Pingo Doce

Festa da Bugiada

Festa da Bugiada

Bugiada candidata-se a Património Mundial da UNESCO

A Rede Ibérica, iniciativa da Prodestur (Associação para o Desenvolvimento e Promoção do Turismo Cultural Ibérico), tem sede no município de Zamora, em Espanha, e pretende funcionar como uma estrutura de apoio, aconselhamento, estudo e divulgação dos rituais com máscara.

masc_1Valongo é um dos membros fundadores do projeto e pretende explorar o potencial turístico da Bugiada de Sobrado, lançando-a numa candidatura a Património da Humanidade. “É uma temática à qual temos dado ênfase nos últimos anos porque temos noção de que a Festa dos Bugios tem um potencial supra concelhio e supra regional”, afirmou, em declarações à Viva, o vice-presidente da Câmara de Valongo, João Paulo Baltasar. Desta forma, a autarquia decidiu dar mais um passo na transformação de uma festa local numa romaria de âmbito internacional. “É uma boa oportunidade para conseguirmos duas coisas: acelerar o processo de divulgação da Bugiada e melhorar do ponto de vista turístico”, acrescentou o autarca.

Uma festa que lhes “está no ADN”

O célebre clima de tensão entre Bugios (cristãos) e Mourisqueiros (mouros), encenado pela população de Sobrado, vive, essencialmente, de uma transmissão oral, de geração em geração. “Não há um guião. É vivida por toda a vila, está-lhe no ADN”, contou, entre risos, o vice-presidente da câmara. “Aliás, quando nasce cá um bebé, costumamos dizer que é um potencial bugio ou marisqueiro”, acrescentou, de modo a ilustrar a paixão com que a festa é preparada.

Segundo João Paulo Baltasar, um dos principais objetivos de Valongo é o de mostrar o seu conteúdo cultural e etnográfico. “Consideramos que a festa pode ter um impacto turístico e económico muito importante. Sabemos que, em Espanha, o aproveitamento turístico das festas é muito bom e, por isso, quisemos aprender com os melhores”, salientou. Assim, na primeira reunião da Rede Ibérica da Máscara, realizada em Zamora no final do ano passado, estiveram presentes 60 pessoas e dela saiu um grupo de 15 elementos para a preparação da candidatura a Património da Humanidade.

masc_3Recentemente, Zamora acolheu uma nova reunião que contou com os desfiles de mais de 20 exemplares de festas com máscaras. “Os participantes rondavam os 300”, afirmou o vice-presidente da Câmara de Valongo, fazendo o paralelo com a Bugiada de Sobrado que consegue envolver “mais de 600 participantes”.

A origem da lenda

Os exércitos de cor e som que enchem a vila de Sobrado cumprem uma lenda que remonta ao tempo em que os muçulmanos ocuparam boa parte da Península Ibérica. De acordo com as vozes mais antigas, na Serra de Santa Justa existia uma tribo moura a explorar o ouro. Na planície do Sobrado vivia uma tribo cristã que venerava S. João Batista. A filha do chefe dos cristãos adoeceu, recuperando rapidamente graças à imagem do santo. No entanto, o mesmo aconteceu à filha do rei dos mouros que, apesar de professar uma religião diferente, pediu aos cristãos a figura do santo batizador. A tribo recusou-lhe o pedido e estavam lançadas as bases para uma guerra aberta entre Bugios e Mourisqueiros. Por amor à máscara e à força da tradição, os habitantes de Sobrado vão preservar o clima de tensão, recriando, com minúcia e rigor, o “campo de batalha” que pretendem levar além fronteiras.

Mariana Albuquerque

PUB
Pingo Doce Bairro Feliz

Viva! no Instagram. Siga-nos.