda Maria, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Beatriz da Conceição – e perpetuando o legado por elas deixado. Uma jovem fadista que nos emociona a cada verso cantado, Adriana Paquete participou nos festivais Caixa Ribeira 2015 e Caixa Alfama 2016, e em 2015 integrou o elenco do espetáculo Amália – Não sei porque te foste embora, no Coliseu do Porto.

Estágio D’Ouro
Sábado, 3 agosto, 21h30, Sala Suggia | 5 €
O Estágio D’Ouro nasceu da espontânea vontade de jovens músicos da Sociedade Filarmónica de Crestuma e dirige-se a instrumentistas de sopro e percussão interessados em desenvolver as suas capacidades ao nível do instrumento e da música de câmara. Depois do sucesso das edições anteriores, o 11º Estágio D’Ouro conta com a direção de Jan Cober, um dos nomes mais influentes do mundo na área da música para banda, que esteve pela primeira vez em Portugal há precisamente 25 anos, a dirigir um projeto idêntico a este.

Gordo e os Indecentes
Super Bock Unlock
Sábado, 3 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Gordo e os Indecentes é uma banda de rock oriunda de Portalegre. Sob a liderança da voz e da guitarra elétrica de Ricardo Gordo, tem como base uma secção rítmica de peso com Filipe Barbas na bateria, João Caeiro no baixo e Samuel Lupi na guitarra e na harmónica. Com três discos editados e distribuídos pela Ovação, estes indecentes garantem uma sonoridade única, com uma ousadia alentejana regada com os melhores sabores dos anos de ouro do rock.

Helena Sarmento
Portugal a Gosto
Domingo, 4 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Helena Sarmento tem esgotado algumas das salas mais importantes do país e apresenta- se em vários palcos da Europa. Faz parte do elenco das casas de fado “O Fado” e “Casa da Mariquinhas”, no Porto. Neste ciclo de concertos na Casa da Música, revisita os seus três discos, editados em todo o mundo pela prestigiada Sunset France, e ainda alguns clássicos ancorados na memória coletiva.

Francisco Moreira
Portugal a Gosto
Segunda, 5 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Com apenas 18 anos, Francisco Moreira, conta já com atuações em grandes salas do país como o Coliseu do Porto, o CCB, a Casa da Música ou o Campo Pequeno, participações em programas televisivos e também no Festival Caixa Alfama (2013 e 2014) e o Festival Caixa Ribeira (2015 e 2016). Foi recentemente finalista do The Voice Portugal 2018.

Fado Violado
Portugal a Gosto
Terça, 6 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Fado Violado prepara novo disco a lançar no outono. Depois de “Jangada de Pedra”, disco de estreia em que o fado e o flamenco se deixavam ver nitidamente, este segundo vem contaminado de outras músicas, tem mais África, mais Brasil, mais Portugal. Tendo sempre como base a interpretação de Ana Pinhal e a guitarra de Francisco Almeida, as novas melodias são, agora, arranjadas também por outros músicos de outras escolas. O espetáculo mantém-se intimista, mas o novo repertório convida a que o corpo se alevante.

Mariana Correia
Portugal a Gosto
Quarta, 7 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Mariana Correia parece ter em si toda a história do fado, transportando-nos numa viagem imensa desde os primórdios da canção nacional até aos dias de hoje. Lembra o melhor do antigo e acrescenta a modernidade que sentimos necessidade de escutar. Natural de Lisboa, emigrou para a Suíça em meados dos anos oitenta e durante três décadas levou o fado por terras helvéticas e cidades fronteiriças da Alemanha e França, atuando nas melhores salas desses países e tornando-se uma embaixadora desta música.

Miguel Xavier
Portugal a Gosto
Quinta, 8 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Miguel Xavier lançou o seu disco de estreia há um ano e é residente da casa da fados “O Mal Cozinhado”, no Porto. O fado chegou à sua vida muito cedo, e em 2015 vencia o Concurso de Fado da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, no Porto. Já conhecido do público da Casa da Música, onde foi revelado no ciclo dedicado aos novos valores do fado, participou ainda no Festival Caixa Alfama com uma apresentação em nome próprio.

