Pingo Doce - Pizza sem gluten

Sugestões Casa da Música

Sugestões Casa da Música

Concertos para Piano
Sexta, 24 maio, 21h, Sala Suggia | 17,85 € – 21,60 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música

David Fray direção musical e piano
Johann Sebastian Bach Concerto para piano e orquestra em Ré menor, BWV 1052
Johann Sebastian Bach Concerto para piano e orquestra em Lá maior, BWV 1055
Wolfgang Amadeus Mozart Concerto para piano e orquestra nº 24, em Dó menor, K.491
Descrito como “poeta” e “talvez o mais inspirado e original intérprete de Bach da sua geração”, David Fray faz a sua estreia na Casa da Música com repertório que lhe trouxe a aclamação internacional. A gravação dos Concertos de Bach com a Deutsche Kammerphilharmonie Bremen valeu lhe o prestigiado Prémio da Crítica Discográfica Alemã. Em 2008 foi Revelação do Ano da BBC Music Magazine. Ao lado da Orquestra Sinfónica apresenta concertos de compositores cimeiros da história da música ocidental.

Maratona de Teclistas
Tributo a D. Helena

Sábado e domingo, 25 e 26 maio, a partir das 10h, Casa da Música | 1,45 €
Maratona de concertos de instrumentos de tecla com alunos de Escolas Vocacionais
Lançada em 2013, pelo centenário do nascimento de Helena Sá e Costa, esta maratona de instrumentos de tecla é hoje um evento nacional. Em 2018 reuniu mais de 700 jovens teclistas de escolas de todo o país, de Bragança a Olhão, que sucedendo-se realizaram mais de 32 horas de música. Estes números são a expressão mensurável de uma iniciativa reeditada anualmente por celebrar paixão, talento e futuro na ponta dos dedos.

Bach e Mozart
Domingo, 26 maio, 12h, Sala Suggia | 11,30 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
David Fray direção musical e piano
Concerto comentado por Helena Marinho
Johann Sebastian Bach Concerto para piano e orquestra em Lá maior, BWV 1055
Wolfgang Amadeus Mozart Concerto para piano e orquestra nº 24, em Dó menor, K.491
No fim de semana em que decorre a homenagem a Helena Sá e Costa, e no preciso dia em que se completam 106 anos desde o seu nascimento, a Orquestra Sinfónica apresenta um programa com dois dos compositores preferidos da célebre pianista portuense. A leveza do “Concerto em Lá maior”, com melodias sinuosas e virtuosismo ornamental, faz deste um excelente exemplo do estilo concertante de Bach. Com os seus comentários, Helena Marinho tornará clara a diferença entre a música concertante dos períodos Barroco e Clássico – este último ilustrado com um elegante e delicado concerto de Mozart. Autêntica revelação das salas de concerto na última década, o francês David Fray é simultaneamente maestro e solista nestes diálogos entre orquestra e piano, num dia muito especial para todos os amantes do instrumento.

Let it Play… Fault Lines: The Charles Hamilton Story
Terça, 28 maio, 21h30, Café Casa da Música | Entrada livre
Red Bull Music apresenta
Charles Hamilton tinha tudo depois de assinar um contrato de milhões com uma das maiores editoras, mas sorte combinada com as circunstâncias afastaram-no dos palcos. Um documentário que revela o processo criativo, a história de sobrevivência e redenção de umas das maiores estrelas do hip hop.

Tota
Superbock Unlock
Quarta, 29 maio, 21h30 | Café Casa da Música | Entrada Livre
Tota é o obtuso diminutivo de Jónatas Pereira. Define-se como trovador pós-moderno e criador irrequieto obcecado pela língua portuguesa. Suga inspiração de todas as coisas que lhe vão aparecendo nos ouvidos, nos olhos, na cabeça, na alma. Tota é um sistema aberto no que toca a referências musicais. O seu espectro musical abrange cantautores, repertório erudito, música eletrónica e coros femininos búlgaros. Acredita que ainda tem muito a aprender com ABBA e nunca está sintonizado numa só estação.

