BPI

Sugestões 7 dias

Sugestões 7 dias

Já pensou no que vai fazer nos próximos dias? Se está com dificuldades, a VIVA! dá-lhe uma ajuda. Há um especial percurso por concertos e espetáculos ao ar livre, mas também boas exposições e mercados para visitar. Aproveite…

Feira do Livro do Porto 2019
Os Jardins do Palácio de Cristal acolhem, até ao dia 22 de setembro, a sexta edição da Feira do Livro do Porto. O professor jubilado, filósofo e ensaísta Eduardo Lourenço é o autor homenageado. O evento, focado “no pensamento e nas ideias”, como refere a Câmara Municipal do Porto, contará, além dos livros que vão chegar de dez livrarias, 46 editoras, 21 alfarrabistas e cinco distribuidoras, entre outras instituições com projetos de edição, com atividades que incluem debates, exposições, cinema, sessões especiais, oficinas e música.
Destaque para “Navio dos Loucos” (sábado, 14 de setembro, 21h30), um espetáculo de spoken Word à volta de poemas de Cláudia R. Sampaio, José Anjos, Mário Cesariny e Daniel Faria, entre outros, ditos por Cláudia R. Sampaio e José Anjos, com composição e interpretação musical de João Morais (O Gajo) na viola campaniça e Carlos Barretto no contrabaixo. Ao longo do espetáculo serão projetadas imagens a partir da pintura de Cláudia R. Sampaio.
O debate “A esperança de habitar a terra” está marcado para domingo, 15 de setembro, pelas 16h. À noite, pelas 21h30, é projetado o filme “Nada a Esconder”, de Michael Haneke. No dia 19, pelas 22h, o Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett acolhe o ciclo poético Quintas de Leitura.
Mais informações sobre o programa disponíveis aqui.

Destaques
Matosinhos recebe figuras de renome internacional em Festival de Cinema Aventura

Até 15 de setembro, o Mercado Municipal de Matosinhos recebe o Festival de Cinema Aventura, que à noite, sempre às 21h30, exibirá mais de 20 curtas com “histórias de aventura que têm o poder de inspirar, emocionar e provocar reflexão no público, procurando realizar algumas mudanças na comunidade e no mundo”, indica o comunicado enviado à VIVA!.
Do programa fazem parte conferências, exposições fotográficas, workshops e diversos painéis de debate. Destaque para o painel dedicado à temática “O nosso impacto enquanto viajantes”, da autoria de Pedro Moreira, autor do Blog Pedro On the Road, e que se realiza no sábado, 14 de setembro, às 12h00. No mesmo dia, pelas 18h00, Nathan Thornburgh e o fotógrafo Eduardo Leal, vão participar no painel intitulado “Roads & kingdoms”, que contará com uma “conversa intimista e aberta sobre o significado de narrativa de viagem, através das experiências do Nathan com a Roads & Kingdoms e da produção, para a CNN, da plataforma “Anthony Bourdain: Explore Parts Unknown”.
Com o intuito de inspirar todas as mulheres a saírem da sua zona de conforto, abraçando novas experiências e libertando-se de preconceitos para se aproximarem do mundo com uma mente aberta, como percorrer o mundo à boleia, o Festival de Cinema Aventura promoverá, pelas 15h00, o painel “À Boleia com Marta Durán”, onde serão partilhadas histórias de Marta Durán e Tania Muxima.
No dia seguinte, 15 de setembro, pelas 15h30, o evento dedica um painel à temática“Mulheres em Viagem”que contará com a presença de Filipa Chatillon, Berta BB Couto e Ana Mineiro para falar sobre o que significa viajar enquanto mulher, partilhando as suas experiências sobre a primeira vez que viajaram sozinhas.
O Festival de Cinema Aventura é organizado pela agência de viagens Nomad em parceria com Câmara Municipal de Matosinhos.
Mais informações sobre a programação disponíveis aqui.