Max Moon
Super Bock Unlock
Quinta, 8 agosto, 22h, Esplanada | Entrada Livre
A partir da vontade de criar uma sonoridade incomum mas ainda assim familiar, o baixista Ivo Xavier decidiu formar o projeto Max Moon Trio. Nos saxofones conta com Hristo Goleminov e Lucas Martinez e na bateria Diogo Alexandre.

P’las Cordas da Guitarra
Portugal a Gosto
Sexta, 9 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
A sonoridade apaixonante da guitarra portuguesa é o mote para um concerto preenchido de tradição. Através das guitarradas, os instrumentistas dão largas ao seu virtuosismo e mostram uma vertente da identidade nacional que vai muito para lá do fado. P’las Cordas da Guitarra é uma ode aos instrumentistas e compositores que mais marcaram a evolução da guitarra portuguesa, incluindo peças de Armandinho, Carlos Paredes, Eduardo Jorge, José Carvalhinho, José Fontes Rocha e Pedro Caldeira Cabral, além de originais.

Téo Ruiz & Estrela Leminski
Super Bock Unlock
Sexta, 9 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Estrela Leminski e Téo Ruiz não são um casal de músicas fofas. “Tudo que não quero falar sobre amor”, o novo disco dos compositores, traz canções com temas diversificados que não tratam do amor clichê romântico. Na contramão da lógica da indústria musical, decidiram lançar os videoclipes antes do álbum. O som é pop com ruído, urbano e contemporâneo, e apresenta-se ao vivo de forma tridimensional num espetáculo multimédia.

Adriana Paquete
Portugal a Gosto
Sábado, 10 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Adriana Paquete apresenta uma perspetiva singular do fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu – Amália Rodrigues, Fernanda Maria, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Beatriz da Conceição – e perpetuando o legado por elas deixado. Uma jovem fadista que nos emociona a cada verso cantado, Adriana Paquete participou nos festivais Caixa Ribeira 2015 e Caixa Alfama 2016, e em 2015 integrou o elenco do espetáculo Amália – Não sei porque te foste embora, no Coliseu do Porto.

André Rio
Super Bock Unlock
Sábado, 10 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Todos os anos desde 1998, André Rio difunde a cultura pernambucana pelo continente europeu. O concerto passeia pelos mais variados ritmos da música pernambucana e do nordeste brasileiro, sempre com diversos convidados que representam fielmente a música verde e amarela. O espetáculo de 2019 baseia-se no CD “Rosa de Cheiro”, lançado recentemente, que inclui composições de André Rio e canções de grandes poetas e artistas do nordeste brasileiro, do forró e do xote às marchinhas, passando pelo samba, o maracatu e o centenário frevo.

Francisco Moreira
Portugal a Gosto
Segunda, 12 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Com apenas 18 anos, Francisco Moreira, conta já com atuações em grandes salas do país como o Coliseu do Porto, o CCB, a Casa da Música ou o Campo Pequeno, participações em programas televisivos e também no Festival Caixa Alfama (2013 e 2014) e o Festival Caixa Ribeira (2015 e 2016). Foi recentemente finalista do The Voice Portugal 2018.

Fado Violado
Portugal a Gosto
Terça, 13 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Fado Violado prepara novo disco a lançar no outono. Depois de “Jangada de Pedra”, disco de estreia em que o fado e o flamenco se deixavam ver nitidamente, este segundo vem contaminado de outras músicas, tem mais África, mais Brasil, mais Portugal. Tendo sempre como base a interpretação de Ana Pinhal e a guitarra de Francisco Almeida, as novas melodias são, agora, arranjadas também por outros músicos de outras escolas. O espetáculo mantém-se intimista, mas o novo repertório convida a que o corpo se alevante.

Mariana Correia
Portugal a Gosto
Quarta, 14 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Mariana Correia parece ter em si toda a história do fado, transportando-nos numa viagem imensa desde os primórdios da canção nacional até aos dias de hoje. Lembra o melhor do antigo e acrescenta a modernidade que sentimos necessidade de escutar. Natural de Lisboa, emigrou para a Suíça em meados dos anos oitenta e durante três décadas levou o fado por terras helvéticas e cidades fronteiriças da Alemanha e França, atuando nas melhores salas desses países e tornando-se uma embaixadora desta música.

