BPI

Portugal testa tecnologia inovadora de redes inteligentes em clientes residenciais e empresariais

Portugal testa tecnologia inovadora de redes inteligentes em clientes residenciais e empresariais

A EDP Distribuição está a coordenar um projeto com 14 parceiros europeus — entre os quais o INESC TEC – Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência — destinado a testar soluções inovadoras que melhorem o funcionamento da rede elétrica. Durante a fase de implementação, o projeto InteGrid vai contar com 175 participantes residenciais e empresariais das localidades de Alcochete, Caldas da Rainha, Mafra e Valverde.

“Os participantes selecionados irão beneficiar da instalação de equipamentos de medição inteligente, desenvolvidos para permitir uma maior interação e disponibilização de dados na rede elétrica”, explicam os promotores, adiantando que, posteriormente, o projeto será implementado, ao nível da rede de média tensão, em 25 instalações em Mafra, incluindo consumidores industriais, parques eólicos e unidades de cogeração.

Na rede de média tensão será feita a “integração de unidades de medida avançada (RTU- Remote Terminal Unit), a partir dos quais os geradores e consumidores de média tensão podem obter informação sobre os seus perfis energéticos, otimizando os seus processos e contribuindo para a gestão da rede de distribuição, em caso de constrangimentos técnicos”. Já no que respeita à baixa tensão, as soluções HEMS (Home Energy ManagementSystems) estão a ser instaladas nas casas de 150 clientes das localidades de Alcochete, Caldas da Rainha, Mafra e Valverde. O sistema em causa “permite controlar equipamentos inteligentes, desde painéis solares e baterias, veículos elétricos e eletrodomésticos”.

Através de uma aplicação, o utilizador pode agendar o funcionamento de equipamentos como, por exemplo, ar condicionado ou máquinas de lavar a roupa, gerindo, deste modo, “de forma mais eficiente” a sua utilização, “beneficiando da melhor tarifa e aproveitando a energia autoproduzida através dos painéis fotovoltaicos”.

“Entre os principais desenvolvimentos do projeto, destaca-se o Grid and Market Hub, uma plataforma centralizada para troca de informação entre o Operador da Rede de Distribuição, os consumidores, produção e agentes de mercado, de forma a operar a rede de forma eficiente e fiável, bem como o HEMS, o sistema que permite aceder digitalmente a informações sobre o consumo e produção de eletricidade, controlando os seus consumos, custos e impacto ambiental”, salienta Ricardo Mendes André, coordenador do projeto.

“Num futuro breve e através destas novas ferramentas e fontes de informação, o consumidor terá acesso a novos serviços energéticos, em novos modelos de negócio, em que o próprio poderá participar e maximizar a utilidade dos seus recursos energéticos” conclui Ricardo Bessa, coordenador técnico.

O projeto InteGrid conta com um investimento de cerca de 15 milhões de euros.

PUB
www.pingodoce.pt/responsabilidade/premio-literatura-infantil/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=10022020-pli&utm_campaign= fasetexto

Viva! no Instagram. Siga-nos.