MEXE vai juntar mais de 400 artistas de seis países
A quinta edição do MEXE – Encontro Internacional de Arte e Comunidade decorre no Porto de 13 a 22 de setembro e vai envolver mais de 400 participantes, oriundos de seis países, em 70 propostas artísticas que abordam “o comum”, tema deste ano do evento. Durante esse período, o encontro vai ocupar 22 salas e espaços públicos da cidade com conferências, espetáculos, paradas, oficinas e criações originais.
O objetivo, segundo revela a organização, é despertar o debate em torno da construção de espaços criação, participação e cidadania em tempos de instabilidade política e social.
O warm-up do MEXE – Encontro Internacional de Arte e Comunidade tem lugar no Cinema Trindade. Aqui, serão exibidos 5 filmes, onde a arte e a comunidade se cruzam através dos diferentes projetos e realidades retratadas. No Teatro Carlos Alberto, estreias nacionais de “Isto é um Negro?”, da companhia brasileira “EQuem Égosta?”, uma proposta sobre o que é ser negro e negra no Brasil, que tenta construir estratégias de questionamento sobre a perpetuação do racismo estrutural. Outra proposta, também brasileira, é “Quando Quebra Queima”, um espetáculo construído por estudantes que viveram o processo de ocupações e manifestações do “movimento secundarista”. “Quinze corpos insurgentes deslocam para a cena a experiência que tiveram dentro das escolas ocupadas entre 2015/2016, criando uma narrativa coletiva a partir da perspectiva de quem viveu intensamente o dia a dia dentro do movimento”, explica o comunicado enviado À VIVA!.
Do Uganda chega uma proposta original de António “Bukhar” Ssebuuma e Faizal Mostrixx Ddamba, “Empty the Space”, que transforma o movimento num diálogo sobre o espaço nos tempos modernos, num jogo constante entre a dança contemporânea e os ritmos mais tradicionais de África. Os artistas orientarão ainda uma oficina dedicada a explorar o diálogo entre as danças tradicionais e urbanas. A programação proveniente no hemisfério sul encerra com Children of The New World, uma performance solo de dança sobre abuso infantil coreografada e interpretada pelo bailarino tanzanês Samwel Japhet.
A grande novidade desta edição é o Mexe Praça, um ponto de encontro e discussão aberta que servirá como espaço de contacto com a cidade e o público do encontro, que vai estar localizado no Jardim de São Lázaro. Por esse palco passarão, também, os concertos do Coro da Fundação Manuel António da Mota, dos OUPA CERCO, de Fado Bicha e do Projeto TumTumTum e realizar-se-á a conversa com o filósofo Vladimir Safatle, centrada “numa reflexão em torno dos limites das dicotomias entre humanidade e animalidade, humanidade e inumanidade”.
A programação completa do evento pode ser consultada na sua página oficial.

FIGaia – Fórum Internacional de Gaia
Conferências, debates, espetáculos e outras intervenções culturais focadas nas ideias da “Colaboração em Português”. Assim é a 3ª edição do FIGaia – Fórum Internacional de Gaia, que decorre até ao dia 22 de setembro, em diversos locais da cidade.
O evento apresenta uma programação diversificada e para todo o tipo de públicos, dedicada ao ambiente e à Língua Portuguesa, num total de 80 ações, desde conferências até debates e espetáculos, passando por outras intervenções culturais.
“Entre a Biblioteca e o Auditório Municipal, o novo Quarteirão da Poesia será o coração de um fórum que se alargará a todo o município, espalhando a palavra falada e cantada por Gaia. Convocando as áreas do pensamento, música, teatro, dança, artes visuais e literatura para os diferentes palcos, ruas, escolas e cafés, a poesia em português vai animar o tecido da cidade”, assegura a Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia. Para os mais pequenos, haverá poesia e conto “nas vozes de contadores de histórias experientes”.
Uma das novidades da edição de 2019 do Fórum é o Baile Brega, que vai ter lugar na garagem do auditório municipal, local que será o ponto de encontro entre as várias propostas artísticas.
Toda a programação disponível aqui.

Outras atividades
Porto Pride

A Praça D. João I vai encher-se de cor para receber a primeira edição do Porto Pride. Organizado pela Variações, Associação de Comércio e Turismo LGBTI de Portugal, com o apoio da Câmara do Porto, através da empresa municipal Ágora – Cultura e Desporto, o evento vai trazer 12 horas de cor e animação.
O programa inclui música, workshops, debates e muitas outras atividades. O acesso é gratuito.
Clara Não, o cantor Carlos Costa e a drag queen Camel Toe são alguns dos embaixadores da iniciativa, que vai contar com diversos artistas, como os DJ Vítor Cardoso e Luís Marques, a dupla luso-brasileira Sindykatz, Shuggah Lickurs, Tiago Braga e Black Flamingo.

Sunsets num parque de estacionamento
O Rooftop Open Air chegou, este mês, a Matosinhos e transformou o 7.º andar do Parque de Estacionamento SABA, na Rua Roberto Ivens, numa verdadeira pista de dança. Neste sábado, 14 de setembro, entre as 15h00 e as 22h00, o evento vai contar com a animação dos Djs Diana Oliveira e Call.

Sábados no Mercado | Oficina “Regresso às aulas fora da caixa dos sonhos!”
No segundo sábado do mês, às 15h00, as Talkie-Walkie com Manuela São Simão levam ao Mercado Temporário do Bolhão mais uma oficina familiar, indicada para pequenos e graúdos.

Apresentação do livro “A Vida Num Supermercado”
Este sábado, 14 de setembro, pelas 16h30, no Auditório Casa Comum na Reitoria da U.Porto, a ex-jornalista da VIVA!, Irene Leite, apresenta o seu mais recente livro, intitulado “A Vida Num Supermercado”, com ilustrações de Vítor Rocha. A entrada é livre.
A obra conta a história de Helena, uma jovem licenciada em Psicologia, que, após seis anos de empregos precários, ingressa num supermercado. “A vida nem sempre corre como planeado, sendo este livro um olhar crítico sobre a sociedade do século XXI. O emprego precário é inegável entre os mais jovens, sobretudo licenciados. O diário que Helena escreve a um amor errante é apenas o mote para desabafos sobre a sua ‘prisão psicológica’ vivida no supermercado, que não deixa de ser a metáfora do estado lastimoso e perdido em que a sua vida permanece.”, lê-se na sinopse da obra.
A sessão terá início com uma interpretação acústica do tema “Common People”, original dos Pulp, pelo músico Slimmy, e que se enquadra no universo do livro.
A apresentação de “A Vida Num Supermercado” estará a cargo de Manuel Serrão.

