BPI

Sugestões Casa da Música

Sugestões Casa da Música

Mulheres incomuns
Sexta, 20 setembro, 21h, Sala Suggia | 17,85 € – 21,60 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Elena Schwarz direção musical
Claire Huangci piano
Louise Farrenc Abertura nº 2 em Mi bemol maior
Clara Schumann Concerto para piano e orquestra
Lili Boulanger D’un matin du printemps
Germaine Tailleferre Le marchand d’oiseaux
Joan Tower ‘Fanfare nº 6 for the uncommon woman’
Premiada nos Concursos de Direcção Princess Astrid e Jorma Panula, a maestrina suíça Elena Schwarz estreia-se à frente da Orquestra Sinfónica num programa que apresenta algumas das principais compositoras desde o século XIX até à atualidade. De França chega-nos a música da virtuosa pianista Louise Farrenc, da vencedora do Prix de Rome Lili Boulanger e da integrante do famoso grupo Les Six, Germaine Tailleferre. O Concerto para piano e orquestra de Clara Schumann, figura lendária do Romantismo alemão, chega-nos pelas mãos da versátil pianista Claire Huangci, que se lançou rapidamente numa carreira internacional após vencer o Concurso Genza Anda. A música da norte-americana Joan Tower encerra o concerto numa homenagem às mulheres aventureiras.

World Doctors Orchestra
Sábado, 21 setembro, 21h, Sala Suggia | 20 €
Fundada há mais de 10 anos, a World Doctors Orchestra tem cumprido a sua missão de aliar a Música à melhoria da Saúde Global, realizando anualmente vários concertos de beneficência nalgumas das melhores salas de concerto do mundo. Constituída exclusivamente por médicos, esta orquestra estará pela primeira vez em Portugal com o seu maestro titular Stefan Willich para dois concertos em Lisboa e Porto. O programa conta com a estreia absoluta de Arsis e Thesis, uma obra para clarinete e orquestra do compositor português Eurico Carrapatoso, assim como a magnífica 4ª Sinfonia de Anton Bruckner. As receitas destes concertos vão reverter a favor da associação portuguesa Health4moz.

Patxi Andion
Domingo, 22 setembro, 21h, Sala Suggia | 25 €
Pati Andión voz
Não há melhor maneira de celebrar 50 anos de carreira do que aproveitar a ocasião não para olhar para trás, mas para avançar rumo ao futuro. É exatamente essa a proposta de Patxi Andión, um dos artistas espanhóis mais “portugueses” de sempre.
Meio século depois da sua estreia com o single “Canto” / “La Jacinta”, trabalho que precedeu a estreia em LP com “Retratos” em 1969, Patxi decidiu assinalar a ocasião escrevendo 20 novas canções que decidiu dividir por dois volumes: “La Hora Lobican,” editado em 2018; e o segundo volume dedicado a esta produção que olha para o futuro na hora de marcar 50 anos de canções e tomará o título “Profecia”, que deverá ser lançado este ano.
Oportunidade única para ouvir este extraordinário artista espanhol a cantar o passado, o presente e o futuro.

Tim Bernardes
Segunda, 23 setembro, 21h30, Sala Suggia | 23 €
Tim Bernardes é músico, compositor, produtor musical e multi-instrumentista. Com a sua banda, O Terno, tem três discos e um EP, todos com composições da sua autoria. A solo estreou-se em setembro de 2017 com “Recomeçar”, que integrou as listas de melhores álbuns desse ano, consolidando Tim Bernardes como um dos grandes compositores brasileiros da sua geração. O disco foi nomeado para o Grammy Latino de 2018 como Melhor Álbum de Música Alternativa em Língua Portuguesa.

Rute Rita
Prémio Novos Talentos Ageas
Terça, 24 setembro, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
O ciclo de novos valores do fado revela as vozes mais estimulantes que têm surgido pelas típicas casas de fado de norte a sul do país. Rute Rita é um exemplo a acompanhar com atenção. A fadista portuense lançou o seu álbum de estreia em 2018 e vem apresentá-lo num fim de tarde que promete seduzir os amantes da canção nacional.

BIÉ
Space Inside Space • Apresentação de Album
Quarta, 25 setembro, 21h30, Sala 2 | 12 €
BIÉ é o projeto musical de Rafael Fernandes.
Natural de Vila Real, começou a aventurar-se nas suas composições musicais com apenas 15 anos.
Aos 17 anos edita o seu primeiro EP, “Desert Venice”. Henrique Amaro faz passar o single “Song For The Ones Who Breathe” na Antena3, acabando por captar a atenção de alguns programadores, como por exemplo Fernando Alvim, que o convida a participar no Festival Termómetro.
Em 2018, BIÉ decide gravar o seu primeiro álbum. “Space Inside Space” foi gravado nos estúdios Sá da Bandeira no Porto. Apesar de ainda se perceber algumas influências musicais por trás das suas criações, este é um álbum que já define a sua música como distinta.
Com 21 anos, BIÉ descobriu a sua própria sonoridade e… é algo de especial.
Um novo artista a eclodir como cantor, compositor e autodidata multi-instrumentista com uma intensa mas cuidada mistura de Rock, Pop rock, Indie Rock, Folk, Country ou mesmo blues.