Concerto das Orquestras AMCC
Quarta, 29 maio, 21h, Sala Suggia | 10 €
Orquestra Orff 2.º e 3.º ciclos e Pré-Escolar
Orquestra de Cordas 2.º Ciclo Articulado e Integrado
Orquestra de Cordas 3.º Ciclo Articulado e Integrado
Orquestra de Sopros e Percussão 2º Ciclo Integrado
Orquestra de Sopros e Percussão 3º Ciclo Integrado
Orquestra de Sopros e Percussão 2º Ciclo Articulado
Orquestra de Sopros e Percussão 3º Ciclo Articulado
A Academia de Música de Costa Cabral apresenta neste concerto várias das suas orquestras do ensino básico, desde as cordas, aos sopros, percussão e Orff.
Neste concerto especial, os jovens músicos são desafiados a interpretar programas trabalhados ao longo de um período letivo num palco exigente, começando de tenra idade a encarar o mundo da música.

Espécie de Trio
Quinta, 30 maio, 22h, Café Casa da Música | Entrada livre
Desde que se juntaram em Espécie de Trio, estes três músicos têm vindo a explorar e descobrir tanto o repertório jazzístico como temas originais, ou arranjos próprios de temas dos mais diversos universos musicais. Com um novo repertório constituído exclusivamente por canções dos anos 70 e 80 arranjadas à sua moda, fazem uma espécie de volta às origens – foi a tocar versões que iniciaram, há mais de uma década, a sua caminhada em trio. As músicas falam de sobrevivência, de solidão, de amor, de viver sem rumo, sem saber porquê, de necessidade de mudança, de libertação, de basta! Temas pop, rock, folk ou de intervenção, escolhidos apenas segundo o gosto dos músicos e sem olhar a rótulos.

Reencontros 21
Sexta, 31 maio, 19h, Sala 2 | 10 €
Pedro Lopes piano
Edoardo Passarotto piano
Daniel Araújo percussão
Jorge Pereira percussão
Wolfgang Amadeus Mozart Sonata para dois pianos em Ré maior, KV 448
Johannes Brahms Variações sobre um tema de Haydn, op.56b
Béla Bartók Sonata para dois pianos e percussão

Reencontros 21
Sexta, 31 maio, 21h, Sala 2 | 10 €
Pedro Borges piano
Johann Sebastian Bach/ Ferruccio Busoni “Ich ruf zu dir Herr Jesu Christ”, BWV 639
Johannes Brahms Sonata, op.5
Fryderyk Chopin Impromptu, op. 29 nº 1; Nocturno, op. 27 nº 1
Claude Debussy La puerta del Vino
Fryderyk Chopin Mazurka, op.30 nº 4
Claude Debussy Voiles
Alexander Scriabin Désir, op.57
Claude Debussy Général Lavine
Alexander Scriabin Prelúdio, op.11 nº 21
Claude Debussy La fille aux cheveux de lin
Alexander Scriabin Sonata, nº 4, op.30
A dedicação dos jovens músicos ao longo da formação tem reflexos em toda a sua vida profissional. O resultado ouve se na música, no ensino e na partilha de experiências que dá forma a carreiras diversificadas e de sucesso. Ao longo de três dias, vários recitais promovem reencontros artísticos entre antigos alunos da Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo, reafirmando a grande qualidade dos músicos formados na Rua da Alegria desde 1985.

Reencontros 21
Sábado, 1 junho, 16h30, Sala 2 | 10 €
António Oliveira piano
Miguel Campinho piano
José Vianna da Motta Erinnerungen, op. 7
António Victorino d’Almeida Balada, op. 126
George Crumb Makrokosmos IV “Celestial Mechanics”

Bernstein em Concerto
Sábado, 1 junho, 18h, Sala Suggia | 13,15 € – 16,90 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Joseph Swensen direção musical
Roman Rabinovich piano
Carlos Chávez Sinfonia nº 2 (Sinfonia Índia)
Alberto Ginastera Variaciones Concertantes
Leonard Bernstein Sinfonia nº 2, “The Age of Anxiety”
O longo poema “The Age of Anxiety”, de W. H. Auden, segue o percurso de quatro estranhos que se conhecem num bar nova iorquino, no tempo da Segunda Guerra Mundial, e que passam a noite a refletir sobre as suas vidas e a própria condição humana. Sob a sua inspiração, Bernstein escreveu uma sinfonia na qual o pianista é um protagonista quase autobiográfico em busca do significado da vida e da fé. Roman Rabinovich, pianista israelita e vencedor do Concurso Arthur Rubinstein, estreia se ao lado da Orquestra Sinfónica para apresentar esta obra emblemática. Num programa americano dirigido por Joseph Swensen, um dos mais destacados e premiados maestros dos Estados Unidos, evoca-se também as sonoridades identitárias de dois países latino americanos: Carlos Chávez utiliza melodias de tribos nativas do Norte do México, enquanto Ginastera procura as sonoridades que melhor retratam a atmosfera argentina.