Setembro traz concertos ao ar livre junto ao rio Douro
Todos os sábados do mês de setembro, o Largo Miguel Bombarda é palco de muita música e dança, com cocktails e iguarias do The George Restaurant & Terrace. O Sandeman Stage, evento que junta artistas nacionais e internacionais, regressa este sábado, dia 14, com os Cordel, novo projeto dos cantautores portugueses Edu Mundo e João Pires, que navega num mar de tradições com mergulhos nas raízes lusófonas e entrançam melodias tradicionais como a chula, o vira, o fado canção e a marcha popular, a animar o público.
Os espetáculos decorrem a partir das 18h30, mas a abertura começa uma hora antes com a apresentação de DJ Farofa, residente do The George & Terrace, especializado em música popular brasileira.

XXIV Desfile Nacional do Traje Popular Português
Local: Cais de Gaia
Data: 14 de Setembro
Hora: 21h30

Family Market na Alfândega do Porto
“Back To School”, assim se intitula a 3ª edição do Family Market, que desta vez acontece na Alfândega do Porto.
Várias marcas vão estar presentes no Family Market, que contará ainda com uma programação especial, durante todo o dia, para miúdos e graúdos, assim como workshops e playgroups.
A entrada é gratuita.
Programa:
11h – Playgroup by Go baby, go
14h – Sessão de esclarecimento Amamentar sem dor by A Puérpera – Doula de Pós-Parto
15h – Workshop Como fazer a tua barriga de gesso by Barrigas Em Gesso
16h – Hora do conto: Dot Day by Mercado Azul
17h – Workshop Montessori em Casa by Oriori
A participação nas atividades pode ser feita através do seguinte link: https://forms.gle/pASPcjozossErhmt6.

Moontosinhos – visitas aos mistérios, lendas e histórias de Matosinhos
Desde 2013 que o “Moontosinhos”, ciclo de visitas noturnas à História, ao Património e às Lendas de Matosinhos, se realiza todos os meses em noites de lua cheia.
As visitas guiadas a vários locais e monumentos obedecem a uma temática e realizam-se um pouco por todo o concelho, contando com a participação de centenas de pessoas que acompanham o percurso, questionando e interagindo com a equipa de historiadores e arqueólogos da Câmara de Matosinhos.
Este mês, o Moontosinhos vai revisitar os “montantes” de Guifões, numa atividade marcada para as 21h30 do dia 16 de setembro.

Concertos
Fado à Mesa

Mensalmente, o Restaurante Casa da Música torna-se uma verdadeira Casa de Fados, em que o fado é “servido à mesa” por intérpretes de eleição, honrando a nossa melhor tradição, mas também a contemporaneidade da canção portuguesa por excelência.
Local: Casa da Música
Data: 13 de setembro
Hora: 20h30

Nádia Figueiredo
A cantora e compositora brasileira Nádia Figueiredo apresenta o seu disco de estreia, “Meu idioma é o amor”, com o selo da editora Biscoito Fino. O álbum mistura standards internacionais, peças da música erudita e clássicos da Música Popular Brasileira, refletindo a versatilidade da cantora natural de Belo Horizonte. Produzido pelo célebre Guto Graça Mello, o disco contou com a participação de figuras como Max Wilson, Plácido Domingo Jr., Gilberto Gil e João Donato.
Local: Casa da Música
Data: 13 de setembro
Hora: 21h00

Mariza
Local: Santuário do Bom Jesus do Monte (Braga)
Data: 13 de setembro
Hora: 21h30

James
A banda de Manchester, composta por Tim Booth, Jim Glennie, Larry Gott e Mark Hunter, Saul Davies, David Baynton-Power e Andy Diagram, vem apresentar o seu 15.º álbum de originais, “Living in Extraordinary Times”, lançado em 2018.
Local: Parque da Pasteleira
Data: 13 de setembro
Hora: 22h00

