Pingo Doce - Vinhos de Setúbal

E agora, Europa?, por Joel Cleto

E agora, Europa?, por Joel Cleto

Ora, há setores culturais e há regiões na Europa que possuem, nesse contexto, mais potencialidades e, concomitantemente, mais responsabilidades. Há espaços privilegiados onde se pode alicerçar e difundir um espírito de plena cidadania europeia. A cidade do Porto encontra-se nesse grupo. Considerado pela UNESCO como Património Cultural da Humanidade, o Porto é uma daquelas “cidade-memória” que, pelo seu percurso histórico ao longo dos últimos mil anos e pela abertura ao exterior no Passado e no Presente, é um incontornável...

Ver Mais

Um Desígnio para a Cidade, por Hélder Pacheco

Um Desígnio para a Cidade, por Hélder Pacheco

Em terceiro lugar, porque se torna essencial ao Porto retomar o seu carácter de cidade inclusiva (rejeitando os modelos concentracionários de exclusão social para onde foi empurrada). Este reassumir de uma identidade perdida encontra, nos nossos dias, um poderoso adversário chamado gentrification, cujo combate só pode travar-se através de políticas de reabilitação hábeis, sensíveis e pragmáticas, conciliando (ou reconciliando) os sectores público e privado através da intervenção do mercado, do movimento...

Ver Mais

Porto, por Joaquim Jorge

Porto, por Joaquim Jorge

Os portuenses são gente com personalidade, mau feitio e com vontade inquebrantável que tem figuras antagónicas como Rui Rio e Pinto da Costa. Mas os extremos por vezes tocam-se (risos). O Porto continua com alguns problemas, a deterioração dos prédios na baixa e a sua desertificação. É preciso incentivos para voltar a viver-se na cidade mas com qualidade de vida. É preciso ter em atenção a sua limpeza e a falta de alegria. É uma cidade triste…
No futuro, vejo a baixa a voltar a ser um pólo de atração...

Ver Mais

Loja do Cidadão, por José Alberto Magalhães

Loja do Cidadão, por José Alberto Magalhães

 

É seguramente uma das iniciativas do Governo, então liderado por António Guterres, que mais elogios colheu pela maneira simples como descomplicou a vida das pessoas. Falo da Loja do Cidadão do Porto, localizada junto ao desaparecido Estádio das Antas, local onde os portuenses, e não só, resolvem de uma forma quase sempre rápida e eficaz inúmeros problemas e encontram a informação de que necessitam.
Mas a estrutura já está nos limites. Aliás a realidade atual é clarificadora: 5 mil...

Ver Mais

O Porto que se faz na ciência, por Manuel Carvalho

O Porto que se faz na ciência, por Manuel Carvalho

Podemos suspeitar que, em muitos casos, o perfil económico, social e cultural da cidade não tem capacidade de acolher o desempenho de uma universidade dinâmica como a do Porto. Sabemos que boa parte dos seus formandos tem de encontrar outras paragens para poder aplicar o que aqui aprendeu. Mas entre o que a universidade exporta e o que consegue injectar no tecido da cidade e da região, há-de haver margem para mais-valias. Nestes processos de transformação e desenvolvimento, nem sempre o caminho se faz em linha reta. Mas o que importa...

Ver Mais

Ribeira Negra, agora sim!, por Agostinho Santos

Ribeira Negra, agora sim!, por Agostinho Santos

 

“A Ribeira Negra” é, em boa verdade, uma excelente obra, considerada por muitos a obra prima de Júlio Resende, que foi doada há mais de duas décadas à cidade pelo pintor e que os responsáveis autárquicos tão mal trataram, ao longo do tempo.

Ou, melhor, não trataram, deixaram-na estar encaixotada nos armazéns camarários durante muitos anos. Sei mesmo, porque conversei várias vezes com Júlio Resende, que, durante esse período, o mestre andava...

Ver Mais

Cidade de Turismo... e comércio?, por Mário Dorminsky

Cidade de Turismo... e comércio?, por Mário Dorminsky

 

As medidas recentemente tomadas pelo Município de liberalizar os horários de funcionamento dos serviços, o facilitar da montagem de esplanadas, as animações culturais pontuais realizadas em diversos pontos da cidade, são uma porta para que os privados possam investir naquilo que é seu. Os seus negócios e a sua cidade. Abrir os restaurantes da baixa, os bares, as livrarias, as discotecas, as lojas de “lembranças” (que o Porto não tem em quantidade suficiente e deveria ter) até,...

Ver Mais

A maldição da Praça de Lisboa, por Jorge Fiel

A maldição da Praça de Lisboa, por Jorge Fiel

Um árido parque de estacionamento à superfície é a mais antiga recordação que eu tenho da Praça de Lisboa. Depois houve uma tentativa de Belmiro de Azevedo de lhe dar vida, instalando lá um centro comercial. Não deixa de ser curioso que a Sonae, que da Grécia ao Brasil, passando por Alemanha e Itália, promove e gere shoppings florescentes, tenha falhado apenas no coração da cidade que a viu nascer e crescer.
Sei de um projecto, que está enguiçado, de recuperação desta praça que é uma ferida a largar pus mesmo ali ao...

Ver Mais

Viva! no Instagram. Siga-nos.