The Loafing Heroes
Super Bock Unlock
Quarta, 25 setembro, 21h30, Café Casa da Música | Entrada livre
Sedeado em Lisboa, o projeto The Loafing Heroes inclui membros de Itália, Irlanda, Alemanha, EUA e Zimbábue, e funde no seu disco mais recente letras poéticas com melodias emotivas de auto-harpa, viola, clarinete baixo, guitarra, concertina e percussão. Através de um folk onírico e errante, a banda responde à sobrecarga tecnológica e à catástrofe ecológica dos nossos tempos conturbados.

Roque
Super Bock Unlock
Quinta, 26 setembro, 22h, Café Casa da Música | Entrada livre
O compositor e guitarrista João Roque funde as suas influências do jazz e rock numa estética particular, privilegiando melodias cativantes e ambientes sonoros com forte componente imagética. Editou o primeiro disco intitulado “Roque” (2017), apresentado no CCB, Casa da Música, Hot Clube de Portugal. No Café Casa da Música faz-se acompanhar por João Capinha (saxofones e clarinete), Xico Santos (contrabaixo) e David Pires (bateria).

Variações sobre Tchaikovski
Sexta, 27 setembro, 21h, Sala Suggia | 17,85 € – 21,60 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Carlos Izcaray direção musical
Wolfgang Amadeus Mozart Divertimento K.136
Anton Arensky Variações sobre um tema de Tchaikovski
Arvo Pärt Fratres, para cordas e percussão
Piotr Ilitch Tchaikovski Sinfonia nº 4
A Orquestra Sinfónica prossegue a apresentação da Integral das Sinfonias de Tchaikovski, desta vez com a direção do maestro venezuelano Carlos Izcaray, laureado dos concursos de Aspen e Toscanini. Plena de maturidade e sofisticação, a Sinfonia nº 4 representa o início de uma nova fase em que a personalidade do compositor se apresenta torturada pela ideia de destino. Um famosíssimo “Divertimento” de Mozart abre este concerto que inclui um salto para tempos mais recentes, com uma obra já clássica do estoniano Arvo Pärt. “Fratres” é, contudo, também um salto para o passado, recuperando formas polifónicas e harmonias da música antiga impregnadas pelo canto gregoriano.

INTENSO – II Festival de Tunas de Elite – TAFDUP
Sábado, 28 setembro, 20h30, Sala Suggia | 4 € – 8 €
“Tomando como ponto de partida o espírito académico que faz parte da identidade da cidade do Porto e que entusiasticamente explora as cores e os instrumentos que caracterizam a tradição musical portuguesa, regressa o Intenso – Festival de Tunas de Elite, cujo cartaz contará com o melhor que o universo estudantil português tem para oferecer – seja pelo desempenho artístico e técnico dos seus elementos, seja pela genuína alegria que partilham com os mais variados públicos –, bem como com a participação de convidados especialíssimos entre os quais o Estudante Rafael, a revelação humorística que se encarregará da apresentação de um espetáculo merecedor dos mais calorosos aplausos da plateia da Casa da Música.”

Vozes Nossas
Domingo, 29 setembro, 18h, Sala Suggia | 12 €
Coro Infantil Casa da Música
Raquel Couto direção musical
Gonçalo Vasquez piano
Obras de Hildegard von Bingen, Katy Abbott, Sofia Sousa Rocha, Lili Boulanger, Ângela da Ponte, Francine Benoit e Andrea Ramsey
O Coro Infantil Casa da Música visita obras de compositoras de vários períodos históricos – de uma autêntica lenda medieval, a monja e teóloga Hildegard von Bingen, a nomes dos nossos dias, como Katy Abbott ou as portuguesas Ângela da Ponte e Sofia Sousa Rocha, passando por criadoras de entre finais do século XIX e inícios do século XX, a exemplo de Francine Benoit ou Lili Boulanger.

S. Pedro
Domingo, 29 setembro, 21h30, Sala 2 | 10 €
S. Pedro, alter-ego de Pedro Pode e ex homem forte dos Doismileoito, apresenta o segundo disco a solo, sucessor de “O Fim” (2017). Lançado sob o selo NorteSul/ Valentim de Carvalho, o novo trabalho traz pequenas histórias, atravessadas por uma ponta de ironia e humor. “Passarinhos” é o single de apresentação, um ternurento e poético relato do quotidiano e das surpresas que a vida nos revela.