Beat’a’licious
Local: Tasty District
Data: 13 de setembro
Hora: 22h00

O Eterno Feminino | Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Hyeyoon Park, vencedora do prestigiado Concurso ARD de Munique, faz a sua estreia na Casa da Música interpretando uma compositora russa que se tem distinguido por uma expressão emocional, poética e afetiva muito direta. A premissa do Offertorium de Sofia Gubaidulina é um tema que se sacrifica a ele mesmo: o célebre “Tema Real” da Oferenda Musical de Bach é orquestrado à la Webern, distribuído pelos diferentes instrumentos até sobrar apenas uma nota. Ao lado de Jorge Peixinho, Clotilde Rosa foi fundadora do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa e uma pioneira da vanguarda musical portuguesa – Ricercari atesta a sua liberdade criativa sem amarras estéticas. Na mesa redonda que junta em conversa duas grandes compositoras da atualidade, fica a oportunidade para saber mais sobre as obras que preenchem a segunda parte do concerto – da escrita espectral calma e misteriosa da finlandesa Saariaho a uma obra de Unsuk Chin que procura traduzir musicalmente certos fenómenos físicos associados à luz.
Local: Casa da Música
Data: 14 de setembro
Hora: 18h00

Maria Bethânia
Claros Breus tem muitas canções inéditas, algumas inéditas na sua voz, músicos que tocam com Maria Bethânia pela primeira vez e também nova direção musical e arranjos. Neste novo espetáculo, Bethânia quis fazer diferente, mostrar as músicas inéditas ao público antes de as gravar em disco. Os temas são de Adriana Calcanhoto, Chico César, Roque Ferreira e Flávia Wenceslau, mas também de Lenine, Suely Costa, Chico Buarque (inédita na voz dela) e Caetano, entre outros.
Ao seu lado, o maestro baiano Letieres Leite (direção musical e arranjos), Jorge Hélder, contrabaixo e o único que já trabalhou com Bethânia antes, Carlinhos 7 Cordas nos violões de 6 e 7 cordas, Pretinho da Serrinha nas percussões acústica e electrónica e, os também baianos, Marcelo Galter no piano e sintetizadores e Luisinho do JêJe nas percussões acústica e eletrónica.
Local: Coliseu Porto Ageas
Data: 14 de setembro
Hora: 21h30

Teen Spirits
Local: Tasty District
Data: 14 de setembro
Hora: 22h00
Ana Moura
Local: Viana do Castelo | Festival Viana Bate Forte
Data: 14 de setembro
Hora: 22h15

Mulheres Pioneiras | Coro Casa da Música
Sofi Jeannin é uma grande especialista em música coral e tem sido nomeada para cargos de grande relevância: foi Diretora Musical do Coro da Radio France e, logo a seguir, dos BBC Singers – sendo a primeira mulher nomeada para a direcção de qualquer agrupamento da BBC. Dirige pela primeira vez o Coro Casa da Música com um programa que percorre algumas das compositoras mulheres que mais se destacaram ao longo da história: desde a monja, mística e visionária do século XII Hildegard von Bingen, passando por figuras lendárias como Clara Schumann e Lili Boulanger e culminando em desafios da música dos nossos dias, como é o caso da obra de Kaija Saariaho que junta ao canto a emulação de uma componente electrónica realizada apenas pelas vozes do coro.
Local: Casa da Música
Data: 15 de setembro
Hora: 12h00

Barroco Feminino | Orquestra Barroca Casa da Música
Fundadora do prestigiado ensemble de música antiga Gli Incogniti e violinista de referência, Amandine Beyer estreia-se à frente da Orquestra Barroca dirigindo um programa dominado por mulheres que desafiaram as convenções da época e se afirmaram como compositoras. Instrumentista na corte de Luís XIV, ainda muito jovem Jacquet de la Guerre era apelidada de “maravilha do século”, tendo sido a primeira mulher a escrever ópera em França. Já a princesa Ana Amália de Brunsvique-Volfembutel e a marquesa Guilhermina da Prússia, além de compositoras, foram patronas das artes e da literatura marcando a vida cultural de Weimar e Bayreuth. Isabella Leonarda e Maddalena Sirmen tiveram percursos completamente distintos: a primeira deu azo à sua criatividade no convento, tornando-se a primeira mulher a publicar sonatas instrumentais; a segunda começou a aprender música num orfanato e tornar-se-ia uma violinista virtuosa. Outro orfanato bem conhecido foi aquele em que trabalhou o Padre Rosso, escrevendo múltiplas obras para orquestras femininas.
Local: Casa da Música
Data: 15 de setembro
Hora: 18h00

Patrícia Costa
Local: Tasty District
Data: 15 de setembro
Hora: 19h00

Virtuosismo no Feminino | Remix Ensemble
Maestrina especialmente conhecida no domínio da ópera, Sian Edwards tem-se destacado também pelo trabalho com os mais prestigiados agrupamentos de nova música, como o Ensemble Modern, o Klangforum Wien ou a London Sinfonietta. Estreia-se à frente do Remix Ensemble com um programa que inclui figuras de topo da composição contemporânea e duas estreias de encomendas da Casa da Música. O fascínio pelo lado teatral do solista e a inspiração num livro de Jacques Roubaud levou Kaija Saariaho a transportar para a sua linguagem pessoal uma forma já tão explorada como o concerto para solista e orquestra. Esta será uma oportunidade para ouvir novamente o fantástico violino Guadagnini (1782) de Carolin Widmann, uma grande especialista na interpretação de música contemporânea. A fechar a noite, Unsuk Chin leva-nos ao teatro de rua da sua infância na companhia dos saltimbancos que cruzavam as cidades da Coreia do Sul.
Local: Casa da Música
Data: 17 de setembro
Hora: 19h30