Miguel Xavier
Portugal a Gosto
Quinta, 15 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Miguel Xavier lançou o seu disco de estreia há um ano e é residente da casa da fados “O Mal Cozinhado”, no Porto. O fado chegou à sua vida muito cedo, e em 2015 vencia o Concurso de Fado da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, no Porto. Já conhecido do público da Casa da Música, onde foi revelado no ciclo dedicado aos novos valores do fado, participou ainda no Festival Caixa Alfama com uma apresentação em nome próprio.

André Carvalho
Super Bock Unlock
Quinta, 15 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Inspirado pelo incrível e enigmático universo de Hieronymus Bosch, nomeadamente um dos seus mais famosos quadros – “O Jardim das Delícias” -, o contrabaixista André Carvalho escreveu uma suite que pretende levar o ouvinte numa viagem. Com momentos de tensão e de calma, entre a suavidade e a brutalidade, a simplicidade e a complexidade, a música flui entre paisagens inspiradas no célebre tríptico. Acabada de ser editada pela Outside in Music, a obra tem um carácter exploratório e deambula entre a música totalmente improvisada e a música composta, a consonância e a dissonância, com uma forte influência do jazz, da música contemporânea e da música improvisada.

P’las Cordas da Guitarra
Portugal a Gosto
Sexta, 16 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
A sonoridade apaixonante da guitarra portuguesa é o mote para um concerto preenchido de tradição. Através das guitarradas, os instrumentistas dão largas ao seu virtuosismo e mostram uma vertente da identidade nacional que vai muito para lá do fado. P’las Cordas da Guitarra é uma ode aos instrumentistas e compositores que mais marcaram a evolução da guitarra portuguesa, incluindo peças de Armandinho, Carlos Paredes, Eduardo Jorge, José Carvalhinho, José Fontes Rocha e Pedro Caldeira Cabral, além de originais.

Aleh Ferreira
Super Bock Unlock
Sexta, 16 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
O cantor e compositor Aleh Ferreira é conhecido especialmente como líder da lendária banda de funk Banda Black Rio. A sua voz quente e singular, juntamente com os grooves de fusão samba-funk, celebram a herança afro-brasileira e deram origem a uma carreira que há três décadas o leva a percorrer o mundo. Partilhou o palco com figuras como Ed Motta, Seu Jorge e Daniela Mercury, e ganhou vários prémios nacionais e internacionais, não só pelo seu trabalho em palco como também pela composição para cinema e televisão. É um dos nomes atuais mais destacados da música popular brasileira na diáspora.

Adriana Paquete
Portugal a Gosto
Sábado, 17 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Adriana Paquete apresenta uma perspetiva singular do fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu – Amália Rodrigues, Fernanda Maria, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Beatriz da Conceição – e perpetuando o legado por elas deixado. Uma jovem fadista que nos emociona a cada verso cantado, Adriana Paquete participou nos festivais Caixa Ribeira 2015 e Caixa Alfama 2016, e em 2015 integrou o elenco do espetáculo Amália – Não sei porque te foste embora, no Coliseu do Porto.

Budda Power Blues
Super Bock Unlock
Sábado, 17 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Os Budda Power Blues completam 15 anos de carreira, ao longo dos quais foram considerados múltiplas vezes a melhor formação de blues nacional. Foram os primeiros representantes portugueses no European Blues Challenge, em 2016, e o líder Budda Guedes acaba de ser considerado um dos 10 guitarristas nacionais mais influentes dos últimos 10 anos pela revista da especialidade Arte Sonora. Como forma de celebrar esta data, a banda apresenta-se com a “Fifteen Long Years Tour”, incluindo os seus melhores temas e alguns inéditos. Já com sete discos editados, este ano apresenta também o oitavo trabalho de estúdio, em edição limitada.

Helena Sarmento
Portugal a Gosto
Domingo, 18 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Helena Sarmento tem esgotado algumas das salas mais importantes do país e apresenta- se em vários palcos da Europa. Faz parte do elenco das casas de fado “O Fado” e “Casa da Mariquinhas”, no Porto. Neste ciclo de concertos na Casa da Música, revisita os seus três discos, editados em todo o mundo pela prestigiada Sunset France, e ainda alguns clássicos ancorados na memória coletiva.

