BPI

Regresso às aulas: número de horas de sono é determinante para o sucesso escolar

Regresso às aulas: número de horas de sono é determinante para o sucesso escolar

Problemas de concentração, dificuldade em reter informações ou um baixo desempenho na sala de aula podem ser consequências de um sono insuficiente. Além disso, uma boa noite de sono ajuda as crianças a gerir melhor as emoções, controlar impulsos e tomar boas decisões, o que é fundamental para o seu sucesso académico.

“O regresso às aulas e a novos horários para acordar e deitar pode ser muito desafiante para as famílias que voltaram de férias, um período em que as rotinas são bastante diferentes. O sono é sempre importante, pois relaciona-se com o nosso funcionamento cognitivo, emocional e com a saúde física e mental. É importante sabermos o que fazer para dormir melhor e quais as consequências de menosprezar o sono”, refere a psicóloga e especialista em sono, Teresa Rebelo Pinto.

A pensar nisso, a Associação Nuvem Vitória, que todas as noites lê histórias de embalar a crianças hospitalizadas e que tem também como missão o desenvolvimento de materiais que propiciem um ambiente favorável a uma noite de sono recuperadora, reuniu os principais conselhos para voltar a ter uma rotina de sono neste início do ano letivo:

1 – Definir uma rotina para dormir
É importante preparar o momento de ir dormir muito antes da criança ir para a cama. Para facilitar o sono, deve haver uma rotina consistente todas as noites, que pode começar com tomar banho, ler uma história de embalar, ouvir música e baixar as luzes. São estes hábitos que preparam a criança para a hora de ir para a cama e facilitam o adormecer e a qualidade do sono durante a noite.

2 – Ajustar horários gradualmente
Por vezes, as crianças têm alguma sonolência nos primeiros dias de aulas, o que pode estar relacionado com o facto de não estarem habituadas a deitar-se a horas certas. Esta adaptação para os novos horários deve ser feita com alguma antecedência e de forma progressiva. Por exemplo, antecipando entre 15 a 30 minutos por dia a ida para a cama até se chegar ao horário indicado, isto é, aquele que garante o número de horas de sono necessárias para cada idade. As crianças de 10 anos devem dormir cerca de 10 horas, as mais novas devem dormir mais do que isso, e os adolescentes precisam de 8h30 a 9h30 de sono por noite.

3 – Não usar aparelhos eletrónicos à noite
Telemóvel, televisão, tablets, consolas de jogos devem ficar fora do quarto e não devem ser utilizados pelo menos duas horas antes da hora de dormir. Além de serem estimulantes, numa fase do dia em que as crianças deveriam estar a acalmar, a luz azul que alguns aparelhos emitem interfere com a produção de melatonina, a hormona que faz com que o corpo se prepare para dormir.

4 – Alimentação leve e sem cafeína
O que comemos também afeta a duração e a qualidade do sono. É, por isso, muito importante apostar em jantares mais ligeiros e não ingerir demasiado açúcar e cafeína (que está presente, por exemplo, nos refrigerantes) até três horas antes de dormir.

Teresa Rebelo Pinto, psicóloga e especialista em sono, lembra que “as crianças até aos 3-5 anos ainda precisam de sestas durante o dia e que é fundamental dormir o suficiente todas as noites, para que as crianças sejam, mais tarde, adultos saudáveis e com sucesso na vida”. “Quando dormem pouco ou mal, as crianças podem ter sonolência diurna ou até ficar mais irrequietas e agitadas. Também é importante identificar alterações do humor, dificuldades na escola ou maior agressividade, sinais que estão frequentemente associados à privação de sono nas crianças e jovens. Se uma criança dorme pouco, a tendência é ter cada vez mais dificuldades em dormir bem, por isso deve-se intervir o mais cedo possível. Além disso, as crianças que dormem pouco têm mais dificuldade em raciocinar, sobretudo em tarefas que envolvam pensamento abstrato e criatividade. Não há dúvida que o dia a dia nas escolas corre muito melhor quando investimos em boas noites de sono”, conclui.

PUB
lerlevanosmaislonge.pingodoce.pt/?utm_source=vivaporto&utm_medium=banner&utm_term=banner&utm_content=240919-maislonge5&utm_campaign=lermaislonge

Viva! no Instagram. Siga-nos.