Aiê | Super Bock Unlock
Edgar Valente e Luiz Gabriel Lopes formam o projeto Aiê, uma colaboração multicultural onde a música é uma espécie de portal para o contacto com o espírito e força maior para a invenção de novos mundos. Edgar, de Portugal, percorre o movimento que vai da nova música popular portuguesa até às explosões do funk e do afrobeat. Luiz Gabriel, do Brasil, carrega na voz e nas cordas do violão a rítmica ensolarada dos trópicos e o sincretismo latino-americano.
Local: Casa da Música
Data: 18 de setembro
Hora: 21h30

Chico Bastos e as Ressonâncias do Violão Tenor | Super Bock Unlock
O projeto do multi-instrumentista e compositor Chico Bastos parte da sonoridade ímpar do violão tenor e da importância dos seus compositores para a cultura brasileira, procurando valorizar e difundir este instrumento. Entre as composições de Chico Bastos destacam-se os choros “Toco de Gente”, “Doutora”, “Pra Ela”, “Tô Chegando” e, em parceria com o músico Zé Lopes, “Frevo do Zé”.
Local: Casa da Música
Data: 19 de setembro
Hora: 22h00

Mulheres Incomuns | Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música
Premiada nos Concursos de Direcção Princess Astrid e Jorma Panula, a maestrina suíça Elena Schwarz estreia-se à frente da Orquestra Sinfónica num programa que apresenta algumas das principais compositoras desde o século XIX até à atualidade. De França chega-nos a música da virtuosa pianista Louise Farrenc, da vencedora do Prix de Rome Lili Boulanger e da integrante do famoso grupo Les Six, Germaine Tailleferre. O Concerto para piano e orquestra de Clara Schumann, figura lendária do Romantismo alemão, chega-nos pelas mãos da versátil pianista Claire Huangci, que se lançou rapidamente numa carreira internacional após vencer o Concurso Genza Anda. A música da norte-americana Joan Tower encerra o concerto numa homenagem às mulheres aventureiras.
Local: Casa da Música
Data: 20 de setembro
Hora: 21h00

Exposições
E Contudo, Elas Movem-se! Mulheres e Ciência

A exposição pretende assinalar contributos das mulheres na área das Ciências, destacando o seu pioneirismo e sublinhando os obstáculos que elas tiveram de ultrapassar para serem admitidas e (re)conhecidas no contexto académico e/ou profissional, sobretudo num espaço tradicionalmente reservado aos homens.
Local: arcadas da Reitoria da Universidade do Porto
Data: Até 29 de outubro

PRINCE: as never seen before
A exposição contempla mais de 50 fotografias raras e inéditas da autoria do antigo diretor artístico de Prince, Steve Parke.
Local: ArrábidaShopping (Vila Nova de Gaia)
Osiris Entre Mulheres
Local: Galeria Vieira Portuense
Data: De 14 de setembro até 5 de outubro
Hora: Inauguração às 16h. Pode ser visitada segunda-feira das 14h às 19h e de terça-feira a sábados das 9h30 às 12h30 e das 14h às 19h.

Mercados
Urban Market

“Urban Market by Portugal Lovers” é um conceito de mercado urbano que surgiu em 2012 com o objetivo de promover e valorizar espaços da cidade e “ levar para a rua” marcas, artistas, projetos de autor – nas áreas do design de produto, design de moda, ilustração, joalharia, gourmet & drink, street food – músicos, hairstylist, entre outros. A entrada é livre.
Local: Hard Club
Data: De 13 a 15 de setembro
Hora: Das 11h00 às 19h00

Mercadinho Português
Com produtos gourmet, peças de autor, artesanato urbano e artes decorativas e manuais, este evento é também um espaço de lazer onde se procura criar um ambiente em que participantes e visitantes possam conviver e partilhar experiências.
Local: Centro Comercial de Valongo
Data: 14 e 15 de setembro
Hora: Sábado das 9h00 às 23h00 e domingo das 9h00 às 22h00

portobelo

Mercado Porto Belo
Baseado no famoso Portobello londrino, o Mercado Porto Belo reúne discos de vinil, ilustrações, cadernos e livros, cosméticos naturais, bijutaria, mel e massa fresca, chás e ervas aromáticas, cerâmicas, brinquedos de madeira ou artigos de decoração. A entrada é livre.
Local: Praça de Carlos Alberto
Data: 14 de setembro
Hora: Das 10h00 às 18h00

Desporto ao ar livre
Dias com Energia

O programa municipal Dias com Energia realiza-se, ao sábado, nos Jardins do Palácio de Cristal, contemplando aulas de pilates (9h00), ioga (10h00) e tai chi (11h00).
Como já é habitual, o Dias com Energia estende-se agora aos domingos ao Parque da Cidade do Porto. Há aulas de tai chi (09h30, junto ao viaduto do Edifício Transparente) e depois, às 11h00, método De Rose (à beira do Pavilhão da Água).
A participação nas aulas é livre, aberta a todas as idades e níveis de experiência. É aconselhável trazer roupa e calçado confortável, bem como o uso de um colchão desportivo pessoal. O projeto desportivo Dias com Energia visa promover a prática de exercício físico e a adoção de um estilo de vida saudável.