Francisco Moreira
Portugal a Gosto
Segunda, 19 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Com apenas 18 anos, Francisco Moreira, conta já com atuações em grandes salas do país como o Coliseu do Porto, o CCB, a Casa da Música ou o Campo Pequeno, participações em programas televisivos e também no Festival Caixa Alfama (2013 e 2014) e o Festival Caixa Ribeira (2015 e 2016). Foi recentemente finalista do The Voice Portugal 2018.

Fado Violado
Portugal a Gosto
Terça, 20 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Fado Violado prepara novo disco a lançar no outono. Depois de “Jangada de Pedra”, disco de estreia em que o fado e o flamenco se deixavam ver nitidamente, este segundo vem contaminado de outras músicas, tem mais África, mais Brasil, mais Portugal. Tendo sempre como base a interpretação de Ana Pinhal e a guitarra de Francisco Almeida, as novas melodias são, agora, arranjadas também por outros músicos de outras escolas. O espetáculo mantém-se intimista, mas o novo repertório convida a que o corpo se alevante.

Mariana Correia
Portugal a Gosto
Quarta, 21 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Mariana Correia parece ter em si toda a história do fado, transportando-nos numa viagem imensa desde os primórdios da canção nacional até aos dias de hoje. Lembra o melhor do antigo e acrescenta a modernidade que sentimos necessidade de escutar. Natural de Lisboa, emigrou para a Suíça em meados dos anos oitenta e durante três décadas levou o fado por terras helvéticas e cidades fronteiriças da Alemanha e França, atuando nas melhores salas desses países e tornando-se uma embaixadora desta música.

Miguel Xavier
Portugal a Gosto
Quinta, 22 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Miguel Xavier lançou o seu disco de estreia há um ano e é residente da casa da fados “O Mal Cozinhado”, no Porto. O fado chegou à sua vida muito cedo, e em 2015 vencia o Concurso de Fado da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, no Porto. Já conhecido do público da Casa da Música, onde foi revelado no ciclo dedicado aos novos valores do fado, participou ainda no Festival Caixa Alfama com uma apresentação em nome próprio.

Jake Shane
Super Bock Unlock
Quinta, 22 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
O cantor e compositor Jake Shane é conhecido pelo seu lirismo, a voz brilhante e a técnica apurada de guitarra, criando sonoridades apelativas com uma mescla de géneros como americana, blues pré-guerra e flamenco. As suas letras intensamente visuais misturam o sagrado com o profano e demonstram um nível poético sofisticado que o coloca num patamar diferente do dos autores da sua geração. Não por acaso, tem sido regularmente comparado a Leonard Cohen e Bob Dylan.

P’las Cordas da Guitarra
Portugal a Gosto
Sexta, 23 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
A sonoridade apaixonante da guitarra portuguesa é o mote para um concerto preenchido de tradição. Através das guitarradas, os instrumentistas dão largas ao seu virtuosismo e mostram uma vertente da identidade nacional que vai muito para lá do fado. P’las Cordas da Guitarra é uma ode aos instrumentistas e compositores que mais marcaram a evolução da guitarra portuguesa, incluindo peças de Armandinho, Carlos Paredes, Eduardo Jorge, José Carvalhinho, José Fontes Rocha e Pedro Caldeira Cabral, além de originais.

Pedro Luís com S
Super Bock Unlock
Sexta, 23 agosto, 22h Esplanada | Entrada livre
Pedro Luís é um raro artista autossuficiente, multifacetado e agregador. Foi roqueiro no Urge nos anos 80 e deu forma musical ao funk poético do Boato nos 90. Na década seguinte, tornou-se argamassa da fábrica musical chamada A Parede, com quem formou o Monobloco, que há 18 anos arrasta multidões no carnaval carioca. Compõe lindas canções para a MPB com parceiros variados e produz discos de diversos talentos. No concerto “Pedro Luís com S”, o cantor e compositor carioca mostra a pluralidade do seu cancioneiro, incluindo temas compostos para artistas como Elza Soares, Cidade Negra e Roberta Sá, mas também canções de Luiz Melodia que estão no centro do seu trabalho mais recente. No palco, apenas a sua voz, o seu violão e um baterista.

