Pingo Doce

Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica

Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica

Na 34.ª edição do festival, que decorre entre os dias 27 de maio e 5 de junho, o teatro da América Latina assume especial relevância, lado a lado com os novos talentos portuenses. “Vamos fazer um festival com menos dias, ainda que com um conjunto substancial de espetáculos, nomeadamente de sete grupos emergentes do grande Porto”, avançou o diretor artístico, Mário Moutinho.
Na apresentação oficial da programação, o responsável adiantou ainda que o corte orçamental para esta edição foi de cerca de 16%. No entanto, a organização acredita que conseguiu elaborar uma proposta “com o mesmo espírito da dos anos anteriores”, pelo que considera que o público não ficará desiludido.


fitei_4Companhias portuenses vão mostrar trabalho

A organização do FITEI encontrou, assim, uma forma de contornar a crise, dando às companhias “Bisturi”, “Erva Daninha”, “A Turma”, “A PELE – Espaço de Contacto Social e Cultural”, “Ponto Teatro” e “Rei Sem Roupa” a oportunidade de mostrar o que valem, sob o olhar atento do público.
O ciclo, denominado “Vão de Escada”, é caracterizado por Julieta Guimarães, comissária do projeto, como “um espetro muito largo de disciplinas, com espetáculos da mais alta qualidade, com linguagens tão distintas como a dança, o circo ou a intervenção”. “Gostava que esta iniciativa representasse um alerta para as dificuldades que as companhias criadas no pós-anos 1990 estão a passar”, acrescentou a responsável, recordando a ausência de apoios às programações das estruturas mais recentes.
A comissária do “Vão de Escada” explicou também que o nome da iniciativa resultou da “marginalidade” em que se movimentam as estruturas emergentes. “O ‘Vão de Escada’, às vezes, também é uma vontade. Estamos lá porque queremos estar”, assumiu. Deste modo, é com espetáculos como “Histórias de Família”, do “Bisturi”, “Pira Te”, da “Erva Daninha”, “História de Amor”, da “Turma” e “Meto a colher”, da associação PELE, que os novos artistas pretendem afirmar-se em cima do palco.

A arte em vários recantos da cidade

O FITEI 2011 vai passar por diversos locais do Porto, nomeadamente o Teatro Nacional São João, Teatro Nacional Carlos Alberto, Biblioteca Municipal Almeida Garrett, Fundação de Serralves, Teatro Helena Sá e Costa, Centro Português de Fotografia, Estúdio Zero, Estúdio Latino, Balleteatro, ESAP, Mosteiro S. Bento da Vitória, Fábrica da Rua da Alegria e Cine-Teatro Constantino Nery.

A abertura do festival vai ser feita no dia 27, às 22h30, junto ao Centro Português de Fotografia (CPF), com o espetáculo “Pala Pala”, da companhia argentina R.E.Adanza, que retrata “os princípios da Natureza, a sua faceta mais terrível”. “Estimulante tanto a nível visual como sonoro, este espetáculo utiliza as potencialidades da estética da dança virtual – a sua possibilidade de transmitir a ilusão de voo – para contar a história de um corvo, precisamente pala pala, em quíchua (língua indígena da América do Sul), e de uma pomba”, explica a organização em comunicado. A fachada do CPF vai, então, ser transformada num cenário que remete para uma floresta, “onde as leis do ‘mundo natural’ são incontornáveis”.

fitei_1Mário Moutinho destaca ainda os trabalhos de um “nome de referência do teatro brasileiro” – Antunes Filho. O FITEI 2011 vai, assim, receber os espetáculos “Policarpo Quaresma”, nos dias 28 e 29 de maio, e “Lamartine Babo”, a 4 e 5 de junho.
Na primeira performance, inspirada no romance de Lima Barreto “O Triste Fim de Policarpo Quaresma”, o encenador brasileiro retrata a “história de um herói ingénuo e bem-intencionado, um nacionalista fervoroso, que acaba por ser vítima das suas próprias crenças”, uma vez que o país que defende nada de bom lhe dá em troca.
Em “Lamartine Babo”, Antunes Filho “homenageia um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira, Lamartine de Azeredo Babo, que se consagrou pela sua criatividade, humor e irreverência”.

De Espanha chega ainda “La maldición de Poe”, peça de marionetas do Teatro Corsário apresentada no dia 4 de junho, no Cine-teatro Constantino Nery. O palco do espaço matosinhense receberá também uma coreografia da espanhola Nuria Sotelo.

Homenagem a João Paulo Seara Cardoso

No dia 28 de maio, às 23 horas, o Teatro de Marionetas do Porto vai relembrar o espetáculo “Make Love Not War” – o último concebido por João Paulo Seara Cardoso, fundador do teatro que faleceu em 2010.
Trata-se de uma peça que “recria, com uma estética bélica contemporânea e até futurista, uma guerra que, no fundo, é igual a todas as guerras”. Música e fogo-de-artifício são alguns dos ingredientes que acompanham a performance de homenagem, em Serralves.

 

fitei_2Exposições e conferências

Além dos espetáculos de teatro, a programação do FITEI conta ainda com várias exposições fotográficas e conferências. Logo no dia 27, Renato Roque inaugura o projeto “Hollywood e outros cenários”, no qual “ao captar imagens de barragens do Douro consegue abordar várias questões, como por exemplo, a ambiguidade como essência do processo fotográfico”.
A conferência “Cinema com gente de verdade: teatro, ilusão e realidade no cinema cubano”, o “III Encontro Ibérico de Publicações Periódicas de Artes Cénicas” e o encontro “A dramaturgia alemã no panorama teatral português” são outras propostas da 34.ª edição do FITEI.

Mariana Albuquerque

PUB
www.pingodoce.pt/folhetos/tematico/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=151019-escolhas5&utm_campaign=poupeestasemana

Viva! no Instagram. Siga-nos.