Volta ao Comércio Tradicional de Matosinhos
Trata-se de uma iniciativa que combina a modalidade desportiva de Orientação com o conceito de passeio: passeio pelo comércio tradicional e passeio turístico. Tendo como ponto de partida o Mercado Municipal de Matosinhos, um dos mais emblemáticos espaços de comércio tradicional do município, estes percursos, acompanhados pelos monitores do Grupo Desportivo 4 Caminhos, vão desafiar o público a descobrir pontos de interesse relacionados com a história e o comércio tradicional instalados em Brito Capelo e ruas envolventes, levando também à descoberta dos vários pontos de interesse cultural, turístico e comercial.
E são muitas as artes, os ofícios e as histórias que há para descobrir nesta volta ao comércio tradicional. A atividade realiza-se este sábado, 14 de setembro, entre as 10h00 e as 13h00, e a participação é gratuita, carecendo, apenas, de inscrição prévia (https://www.scale2go.com/activities/35753/). O local de concentração, partida e chegada será no Mercado Municipal de Matosinhos.

Orientação na Baixa do Porto
Durante este mês, a Câmara Municipal do Porto promove várias atividades desportivas na baixa da cidade e a “orientação” foi uma das modalidades escolhidas. A realizar este domingo, 15 de setembro, entre as 10h00 e as 13h00, o conceito é um percurso de orientação turístico, com passagem por alguns monumentos emblemáticos da cidade ou locais de interesse turístico.
Será utilizado o mapa de Orientação do Porto Património Mundial e sistema de controlo manual com alicate e cartão em papel. Nos pontos de controlo existirá uma baliza em miniatura e um alicate. Vão ser utilizados como posto de controlo os remos colocados junto aos monumentos. Os códigos dos pontos de controlo serão os mesmos que estão inscritos nos referidos remos.
A participação é gratuita e haverá a possibilidade de acompanhamento por monitores da organização. O local de concentração, partida e chegada será no Jardim da Cordoaria.

Teatro
A Cara da Morte estava Viva

“Quando voltou do outro lado – depois de estar internado num hospital meses a fio – Cazuza avisou: Eu vi a cara da morte e ela estava viva. Cazuza é uma das vozes da geração perdida na grande epidemia de HIV dos anos 80. Uma geração que nunca chegou a envelhecer, confrontada com a sua própria finitude desde o fim da adolescência, cujo modo de vida foi apontado como razão e raiz de uma doença que a dizimou – e dizima ainda. A Cara da Morte Estava Viva é um projeto antigo de João Miguel Mota, que procura sentidos e lugares em corpos queer. Partindo da música de Cazuza – que acompanha o ator há já muitos anos – e passando por autores queer cujas obras evocam a luta contra o tempo que corre e o corpo resistente ao seu próprio fim, o espetáculo parte de acontecimentos e memórias que se cruzam com outros autores, procurando na música o espaço de existência e expressão.”
Local: Teatro Municipal de Matosinhos- Constantino Nery
Data: 13 e 14 de setembro
Hora: 21h30

Foto: João Tuna

A Morte de Danton
“Este relógio não tem descanso?”, pergunta Danton, o tempo acelera, a História parece começar violentamente de novo, é esse o sentido primeiro de “revolução”, enfrentar o problema do começo. “A Morte de Danton” (1835) mergulha-nos no caos poético e sangrento da Revolução Francesa, mas esta peça é também ela revolucionária. Georg Büchner opera uma feroz fragmentação da forma teatral tradicional, lançando cenas curtas e longas, agitadas e meditativas num entrechocado fluxo narrativo que antecipa a montagem cinematográfica. É com ela que Nuno Cardoso inaugura uma nova temporada, a primeira enquanto diretor artístico do TNSJ. Através dela, o encenador vê um corpo social em permanente estado de convulsão e decomposição, uma irrefreável orgia de carne humana. Mas as ruas de Paris, em 1789, são as mesmas por onde corre agora a revolta dos Coletes Amarelos. Ruas que desaguam nas margens do Mediterrâneo ou do Rio Grande, no regresso dos muros, na potência do ódio, no avanço dos populismos. “Tão maus os tempos que correm. Quem poderá fugir-lhes?” Como pensar o tempo revolucionário neste tempo sem esperança em que vivemos? “A Morte de Danton” não deixou nunca de nos confrontar com perguntas difíceis, terríveis. “Que importa se é de uma epidemia que se morre ou de uma revolução?” “Até quando continuará a humanidade a devorar o seu próprio corpo?” “Este relógio não tem descanso?”
Local: Teatro Nacional São João (TNSJ)
Data: 18 a 29 setembro
Hora: dia 18, às 21h | quarta e sábado às 19h, quinta e sexta às 21h, e domingo às 16h