Adriana Paquete
Portugal a Gosto
Sábado, 24 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Adriana Paquete apresenta uma perspetiva singular do fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu – Amália Rodrigues, Fernanda Maria, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Beatriz da Conceição – e perpetuando o legado por elas deixado. Uma jovem fadista que nos emociona a cada verso cantado, Adriana Paquete participou nos festivais Caixa Ribeira 2015 e Caixa Alfama 2016, e em 2015 integrou o elenco do espetáculo Amália – Não sei porque te foste embora, no Coliseu do Porto.

Via
Super Bock Unlock
Sábado, 24 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Nasceu no Porto e chama-se Elvira Brito e Faro, mas todos a tratam por Via. Autodidacta na guitarra e no ukelele, foi finalista do EDP Live Bands, entre mais de 300 bandas. Em 2017, foi convidada por Miguel Araújo para fazer as primeiras partes dos seus concertos. A trabalhar no seu álbum de estreia, já apresentou os singles “Não Te Mereço”, “Feita de Ferro”, “Eu Não” (dueto com Tiago Nacarato) e “Já Não Sei Quem Sou” (dueto com Miguel Araújo).

Helena Sarmento
Portugal a Gosto
Domingo, 25 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Helena Sarmento tem esgotado algumas das salas mais importantes do país e apresenta- se em vários palcos da Europa. Faz parte do elenco das casas de fado “O Fado” e “Casa da Mariquinhas”, no Porto. Neste ciclo de concertos na Casa da Música, revisita os seus três discos, editados em todo o mundo pela prestigiada Sunset France, e ainda alguns clássicos ancorados na memória coletiva.

Francisco Moreira
Portugal a Gosto
Segunda, 26 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Com apenas 18 anos, Francisco Moreira, conta já com atuações em grandes salas do país como o Coliseu do Porto, o CCB, a Casa da Música ou o Campo Pequeno, participações em programas televisivos e também no Festival Caixa Alfama (2013 e 2014) e o Festival Caixa Ribeira (2015 e 2016). Foi recentemente finalista do The Voice Portugal 2018.

Fado Violado
Portugal a Gosto
Terça, 27 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Fado Violado prepara novo disco a lançar no outono. Depois de “Jangada de Pedra”, disco de estreia em que o fado e o flamenco se deixavam ver nitidamente, este segundo vem contaminado de outras músicas, tem mais África, mais Brasil, mais Portugal. Tendo sempre como base a interpretação de Ana Pinhal e a guitarra de Francisco Almeida, as novas melodias são, agora, arranjadas também por outros músicos de outras escolas. O espetáculo mantém-se intimista, mas o novo repertório convida a que o corpo se alevante.

Mariana Correia
Portugal a Gosto
Quarta, 28 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Mariana Correia parece ter em si toda a história do fado, transportando-nos numa viagem imensa desde os primórdios da canção nacional até aos dias de hoje. Lembra o melhor do antigo e acrescenta a modernidade que sentimos necessidade de escutar. Natural de Lisboa, emigrou para a Suíça em meados dos anos oitenta e durante três décadas levou o fado por terras helvéticas e cidades fronteiriças da Alemanha e França, atuando nas melhores salas desses países e tornando-se uma embaixadora desta música.

Miguel Xavier
Portugal a Gosto
Quinta, 29 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Miguel Xavier lançou o seu disco de estreia há um ano e é residente da casa da fados “O Mal Cozinhado”, no Porto. O fado chegou à sua vida muito cedo, e em 2015 vencia o Concurso de Fado da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, no Porto. Já conhecido do público da Casa da Música, onde foi revelado no ciclo dedicado aos novos valores do fado, participou ainda no Festival Caixa Alfama com uma apresentação em nome próprio.

C4 Trio
Super Bock Unlock
Quinta, 29 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
O cuatro é o instrumento nacional da Venezuela – uma pequena guitarra de 4 cordas com raízes na guitarra espanhola. É usada essencialmente na música llanera, o género tradicional das planícies. Embora associado à música tradicional, uma nova geração de instrumentistas tem recuperado o instrumento, estendendo o seu repertório à música clássica, ao jazz e a toda a música contemporânea. O C4 Trio é formado por três cuatristas vanguardistas, Jorge Glem, Hector Molina e Edward Ramirez, juntamente com o baixista Rodner Padilla. Desde a conquista do Grammy Latino de 2014, têm percorrido o mundo mostrando o seu amplo conhecimento do repertório tradicional a par de linguagens mais contemporâneas e da improvisação.

