Recheio

Empresa portuense recebe Selo da Diversidade

Empresa portuense recebe Selo da Diversidade

Uma empresa sediada no Porto, a Natixis, recebeu, no passado mês de novembro, o Selo da Diversidade 2019 ao implementar um novo projeto que promove a inclusão no setor digital. Venha saber mais sobre este projeto e o galardão recebido pela empresa.

A tecnologia é o futuro e, ao longo das últimas décadas, tem sido visível a forma como esta promove mutações no comportamento individual e social.
Todas as formas como comunicamos e interagimos passaram a ser, de alguma forma, pautadas por instrumentos tecnológicos e, dentro destes, as aplicações e extensões – como as redes sociais, os motores de busca ou as extensões do Google Chrome – modelam fortemente as nossas pesquisas, as nossas escolhas e a nossa forma de nos apresentarmos ao mundo.
Apesar da grande abrangência das estruturas tecnológicas que encontramos no século XXI e da grande evolução que se tem sentido em termos da busca pela diversidade e pela integração, a verdade é que nem o mais vanguardista dos setores, a tecnologia, consegue ainda ser totalmente inclusivo.
O Selo da Diversidade surge, assim, como o galardão que premeia as empresas, a nível global, que agem no sentido da promoção dessa integração e diversidade, tentando tornar os vários setores mais igualitários e promovendo a equidade.
Em 2019, a atribuição deste prémio versou uma empresa sediada na cidade portuguesa do Porto, a Natixis, pela implementação, no seu Centro de Excelência em IT, do projeto que nomeou como “Champion for change”. Venha conhecer as caraterísticas e as intenções do projeto que valeu a distinção a esta empresa da cidade do Porto.

Champion for Change: um projeto campeão em diversidade

Foi no Centro de Excelência em IT, pertencente à empresa Natixis, que surgiu o projeto “Champion for Change”, o responsável por que a empresa fosse distinguida com o Selo da Diversidade 2019.
Esta iniciativa, que foi lançada no começo do ano passado, tinha como principal intenção a promoção da diversidade e da inclusão no mercado da Tecnologia no nosso país, lançando várias iniciativas ligadas à Informação e à Educação em Portugal.
O projeto lançado pela Natixis, “Champion for Change”, teria como intenção a integração, neste setor, de classes sub-representadas no mesmo. O estímulo da presença e do trabalho femininos no meio tecnológico português é uma das intenções deste projeto, que gostaria de ver uma melhor representação das mulheres também em áreas como a engenharia, a ciência e a matemática.
Este projeto tem sido responsável pelo desenvolvimento de inúmeras atividades em meio escolar, dirigidas especialmente a crianças e jovens. Estas visam, fundamentalmente, enriquecer a sua compreensão sobre o trabalho no setor tecnológico, enriquecendo os seus conhecimentos e mostrando esta via laboral como uma oportunidade de futuro.
Fazem ainda parte deste projeto vários eventos de networking, onde a empresa tenta trazer alguns dos nomes mais importantes do setor para conversas informativas sobre a inclusão e a diversidade no meio da Tecnologia em Portugal. Os desafios e as soluções para um setor mais igualitário, nomeadamente no que diz respeito às questões de género, são algumas das temáticas fundamentais destes encontros.

A perspetiva da empresa sobre o prémio

Após a receção do prémio pela implementação de “Champion for Change”, a Natixis afirmou que se orgulha muito deste projeto e que acredita que o mesmo possa ter um grande impacto positivo nas crianças e jovens, permitindo uma mutação efetiva e duradoura na sociedade.
A felicidade na receção do prémio prendia-se, pois, com a sensação de contributo efetivo para a edificação de sociedades mais esclarecidas e conscientes, igualitárias e diversas.

Os desafios da diversidade no século XXI

Apesar do longo caminho percorrido em termos de equidade de género, com os movimentos pró-diversidade que têm vindo, internacionalmente, a ser realizados no que diz respeito ao trabalho e seus modelos, a verdade é que ainda existem números demonstrativos de que, em alguns setores, a presença feminina é bastante reduzida e cargos nos quais a sua remuneração é bastante mais baixa face a homens que se encontram na mesma posição.

A equidade de género em Portugal

Segundo os estudos realizados em 2019 sobre a equidade de género no país, relata-se que, apesar de existir uma melhoria no que diz respeito à igualdade entre homens e mulheres no país, ainda existe um caminho a percorrer.
Os números do Índice de Igualdade de Género medem o progresso da igualdade de género na União Europeia (UE) em seis áreas distintas: poder, trabalho, educação, finanças, saúde e tempo, considerando os aspetos que diferenciam a realidade de vários grupos, incluindo homens, mulheres, faixas etárias e pessoas portadoras de deficiência.
No que diz respeito às questões de equidade de géneros, Portugal obteve, este ano, 3,9 pontos acima relativamente aos últimos dados, do ano 2015, o que coloca o país com 59,9 e ainda entre os piores resultados da UE. Neste momento, na Europa, a média é de 67,4 pontos para a igualdade de género.

PUB
Pingo Doce Sabe Bem

Viva! no Instagram. Siga-nos.