Mais Novos
Grilis em Paris | Primeiras Oficinas

A trupe de grilos cantantes continua a acompanhar os mais pequenos nesta aventura em Paris. Grilis, o Grilo Feliz, tem no seu primo Jean-Philippe Galan (ou Grilan, o Grilo Galã) o cicerone de uma viagem pela cultura francesa, com vista para alguns dos ícones de Paris (Torre Eiffel, Palácio de Versalhes, Arco do Triunfo, Museu do Louvre) e direito a aulas de etiqueta e degustação de música gourmet. Pais e bebés, em animada interacção, desenvolvem a cultura geral, afinam as vozes e trabalham aspectos como a psicomotricidade ou a noção de tempo.
Local: Casa da Música
Data: 15 de setembro
Hora: 10h30, 11h45 e 15h00

Cinekids: Sessão Cinema Infantil
As sessões kids são destinadas a crianças dos três aos 12 anos, que deverão estar acompanhados de, pelo menos, um adulto. Os interessados, que poderão utilizar um voucher por semana, devem realizar a reserva dos bilhetes com antecedência, através do formulário no site do Mira Maia Shopping. Com entrada gratuita, o programa terá, este domingo, em exibição o filme “Small Foot”.
Local: Mira Maia Shopping
Data: 15 de setembro
Hora: 11h00

Dominguinhos | Ateliê de Pintura: Sobreposições
Elaboração de um desenho livre e abstrato a pastel de óleo, onde posteriormente será colado o recorte de um animal criado com recurso a diferentes padrões de papel. O objetivo é criar uma tela com diferentes técnicas.
Local: Piso 0 do Mar Shopping Matosinhos
Data: 15 de setembro
Hora: Entre as 11h00 e as 12h30

Cinema
Estreias

O Pintassilgo
Título original: The Goldfinch
De: John Crowley
Com: Ansel Elgort, Nicole Kidman, Sarah Paulson
Género: Drama
Classificação: M14
Outros dados: 150 minutos
Adaptação cinematográfica do mundialmente aclamado best-seller de Donna Tartt, vencedor do Prémio Pulitzer em 2014. Realizado pelo vencedor do prémio BAFTA, John Crowley (“Brooklyn”), o filme apresenta um elenco multigeracional liderado por Ansel Elgort (“Baby Driver – Alta Velocidade”) que protagoniza Theo Decker e pela vencedora de um Óscar Nicole Kidman (“As Horas”, “Big Little Lies”) que faz de Sra Barbour. Theodore “Theo” Decker tinha 13 anos quando a mãe foi morta num atentado no Metropolitan Museum of Art. A tragédia muda o curso da sua vida, lançando-o numa odisseia de tristeza e culpa, reinvenção e redenção, e até mesmo amor. Apesar de tudo ele agarra-se a um pedaço tangível de esperança daquele dia terrível… uma pintura de um passarinho acorrentado ao seu poleiro. O Pintassilgo.

Os Sete Anões e os Sapatos Mágicos
Título original: Red Shoes And The Seven Dwarfs
De: Sung Ho Hong
Com: Sara Carreira, Fernando Daniel
Género: Animação
Classificação: M6
Outros dados: 92 minutos
Os SD (Os Sete Destemidos) são os sete príncipes mais belos e populares do Reino dos Contos de Fadas. Mas são também egocêntricos e arrogantes e, por causa disso, são amaldiçoados e transformados em pequenos anões verdes. Este feitiço só poderá ser revertido pelo beijo da mulher mais bela do reino. Determinados a recuperarem a sua beleza, os sete vão partir em busca da mulher mais bela e, no caminho, cruzam-se com a candidata ideal: uma jovem donzela chamada Branca de Neve, cujos sapatos mágicos (dos quais ela nunca se separa), parecem esconder um segredo. Juntos, os Sete Anões e a Branca de Neve terão de proteger os sapatos mágicos e a Ilha dos Contos de Fadas, mas no caminho irão descobrir o verdadeiro significado da palavra beleza e aprender a celebrar quem realmente são, independentemente do seu aspeto exterior.

O Terramoto
Título original: The Quake
De: John Andreas Andersen
Com: Kristoffer Joner, Ane Dahl Torp, Jonas Hoff Oftebro, Edith Haagenrud-Sande, Kathrine Thorborg Johansen, Fredrik Skavlan, Stig R. Amdam, Catrin Sagen
Género: Drama, Ação, Thriller
Classificação: M12
Outros dados: 106 minutos
Em 1904, um terramoto de magnitude 5.4 na escala de Richter sacudiu a cidade de Oslo. O epicentro teve lugar numa falha geológica que atravessa a capital norueguesa. Diariamente são registados sismos com base nesta falha e, apesar de os cientistas não terem a certeza, existem indícios de que são de esperar fortes abalos de terra nesta zona. Quando, ninguém sabe. Mas sabemos que a densidade populacional e as infraestruturas tornam Oslo significativamente mais vulnerável hoje do que em 1904…