Jovem Orquestra Portuguesa
Segunda, 30 setembro, 21h, Sala Suggia | 10 €
Pedro Carneiro direção musical
Teresa Simas encenação
Textos e narração músicos da Jovem Orquestra Portuguesa (JOP)
Excertos de:
Les Indes Galantes, Jean-Philippe Rameau
Concerto em Ré Maior, Op. 6, No. 4, Arcangelo Corelli
Ouverture-Suite, TWV 55:B11 ‘La Bourse’, Georg Philipp Telemann
Concerto con Violino, Oboe e flauto traversiere, Johann David Heinichen
Oficinas de poesia e escrita criativa, Sebastião Belfort Cerqueira

Elas e o Jazz
Quarta, 2 outubro, 21h30, Sala Suggia | 15 € – 20 €
Três cantoras, amigas e cúmplices, juntas em palco para partilhar o amor pelo jazz e pelas canções que fizeram a sua história.
Joana Machado, Marta Hugon e Mariana Norton cruzaram-se na escola do Hot Clube de Portugal, primeiro como alunas e depois como professoras. Desenvolveram projetos distintos e sólidos, colaborando por vezes, e cada uma compondo ou escrevendo o seu próprio repertório. Um dia, entre copos e música, revisitaram os seus standards preferidos e as suas possibilidades infinitas e surgiu a vontade de voltar a casa. A casa dos músicos de jazz que é feita de compositores como Cole Porter, Irving Berlin, George Gershwin, Richard Rogers, Jerome Kern ou Harold Arlen.
Acompanhadas por um trio de luxo, com João Pedro Coelho no piano, Romeu Tristão no contrabaixo e André Sousa Machado na bateria, ELAS recriam o universo sempre contemporâneo dos musicais da Broadway e dos clubes de jazz de NY, num espetáculo que, mais do que uma visita aos clássicos, é uma narrativa musical contada a três vozes, distintas mas sempre feitas de emoção.

Musica Nuda
Quinta, 3 outubro, 21h30, Sala Suggia | 25 €
Nada acontece por acaso. Prova disso é a formação dos Musica Nuda, duo italiano que nasce do encontro acidental entre Petra Magoni e Ferruccio Spinatti, em 2003. A química entre os dois revela-se perfeita e começam desde cedo a impressionar meio mundo. O primeiro disco, o homónimo “Musica Nuda” (2004), é o início da consagração, que começa no seu país de origem e que rapidamente se estende ao resto da Europa. O talento de Ferruccio no contrabaixo e a voz imensa de Petra permite-lhes atuar em algumas das mais prestigiadas salas em todo o mundo, como Olympia em Paris ou o Hermitage em São Petesburgo. Com 15 anos de carreira, oito álbuns de estúdio e centenas de concertos, o duo de Voice’n’bass continua a trilhar um percurso ímpar na música e reencontra-se agora com o público português.

Kathia Buniatishvili
Ciclo Piano Fundação EDP
Sábado, 5 outubro, 18h, Sala Suggia | 18,80 € – 22,55 €
Ludwig van Beethoven Sonata nº 17, op. 31 nº 2, “A tempestade”
Ludwig van Beethoven Sonata nº 14, op. 27 nº 2, “Ao luar”
Ludwig van Beethoven Sonata nº 8, op.13, “Patética”
Ludwig van Beethoven Sonata nº 23, op. 57, “Appassionata”
A pianista georgiana Khatia Buniatishvili já se tornou uma estrela das salas de concerto de todo o mundo, chamando a atenção a sua abordagem ousada a marcos do repertório virtuosístico. Artista exclusiva da Sony desde 2010, foi galardoada duas vezes com o Prémio Echo Klassic, uma das distinções mais prestigiantes da música clássica.

Banda Sinfónica Portuguesa
Domingo, 6 outubro, 12h, Sala Suggia | 9,4 €
Baldur Bronnimann direção musical
José Pedro Pereira trompete (vencedor do Prémio Jovens Músicos 2018)
Adam Gorb Metropolis
Robert Bennett Concerto para trompete
Paul Hindemith Sinfonia em Si bemol
A Banda Sinfónica Portuguesa é pela primeira vez dirigida por Baldur Brönnimann, titular da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, considerado um dos melhores maestros de música contemporânea em todo o mundo. Cumprindo a sua missão de abrir portas a jovens solistas, a BSP convida José Pedro Pereira, vencedor do Prémio Jovens Músicos 2018, para interpretar o Concerto para trompete de Robert R. Bennett.

