Pingo Doce

Maia implementa recolha seletiva de resíduos orgânicos porta-a-porta nos prédios

Maia implementa recolha seletiva de resíduos orgânicos porta-a-porta nos prédios

Com o objetivo de sensibilizar para a importância da separação e valorização dos resíduos orgânicos (bioresíduos) na cadeia de valor, a Maiambiente vai arrancar com a implementação da recolha seletiva porta-a-porta destes resíduos, em compartimentos de habitações coletivas do concelho, assim como com o alargamento da recolha seletiva deste fluxo no canal Horeca. Através deste investimento, de cerca de um milhão de euros, com cofinanciamento de 85% aprovado pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no uso de Recursos (POSEUR), a Maia consegue reforçar, ainda mais, a sua posição na recolha seletiva de resíduos.

“Trata-se de um projeto que contribuirá para a valorização dos resíduos orgânicos com potencial de compostagem (produção de composto orgânico) e para a diminuição dos resíduos indiferenciados, prevendo-se uma capacidade adicional de reciclagem de resíduos de 3.522 toneladas/ano”, explica o comunicado envido à VIVA!. Com esta solução, “estima-se aumentar a recolha de resíduos com potencial de valorização em 26 kg/hab./ano e um crescimento 6,38% ao nível do indicador de preparação para reutilização e reciclagem (PERSU 2020) face aos resultados de 2018”. Ao todo, serão abrangidos mais de 35 mil habitantes e cerca de 16 mil alojamentos servidos por 665 compartimentos de resíduos sólidos urbanos.

O financiamento permitirá adquirir cerca de 17 mil novos equipamento, como por exemplo, “cestos de 5L para o interior das habitações, contentores de 140L e 240L para os compartimentos e ainda contentores de 50L e 240L para os clientes do canal Horeca”. Além disso, permitirá, ainda, indica a nota de imprensa, a renovação da frota, tornando-a mais sustentável, com a aquisição de mais duas viaturas de recolha seletiva, movidas a gás natural comprimido.

Recorde-se que a Maia já apresenta um histórico de recolha seletiva ao nível dos bioresíduos. Em 2018, arrancou com o projeto piloto de recolha de resíduos orgânicos integrado no serviço de recolha porta-a-porta, em habitações uni e bifamiliares, na freguesia de Águas Santas. Trata-se de uma experiência, que iniciou nos finais de outubro, onde ao serviço de recolha seletiva porta-a-porta existente (papel/cartão, embalagens e vidro) se integrou a componente dos orgânicos, de forma a potenciar a separação e a valorização destes resíduos, muitas vezes colocados no indiferenciado.

Viva! no Instagram. Siga-nos.