P’las Cordas da Guitarra
Portugal a Gosto
Sexta, 30 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
A sonoridade apaixonante da guitarra portuguesa é o mote para um concerto preenchido de tradição. Através das guitarradas, os instrumentistas dão largas ao seu virtuosismo e mostram uma vertente da identidade nacional que vai muito para lá do fado. P’las Cordas da Guitarra é uma ode aos instrumentistas e compositores que mais marcaram a evolução da guitarra portuguesa, incluindo peças de Armandinho, Carlos Paredes, Eduardo Jorge, José Carvalhinho, José Fontes Rocha e Pedro Caldeira Cabral, além de originais.

Macaia
Super Bock Unlock
Sexta, 30 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Macaia tem-se destacado como cantor e companheiro de estrada do MC e produtor Mundo Segundo. Tendo o hip-hop como alicerce, explora também outros estilos como a soul, a neo-soul e o groove no seu primeiro disco que está já na fase final de masterização. Gravado no 2º Piso com o aclamado Mundo Segundo e no Blackbrown Recording Studios com Yann Georges, este álbum de estreia será o cartão de visita a solo de Macaia, depois das colaborações que fez com outros nomes da música como Maze do coletivo Dealema, Porte, DJ Big, Cálculo, a galega Wöyza, o moçambicano Azagaia, Kappa Jotta, Dekor, Dizzy Som Mudo, Diana Martinez & The Crib e Alta(mente).

Adriana Paquete
Portugal a Gosto
Sábado, 31 agosto, 18h30, Sala 2 | 12 €
Adriana Paquete apresenta uma perspetiva singular do fado tradicional, homenageando aqueles com quem aprendeu – Amália Rodrigues, Fernanda Maria, Lucília do Carmo, Hermínia Silva, Beatriz da Conceição – e perpetuando o legado por elas deixado. Uma jovem fadista que nos emociona a cada verso cantado, Adriana Paquete participou nos festivais Caixa Ribeira 2015 e Caixa Alfama 2016, e em 2015 integrou o elenco do espetáculo Amália – Não sei porque te foste embora, no Coliseu do Porto.

Wu Tiao Ren
Super Bock Unlock
Sábado, 31 agosto, 22h, Esplanada | Entrada livre
Formada em 2008, Wu Tiao Ren é considerada uma das bandas chinesas mais interessantes da atualidade. Cantam as vidas de marginais na China, desde um ciclista que passeia um porco até um vendedor no mercado negro, passando pela vida de um jovem revolucionário assassinado. Sob influência da música local e das típicas canções de pescadores (com as suas histórias e deuses), incorporam nas composições gravações das ruas da cidade, buzinas de autocarros, ruídos de motorizadas e conversas entre vizinhos. Apresentam-se pela segunda vez fora da Ásia, carregando na bagagem os temas no dialecto de haifeng e em mandarim.

Orquestra XXI
Pavel Gomziakov
Quinta, 5 setembro, 21h, Sala Suggia | 12 € – 16 €
Orquestra XXI
Dinis Sousa direção musical
Pavel Gomziakov violoncelo
Ana Seara Tua Lágrima em Mim
Dmitri Chostakovitch Concerto para violoncelo e orquestra nº 1
Johannes Brahms Sinfonia nº 4
Fundada em 2013, a Orquestra XXI reúne jovens músicos portugueses residentes no estrangeiro com o duplo objetivo de manter uma forte ligação entre estes jovens e o seu país de origem e de levar momentos musicais de excelência a um público o mais diversificado possível. Venceu o prémio FAZ-IOP 2013 e recebeu o Alto Patrocínio da Presidência da República, e todos os anos presenteia o público da Casa da Música com um concerto memorável.

Rozalén
Super Bock Unlock
Quinta, 5 setembro, 22h, Esplanada | Entrada livre
Rozalén é uma das principais cantoras/ compositoras de língua espanhola da atualidade. Com três trabalhos produzidos por Ismael Guijarro, cativou de igual modo o público e a crítica e já arrecadou dois discos de platina, entre outras distinções. Tem atuado nos principais festivais de música do seu país e é uma importante activista social – em palco faz-se sempre acompanhar de Beatriz Romero, intérprete de língua gestual, para que o seu espetáculo seja inclusivo e acessível a todos. O seu disco “Cuando el río suena…”, do final de 2017, foi número 1 na lista de vendas espanholas e é disco de platina, com duas nomeações para o Grammy Latino.