Rodrigo Leão
Domingo, 6 outubro, 21h30, Sala Suggia | 30 €
Rodrigo Leão regressa aos palcos nacionais para apresentar o seu novo espetáculo numa estreia absoluta. O compositor, que assinalou em 2018 os 25 anos de uma muito bem-sucedida carreira, mostra agora em primeira mão as canções do novo repertório que será editado ainda durante este ano.
Dono de uma das mais interessantes discografias do nosso país, o músico e compositor Rodrigo Leão tem conhecido o sucesso dentro e fora de portas. A sua música já viajou por todo o mundo tendo recebido aplausos nas mais distintas latitudes: por toda a Europa, mas também no Extremo Oriente ou na América.
Rodrigo Leão promete uma vez mais surpreender quem o tem seguido de perto ou quem queira agora embarcar nessa entusiasmante aventura em que estreia o novo espetáculo e o novo repertório.

Maat Saxophone Quartet
Prémio Jovens Músicos / Antena 2
Terça, 8 outubro, 19h30, Sala 2 | 9,4 €
Ferenc Farkas Danças húngaras antigas
Ian Wilson …so Softly
Pedro Lima nova obra para quarteto de saxofones (estreia mundial; encomenda Casa da Música)
Guillermo Lago The Wordsworth Poems
Claude Debussy (arr. Maat) Rêverie
Antonín Dvořák (arr. Maat) Quarteto de cordas nº 12 op.96, “Americano”
Fundado em 2017 entre Amesterdão e Tilburg, o quarteto de saxofones Maat é um jovem e ambicioso ensemble português. Foi galardoado em dois concursos e selecionado para integrar o programa de apoio a jovens músicos do TivoliVredenburg, em Utrecht.

Camerata Flamenco Project • “Falla 3.0”
Quinta, 10 outubro, 21h, Sala 2 | 25 €
Jose Luis López violoncelo
Pablo Suárez piano
Ramiro Obedman saxo/flautas
Anabel Veloso baile
Quase um século depois de Manuel de Falla ter composto “El amor brujo”, Camerata atualiza esta peça do repertório clássico espanhol, respeitando estruturalmente todas as partes da obra e a entidade musical de cada uma delas. A imersão na partitura original revelou um mundo de possibilidades sonoras, que com muito respeito, trabalho e prudência, colocaram ao serviço da música no contexto do tempo atual.
O projeto conta com a artista convidada Anabel Veloso, a jovem criadora e bailarina internacional, que reflete na sua produção artística a naturalidade de quem sente o flamenco como força, necessidade criativa e com um claro sinal reivindicativo cultural.

Missa de Schubert
Sexta, 11 outubro, 21h, Sala Suggia | 20,65 € – 24,40 €
Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Coro Casa da Música

Michael Sanderling direção musical
Ângela Alves soprano
Iris Oja alto
João Terleira tenor
Steffen Bruun baixo
Richard Strauss Morte e Transfiguração
Franz Schubert Missa nº 5 em Lá bemol maior
A música sacra de Schubert é uma raridade nas salas de concerto, um facto inexplicável dada a qualidade e quantidade das obras que produziu neste género: quase quatro dezenas de composições incluindo seis missas. A “Missa nº 5” foi, entre todas as obras sacras ou seculares, aquela que mais dedicação lhe mereceu, sendo escrita ao longo de um período de três anos. Fusão perfeita entre a tradição da música sacra e a incrível inventividade melódica de Schubert, tão clara nos seus famosos lieder e nas peças para piano, é uma pérola a descobrir com urgência, seja numa primeira audição, seja num regresso que revela sempre algo novo.

Gulbenkian no Novo Mundo
Sábado, 12 outubro, 18h, Sala Suggia | 20,65 € – 24,40 €
Orquestra Gulbenkian
Giancarlo Guerrero direção musical
António Meneses violoncelo
Roberto Sierra Fandangos
Marlos Nobre Concerto para violoncelo e orquestra
Heitor Villa Lobos Bachianas brasileiras nº 5
Astor Piazzolla Sinfonia Buenos Aires
No seu regresso à Casa da Música, a Orquestra Gulbenkian associa se à celebração do Novo Mundo que atravessa toda a temporada de 2019. O maestro da Costa Rica Giancarlo Guerrero, que conquistou vários Grammy Awards enquanto titular da Sinfónica de Nashville, dirige um programa que inclui a peça mais famosa do brasileiro Villa Lobos e obras do porto riquenho Roberto Sierra e do argentino Piazzolla – em todos os casos, música fortemente contagiada pelas sonoridades tradicionais daqueles países.
Para interpretar um concerto do prestigiadíssimo maestro e compositor brasileiro Marlos Nobre (Prémio Unesco em 1974 e Prémio Tomás Luis de Victoria em 2004) estará no palco o seu compatriota António Menezes, um dos grandes violoncelistas do nosso tempo.

Viva! no Instagram. Siga-nos.