Reencontros 21
Sábado, 1 junho, 21h, Sala 2 | 10 €
Elsa Silva piano
F. Chopin Ballade nº1, Op. 23
F. Liszt Après une Lecture du Dante- Fantasia quasi Sonata
Armando Santiago Groupes II
Luciano Berio Sequenza IV
Miguel Azguime Déscriptions de la Matière (para piano e eletrónica)

Reencontros 21
Domingo, 2 junho, 18h, Sala 2 | 10 €
Afonso Fesch violino
Fréderic Cardoso clarinete
Fernando Costa violoncelo
Carlos Lopes piano
João Pedro Oliveira Iris, para vln, cl, vcl, pno e electrónica (Vídeo: Emília Nadal)
Messiaen Quatuor Pour La Fin du Temps

Reencontros 21
Domingo, 2 junho, 21h, Sala 2 | 10 €
Concerto de Jazz
Paulo Barros piano
Improvisações

Frederic Cardoso
Terça, 4 junho, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
Frederic Cardoso clarinete
Luís Neto da Costa texturas de sombra, para clarinete baixo e eletrónica
Bernardo Lima ékleipsis, para clarinete em Mi bemol solo
Rúben Borges limen, para clarinete baixo e eletrónica
Carlos Brito Dias pranto, para clarinete baixo e voz
André Rodrigues Lux et Umbra II, clarinete baixo e eletrónica
Rodrigo Cardoso Sobre o Contorno, para clarinete baixo, eletrónica e imagem
João Ferreira Stereochromatic, para clarinete e banda magnética (Todas as obras são apresentadas em estreia mundial)
“Diálogo a Preto e Branco” é um recital que reúne a versatilidade artística do clarinetista Frederic Cardoso e a criação musical de um conjunto de jovens compositores portugueses. O clarinetista tem tido um papel ativo na divulgação da nova música portuguesa, sendo dedicatário de obras de André Rodrigues, Antero Ávila, Filipe Lopes, Igor C. Silva, João Ferreira e João Pedro Coimbra. É professor e diretor pedagógico do Conservatório de Música de Paredes.

The Mystery of The Bulgarian Voices with Lisa Gerrard
Terça, 4 junho, 21h30, Sala Suggia | 37,53 € – 32,85 €
Fusion Arts Fest apresenta pela primeira vez em Portugal um dos mais prestigiados coletivos de música do mundo acompanhado pela diva Lisa Gerrard (Dead Can Dance).
The Mystery Of The Bulgarian Voices, vencedores de um Grammy em 1988, regressam às edições discográficas 20 anos após o seu último trabalho. Aclamado pela crítica mundial como um dos mais surpreendestes discos de 2018, “BoocheeMIsh”, novo álbum do coletivo, é o mote para uma tournée mundial em 2019, com passagem pelo nosso país. O álbum é uma fusão entre a música folk tradicional búlgara, cânticos tradicionais, instrumentos de cordas e percussão.
Para além de Lisa Gerrard, The Mystery Of The Bulgarian Voices contam também com SkillR, famigerado artista beatboxing.
Em palco estarão 20 cantoras, 6 músicos (4 folk musicians, 1 beatboxer, 1 percussionista) e a já referida icónica cantora australiana Lisa Gerrard.

Concerto de Encerramento do Ano Letivo AMCC
Quarta, 5 junho, 21h30, Sala Suggia | 10 €
Direção musical Helder Tavares
Orquestra de Sopros e Percussão do Secundário
Stephen Melillo Godspeed
Percy Aldridge Grainger Colonial Song
Frank Ticheli Blue Shades
Derek Bourgeois Serenade Op. 22c
Orquestra Sinfónica
Antonin Dvorak Slavonic Dances No. 1
Antonin Dvorak Slavonic Dances No. 8
Arturo Marquez Danzon No. 2
Orquestra Sinfónica e Coro Infantil
Martin Neill e Ruth Kenward, arr. Daniel Martinho Musical “Zany Zoo”
O concerto de Encerramento do Ano Letivo volta a juntar a comunidade da Academia de Música de Costa Cabral na Casa da Música. Num ambiente festivo, os jovens músicos são desafiados a interpretar um programa exigente e jovial, celebrando assim o final do ano letivo.