Terra Livre
Super Bock Unlock
Sexta, 6 setembro, 22h, Esplanada | Entrada livre
Um coletivo de artistas a tecer uma nova vivência, a cocriar com consciência. Banda-semente, banda-raiz, banda-fruto. Canções que expressam a vontade de ser um com a Terra. Inspirados pelos ciclos naturais, o seu espetáculo é um momento de harmonia, que partilha o amor pelas diferentes culturas do mundo. Terra Livre é também o nome de um terreno na mágica montanha de Sintra. Foi em conjunto que os elementos do coletivo chegaram a esta Terra e ao longo dos anos a foram transformando num laboratório prático de agricultura sustentável, eco-construção, de criação e música, à volta do Fogo sagrado. A sua música ergue-se a partir da experiência directa de viver na Natureza.

LaBaq
Super Bock Unlock
Sábado, 7 setembro, 22h, Esplanada | Entrada livre
Existem intimidades que passam por cima da carne, como um laser translúcido que toca diretamente o osso. Labaq consegue esse efeito com as suas canções: é e não é, ao mesmo tempo, cantautora, ícone do pop alternativo, exploradora pop, uma compositora tão perto do indie-folk como dos sons eletrónicos. É um dos nomes mais mencionados quando se fala da atual música pop alternativa no Brasil, e vem apresentar o seu novo álbum, “Lux”. Em digressão pelos circuitos europeus e sul-americanos da música independente, em 2018 Labaq foi selecionada para atuar no aclamado SXSW (Austin/Texas/EUA) e no espetáculo de abertura da WOMEX, nas Ilhas Canárias.

Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins
Domingo, 8 setembro, 18h, Sala Suggia | 10 €
Hélder Magalhães direção musical
Horácio Ferreira clarinete
Grupo Coral dos Professores do Porto
Coro da Casa do Pessoal da RTP “Os Afónicos”
Orfeão de Rio Tinto
Orfeão Portuscale BPI
Coro Ars Vocalis
Coral São Francisco
Coro Sol Maior
Yasuo Kuhawara Canção do Outono Japonês
Takashi Kubota Tanz Suite nº 2
Vincent Beer-Demander Serenata Erotica
Luís Carvalho Concerto para Clarinete Solo e Orquestra de Plectro (Estreia mundial encomenda da Associação Cultural de Plectro)
Fernando C. Lapa Folias e Polifonias (Estreia mundial)
Fundada em 2010, a Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins tem dinamizado e difundido a música para plectro, apresentando repertório original e tendo já estreado inúmeras obras de compositores nacionais e internacionais. Além de duas estreias mundiais que estendem e diversificam o repertório escrito para este tipo de formação, a orquestra revisita composições de figuras contemporâneas que têm desenvolvido já um sólido percurso.

Omniae Ensemble
Terça, 10 setembro, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
Pedro Melo Alves bateria, eletrónica e composição
José Soares saxofone alto
Albert Cirera saxofone tenor
Mariana Nunes voz e eletrónica
José Diogo Martins piano
Luís José Martins guitarra
Hugo Antunes contrabaixo
Filipe Louro contrabaixo
Omniae é o espaço do todo. Todo amorfo, onde a falta de linhas não consegue conter nenhuma impossibilidade. É o espaço de exploração criativa de Pedro Melo Alves, onde as visões de evasão e transcendência, ecos de uma impossibilidade sedutora, são postos em papel para desafiar. Ouvem-se paisagens intricadas, com os sons estendidos da música contemporânea aliados à vida pulsante da música improvisada. Ouve-se um coletivo de indivíduos que se abraçam em palco a olhar para o desconhecido. Ouve-se a possibilidade.

Fado à Mesa
Sexta, 13 setembro, 20h30, Restaurante | 39,5 €
Mensalmente, o Restaurante Casa da Música torna-se uma verdadeira Casa de Fados, em que o fado é “servido à mesa” por intérpretes de eleição, honrando a nossa melhor tradição, mas também a contemporaneidade da canção portuguesa por excelência.

Viva! no Instagram. Siga-nos.