Onde Estás, Bernadette?
Título original: Where’d You Go, Bernadette
De: Richard Linklater
Com: Cate Blanchett, Emma Nelson, Billy Crudup, Kristen Wiig, Judy Greer, Laurence Fishburne, Troian Bellisario, Jóhannes Haukur Jóhannesson, James Urbaniak, Claudia Doumit
Género: Comédia, Drama
Classificação: N/D
Outros dados: 140 minutos
Baseado no bestseller sobre Bernadette Fox, uma arquiteta de Seattle que desaparece de forma inexplicável. O marido e a filha iniciam então uma empolgante aventura para resolver o mistério.

Livros
A Outra Margem do Mar

De António Lobo Antunes
“A Outra Margem do Mar” recupera o início da sublevação na Baixa do Cassanje, em Angola. O romance recai, assim, nos incidentes ocorridos antes da guerra colonial, quando grandes plantações de algodão começaram a ser incendiadas, acontecimentos que foram fulcrais para o desenrolar do conflito.

Eu, Maria das Dores, me Confesso
De Maria das Dores
Maria das Dores mandou matar o marido e foi condenada a 23 anos de prisão, num dos julgamentos mais mediáticos que Portugal já conheceu. O crime tinha todos os ingredientes para suscitar interesse: paixão, ódio, dinheiro e um desenlace macabro. A imprensa batizou-a como a ‘socialite’ que mandou matar o marido para cobrar o seguro de vida. Mas ela nunca confessou o crime. Durante o julgamento, declarou-se inocente e culpou o motorista e o amigo de serem os únicos responsáveis pelo assassinato de Paulo Pereira da Cruz. Apesar de condenada, e ao longo de anos, Maria das Dores continuou a negar o seu envolvimento.
Está presa há 12 anos no Estabelecimento Prisional de Tires, no qual teve de aprender a conviver com outras reclusas, sem mordomias, numa cela partilhada, que compara a uma caixa fechada onde se respira mal. Uma caixa sem liberdade, nem os luxos a que estava habituada. Na prisão, não pode comer sushi, usar alta cosmética ou vestir roupa de marca. Longe estão os dias em que Maria das Dores era capaz de gastar mil dólares num dos melhores cabeleireiros de Nova Iorque.

As Gémeas de Auschwitz
De Eva Mozes Kor
As portas do vagão abriram-se pela primeira vez em muitos dias e a luz do dia brilhou sobre nós. Agarrei bem a mão da minha irmã gémea quando nos empurraram para a plataforma.
– Auschwitz? É Auschwitz? Que sítio é este?
– Estamos na Alemanha – foi a resposta.
Na verdade, estávamos na Polónia, mas os Alemães tinham invadido a Polónia. Era na Polónia alemã que se situavam todos os campos de extermínio.
Os cães rosnavam e ladravam. As pessoas do vagão começaram a chorar, a berrar, a gritar todas ao mesmo tempo; todos procuravam os seus familiares à medida que eram afastados uns dos outros. Separavam homens de mulheres, filhos de pais.
Um guarda que ia a passar a correr parou bruscamente à nossa frente. Olhou para Miriam e para mim nas nossas roupas a condizer: «Gémeas! Gémeas!», exclamou. Sem dizer uma palavra, agarrou em nós e separou-nos da nossa mãe. Miriam e eu gritámos e chorámos, suplicámos, as nossas vozes perdidas entre o caos, o barulho e o desespero, tentando chegar à nossa mãe, que, por sua vez, tentava seguir-nos, de braços estendidos, com outro guarda a retê-la.
Miriam e eu tínhamos sido escolhidas. De repente, estávamos sozinhas. Tínhamos apenas dez anos. E nunca mais voltámos a ver nem o nosso pai nem a nossa mãe.

As Classes Médias em Portugal
De João Teixeira Lopes, Francisco Louçã e Lígia Ferro
Neste complemento e contraponto dos dois livros anteriores, os autores procuram elucidar o leitor sobre a história de um grupo social que vive hoje uma enorme compressão, respondendo à questão «quem são e como vivem as classes médias?». Sustentando a sua interpretação através da análise de discurso, de relatos biográficos e estatísticas, os três professores universitários relatam a evolução desta classe, que deve o seu desenvolvimento à inovação tecnológica, à necessidade de funções ligadas à gestão, à ampliação dos serviços públicos e à emergência das indústrias culturais e criativas – mostrando como estas mudanças exigiram a presença de trabalhadores especializados, especialmente após a Segunda Guerra Mundial. Face a esta tão acelerada expansão, os autores observam que grandes clivagens internas desde cedo se formaram na classe média – devido às diferenciações de rendimento e de estatuto –, as quais hoje se podem ler no seu papel articulador da estrutura social e na polarização que a divide: a de cima projetada na burguesia, e a de baixo espremida contra as classes populares.

Viva! no Instagram. Siga-nos.