Fado à Mesa
Sexta, 7 junho, 20h30, Restaurante | 39,5 € (inclui jantar)
Mensalmente, o Restaurante Casa da Música torna-se uma verdadeira Casa de Fados, em que o fado é “servido à mesa” por intérpretes de eleição, honrando a nossa melhor tradição, mas também a contemporaneidade da canção portuguesa por excelência.

Portugal Hoje
Sábado, 8 junho, 18h, Sala Suggia | 13,15 € – 16,90 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Pedro Neves direção musical
Tamila Kharambura violino
Jonathan Ayerst piano
Pedro Amaral Anamorphoses (estreia mundial da nova versão; encomenda Casa da Música e Câmara Municipal de Matosinhos)
António Pinho Vargas Concerto para violino e orquestra
Clotilde Rosa Concerto para piano e orquestra (estreia mundial)
Na sua terceira edição, o Estado da Nação apresenta a música mais estimulante feita em Portugal, reunindo compositores de várias gerações e contando com a associação habitual do prestigiado maestro português Pedro Neves. Desta vez o programa é dedicado a três compositores consagrados e conta com solistas que têm desenvolvido uma carreira notável em Portugal. Tamila Kharambura é a intérprete de eleição do “Concerto para violino” de Pinho Vargas, tendo colaborado ativamente na revisão da parte solista desta obra estreada em 2016. “Anamorphoses” de Pedro Amaral foi vencedora do 1º Prémio no Conservatório Superior de Paris e é agora apresentada numa nova versão. De Clotilde Rosa, pioneira e referência das vanguardas nacionais, será estreado o Concerto para piano.

Quarteto de Cordas de Matosinhos
Terça, 11 junho, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
António Pinho Vargas Monodia quasi un requiem
António Chagas Rosa Quarteto de cordas nº 1
Nuno Côrte-Real Monumentum
Três figuras incontornáveis da composição contemporânea portuguesa dominam este programa do Quarteto de Cordas de Matosinhos. A ressonância é a ideia central de “Monodia”, obra de Pinho Vargas que reflete sobre a extinção do som e da própria vida. António Chagas Rosa cita no seu único quarteto de cordas o célebre tema da “Arte da Fuga” de Bach, enquanto Nuno Côrte-Real dedica a sua obra à memória de Philippe Hirschhorn, um dos maiores violinistas do século XX.

Orquestra Jazz de Matosinhos
Quarta, 12 junho, 21h, Sala Suggia | 12,20 € – 15,95 €
O Estado da Nação
Carlos Azevedo direção musical
Obras de Paulo Perfeito, Telmo Marques, Mário Laginha e Carlos Guedes
Obras de Pedro Moreira e Zé Eduardo (encomendas Casa da Música, Câmara Municipal de Matosinhos e APDL)
Novas encomendas a Daniel Bernardes e Paulo Gomes (estreia mundial)
A Orquestra Jazz de Matosinhos apresenta uma das suas áreas de especialidade: o repertório português para big band. O programa combina música de vários compositores que se afirmaram pelos cruzamentos de influências, entre o jazz e a clássica. À oportunidade para ouvir peças escritas especialmente para a OJM, ao longo dos anos, junta-se a estreia absoluta de novas encomendas a dois compositores e pianistas bem conhecidos no panorama do jazz nacional, que pela primeira vez são tocados pela formação: Paulo Gomes e Daniel Bernardes.

Sinfonia Doméstica
Sexta, 14 junho, 21h, Sala Suggia | 17,85 € – 21,60 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Baldur Brönnimann direção musical
Wolfgang Amadeus Mozart Sinfonia nº 29, em Lá maior, K.201
Richard Strauss Sinfonia Doméstica
Os mitos, as lendas, os grandes heróis e as figuras da literatura foram um terreno fértil para a obra de diversos compositores. Mas não terá a vida familiar quotidiana tantas ou mais peripécias que a de um herói grego? A “Sinfonia Doméstica” retrata musicalmente 24 horas da família Strauss, em seis andamentos encadeados que pintam as personagens e várias dessas cenas quotidianas. Escrita para uma grande orquestra de aproximadamente 110 músicos, a sinfonia foi estreada com grande sucesso pelo próprio compositor em Nova Iorque, em 1904. À procura do seu lugar no mundo estava o jovem Mozart quando escreveu a “Sinfonia nº 29”, uma obra leve e luminosa integrada no estilo galante, e uma das últimas que compõe em Salzburgo, nas vésperas de tentar a sua sorte em Viena.

