Pingo Doce

Exposições no Centro Português de Fotografia

Exposições no Centro Português de Fotografia
© Alexey Belyanchev

“Este Mundo espantoso, inquieto e maravilhoso”, de Alexey Belyanchev
17 outubro* a 24 novembro, Centro Português de Fotografia

É a primeira vez que estas fotografias estão reunidas numa exposição. As imagens resultam de uma seleção entre vários trabalhos de Alexey Belyanchev, um conhecido fotojornalista moscovita.
O autor teve oportunidade de se encontrar com líderes de diversos países, estrelas mundiais dos negócios, da cultura e do desporto. Trabalhou em zonas de conflito militares tais como Palestina, Jugoslávia, Kosovo, Chechénia. Fez parte do pool de imprensa do primeiro Presidente da Rússia, Boris Yeltsin.
Foi testemunha do encontro histórico entre o Papa Francisco e o Patriarca da Rússia, Kyrill.
Algumas das fotografias expostas serão incluídas no primeiro álbum que o autor vai publicar, com o título “Ou assim…”
(*) Inauguração: 17 de outubro, às 16h

Airbourne ©Javier Bragado

“Live and Loud 2.0.: Diez años de Rock and Roll”, de Javier Bragado
19 outubro* a 20 de fevereiro de 2020, Centro Português de Fotografia

“A primeira vez que assisti a um concerto com uma câmara fotográfica foi no dia 23 de abril de 2008. Desde esse dia a música e a fotografia converteram-se nos dois eixos básicos sobre os quais desenvolvi a minha carreira profissional, procurando encontrar nos palcos a sinergia entre o som e a imagem, entre as notas e as cores, numa pesquisa constante de recuperar o artista como ícone, como referência cultural.
O processo não só consiste em congelar o instante decisivo de comunhão entre o espectador e o músico mas também em tentar transmitir a emoção de uma canção num concerto através de um clique Trata-se de tentar recuperar a importância da fotografia como parte substancial e necessária de uma indústria musical que não só produz milhões de euros ao ano, como também mobiliza milhões de pessoas movidas por sentimentos comuns.
E é aí, onde a fotografia, no sentido mais tradicional e clássico do termo, deve recuperar o seu papel essencial como transmissor dessa parte tão importante da cultura popular. Numa época de consumo em massa de imagens através de redes sociais e telemóveis, onde cada vez é mais complicado encontrar referências, a fotografia musical deve avançar no sentido oposto.
Precisamos de voltar à obra única, à imagem capaz de ficar gravada na retina das novas gerações e ultrapassar as barreiras do imediato, precisamos de ser capazes de criar Ícones que perduram no tempo como Leibovitz fez com os Rolling Stones ou Jim Marshal fez com os Beatles e Jimmy Hendrix.
Com este objetivo percorri nos últimos dez anos os cenários espanhóis e europeus criando imagens tão poderosos que sejam capazes de transcender o ruído digital que nos invade e de perdurar no tempo. Tive o privilégio de poder fotografar quase mil concertos, novos artistas, grupos clássicos, ídolos de juventude, grandes compositores e o que prentendo transmitir com esta mostra é o resumo definitivo desta década de música. Uma década em que pude dar graças por, como disse Jim Marshall, ter captado coisas verdadeiramente alucinantes.” Javier Bragado
(*) Inauguração: 19 de outubro, às 16h. Às 17h, o autor faz uma visita guiada de participação livre.

Horário:
Terça a sexta-feira: 10h às 18h
Sábado, domingo e feriados: 15h às 19h
Encerrado à segunda-feira (exceto durante os meses de julho e agosto), a 1 de janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio e 25 de dezembro
Entrada Livre

Centro Português de Fotografia/ Direção-Geral de Arquivos
Edifício da Cadeia da Relação do Porto
Campo Mártires da Liberdade – Porto
Telf: 222 076 310 | Fax 222 076 311
www.cpf.pt

PUB
Pingo Doce Bairro Feliz

Viva! no Instagram. Siga-nos.