BPI

Festival Dias da Dança e FITEI de mãos dadas em 2019

Festival Dias da Dança e FITEI de mãos dadas em 2019

Entre 24 de abril e 25 de maio, as cidades do Porto, Matosinhos e Gaia são os palcos maiores do DDD – Festival Dias da Dança e do FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, que este ano surgem associados. O Brasil é o denominador comum da programação dos festivais.

Em 2019, o “jovem mas robusto” DDD – Festival Dias da Dança (24 de abril a 12 de maio) e o “histórico mas renovado” FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (8 a 25 de maio) unem-se numa “grande cumplicidade artística e parceria de comunicação”, transformando o norte de Portugal no ponto de encontro das artes performativas.

O Brasil, e o trabalho de artistas brasileiros, é o foco de ambos os festivais, que se intercetam numa “Semana +” (8 a 12 de maio), esta dedicada à criação artística nacional, apresentando uma seleção de vinte produções nacionais (dez de dança e dez de teatro) às oito dezenas de programadores e diretores artísticos internacionais inscritos no evento.

A apresentação dos programas decorreu esta quarta-feira no salão nobre do centenário Clube Fenianos Portuenses, um dos 40 espaços a receber as 112 récitas programadas para o Porto, Gaia, Matosinhos e Viana do Castelo.

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, sublinhou o momento “verdadeiramente especial – histórico! – no panorama cultural da região e do país” que resulta de “sinergias tão orgânicas e profícuas”. “O DDD+FITEI corporiza o trabalho que iniciámos em 2013 a desenvolver na cultura” e é hoje “o maior festival de artes performativas a nível nacional e também já um dos maiores da Europa”, disse ainda o autarca, acrescentando que “a partir de hoje, todos diremos com orgulho «DDD+FITEI»”.

Para a presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, “não podemos desenvolver as cidades e pensar o futuro das populações se não investirmos na cultura”, pelo que considera que a aposta no modelo deste festival é a prova de que “queremos afirmar uma região, mais do que este ou aquele município”.

A vereadora da Cultura da Câmara de Gaia, Paula Carvalhal, garantiu o reforço da parceria entre as três cidades da Frente Atlântica (Porto, Gaia e Matosinhos) para o festival, tendo em conta “a necessidade de investir cada vez mais em cultura e prosseguir uma política cultural consistente”.

Maria José Guerreiro, vereadora da Cultura da autarquia de Viana do Castelo, constatou que “há um reforço da frente cultural a norte” e manifestou o desejo de ver este fenómeno alargado a outros municípios, já que “trabalhar em rede é cada vez mais importante”.

Tiago Guedes e Gonçalo Amorim, diretores artísticos do DDD e do FITEI, respetivamente, sublinharam que a forte vertente de artistas e espetáculos brasileiros dará corpo e expressão a “um momento difícil” que o panorama artístico vive atualmente devido à situação política no Brasil.

O programa dos festivais

De 24 de abril a 12 de maio, o Festival DDD apresentará 42 espetáculos dentro e fora de portas, 21 atividades extra para todos os públicos e 6 workshops intensivos para profissionais.

Além dos espetáculos portugueses, Tiago Guedes destacou “o desafio de encher o Coliseu com um espetáculo de dança”, tendo a missão sido atribuída à Companhia de Dança da Ópera de Gotemburgo com a atuação numa plataforma inclinada a 45 graus.

No que toca ao Foco Brasil, o diretor referiu as estreias nacionais de “Looping: Bahia Overdub”, de Felipe de Assis, Leonardo França & Rita Aquino, “Acordo”, de Alice Ripoll/Cia. Rec; e “Fúria”, de Lia Rodrigues.

A oferta do DDD está agrupada nas vertentes DDD IN (espetáculos em sala), DDD OUT/Corpo+Cidade (espetáculos no espaço público), DDD Extra (atividades paralelas, incluindo workshops) e DDD Pro (workshops para profissionais).

A 42ª edição do FITEI decorre de 8 a 25 de maio em Matosinhos, Porto, Vila Nova de Gaia, Felgueiras e Viana do Castelo, e apresentará obras nacionais, mas também do Brasil, Uruguai, Chile e Argentina.

Gonçalo Amorim destacou, de entre os 11 espetáculos internacionais e 14 nacionais, “Ella sobre Ella”, da uruguaia Marianella Morena, “Yo escribo, Vos dibujás”, do argentino Federico León, e “Don Juan esfaqueado na Avenida da Liberdade”, de Pedro Gil. Enquadradas no Foco Brasil, salientou as apresentações de “Preto”, de Márcio Abreu, “Odisseia”, pela companhia brasileira Hiato, e “Democracia”, do brasileiro Felipe Hirsch.

Mais informações nos sites www.festivalddd.com, www.dddmaisfitei.com e www.fitei.com.

Foto: Miguel Nogueira – CMPorto

Viva! no Instagram. Siga-nos.