Na Casa de Strauss
Domingo, 16 junho, 12h, Sala Suggia | 11,30 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Baldur Brönnimann direção musical
Concerto comentado por Gabriela Canavilhas
Richard Strauss Sinfonia Doméstica
Como seria um dia na vida da família Strauss? Depois de “Uma Vida de Herói”, o compositor dá mais um passo na transformação da sua biografia em música. Em seis andamentos, descreve a dinâmica do seu quotidiano, apresentando inicialmente os três protagonistas desta família: o Pai (o próprio Richard Strauss), a Mãe (a mulher de Strauss) e o Bebé (o filho do casal).

Duo Jost Costa
Terça, 18 junho, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
Yseult Jost piano
Domingos Costa piano
Eugen d’Albert Walzer, op.6
Maurice Ravel La valse
Paulo Bastos sou já do que fui
Steve Reich Clapping Music
Darius Milhaud Cinema fantasie: Le boeuf sur le toit, op.58
A valsa vienense é um dos “prazeres inúteis” do Velho Mundo. Eugene d’Albert traça nas suas “Valsas op.6” um quadro romântico e sentimental de uma esfera aristocrática e mundana. “La Valse de Ravel”, por sua vez, antecipa o fim do Velho Mundo, numa Europa que celebra os prazeres da vida face ao abismo da Primeira Guerra Mundial. Completando 100 anos em 2019, a fantasia “Le boeuf sur le toit” de Darius Milhaud utiliza temas do Novo Mundo que o compositor conheceu na sua estadia no Brasil. Steve Reich foi aluno Milhaud e mais tarde estuda no Gana a música tradicional para percussão, desenvolvendo uma nova estética rítmica que se manifesta em obras como “Clapping Music”.
Este recital de piano a quatro mãos inclui uma estreia nacional do compositor português Paulo Bastos, cuja obra “sou já do que fui” é uma reflexão musical sobre a identidade de um compositor face ao Novo Mundo.

pareSeres da terra 2019
Rui Veloso – Muito mais é o que nos une…
Terça, 18 junho, 21h, Sala Suggia | 6 €
O Conservatório do Vale do Sousa, em Lousada, implementou, no ano letivo 2006/2007 o projeto pareSeres da terra que «pretende ser uma proposta de revitalização da Música Tradicional/Popular Portuguesa – ocupando um lugar de destaque na Escola de Música – devolvendo-lhe a dignidade de outrora e apelando à consciência de todos para a necessidade da sua preservação e revitalização.»
Nesta edição, o tema trabalhado é “Rui Veloso – Muito mais é o que nos une…”, considerando a relevância do seu trabalho na música portuguesa e a sua linha orientadora que se insere no âmbito do projeto pareSeres da terra.
Na primeira parte do concerto será apresentada a Orquestra de Cordas do CVS, a Classe de Improvisação e o Coro de Pais do CVS. A segunda parte do concerto conta com a apresentação da Orquestra de Sopros do CVS e dos Coros Juvenis.

O Regresso da Gulbenkian
Quarta, 19 junho, 21h, Sala Suggia | 20,65 € – 24,40 €
Orquestra Gulbenkian
Lorenzo Viotti direção musical
Leticia Moreno violino
Sergei Prokofieff Concerto para violino e orquestra nº 2
P. I. Tchaikovski Sinfonia nº 5
Sob a direção de Lorenzo Viotti, um dos mais promissores jovens maestros da atualidade, a Orquestra Gulbenkian apresenta um programa dedicado a dois nomes maiores na história da música russa. O “Concerto para violino n.º 2”, uma das últimas encomendas feitas a Sergei Prokofieff antes do seu regresso definitivo à União Soviética, será interpretado pela emocionante e versátil violonista espanhola Leticia Moreno, que cativa o público e a crítica com o seu carisma natural e virtuosismo. Na segunda parte, a orquestra interpreta a monumental “Sinfonia n.º 5” de Piotr Ilitch Tchaikovski, obra que se viria a tornar uma das suas criações mais populares.

Viva! no Instagram. Siga-nos.