PD - revista Sabe Bem

TNSJ celebra Dia Mundial do Teatro com visita e récita online de ‘Castro’

TNSJ celebra Dia Mundial do Teatro com visita e récita online de 'Castro'

“Grã remédio é ter o espírito armado à má fortuna”. Assim escreveu o poeta António Ferreira, em Castro, e assim se reveste o espírito do Teatro Nacional São João (TNSJ) que, no ano em que assinala o Centenário do seu edifício, vai levar a sua essência até à casa de cada um.

Para assinalar o Dia Mundial do Teatro, que se celebra na sexta-feira, 27 de março, o TNSJ preparou um programa virtual que pode ser acompanhado no seu site e redes sociais Facebook e Instagram até sábado, dia 28 de março.

Dia Mundial de Teatro com visita guiada online e apresentação de Castro

Às 18h00 de sexta-feira, o TNSJ abre as suas portas para dar início a uma visita guiada online muito particular. A partir de casa, os “visitantes” vão ter a oportunidade de conhecer este Monumento Nacional, através daqueles que o estudaram, reabilitaram, dirigiram ou que já pisaram o seu palco. A “viagem” será conduzida por nomes como Luís Soares Carneiro, João Reis, Emília Silvestre ou António Durães, numa edição do realizador Luís Porto.

Pelas 22h00, Castro, a tragédia renascentista portuguesa que relata o drama histórico (ou lendário) do amor vivido entre Pedro e Inês, e que era suposto o TNSJ ter na sua sala a partir deste dia, será apresentada online. Encenada pelo diretor artístico do TNSJ, Nuno Cardoso, o espetáculo “reveste-se de uma modernidade e de uma densidade intrínsecas, veladas pela poesia da linguagem e pela elocução”.

A partilha da palavra e das memórias

As celebrações do dia dedicado ao Teatro, que começaram já na segunda-feira, incluem a partilha, nas redes sociais do TNSJ, de memórias dos espectadores do São João que integram o “Elogio do Espectador”, o primeiro volume dos “Cadernos do Centenário”. Até sábado serão disponibilizadas diariamente, em formato ebook de download gratuito no site do TNSJ, as quatro peças de Alfred Jarry – Rei UbuUbu AgrilhoadoUbu Cornudo e Ubu no Outeiro – que compõem Ubu, livro com tradução de Luísa Costa Gomes e edição TNSJ/Húmus.

Simultaneamente, o TNSJ vai também partilhar um conjunto alargado dos seus manuais de leitura, espécie de programas de sala “vitaminados”, que reúnem textos críticos sobre as peças e os seus autores, entrevistas com encenadores ou notas sobre os ensaios dos espetáculos. Descritos pelo ensaísta António M. Feijó como “quase monografias sobre as peças”, os manuais de leitura vêm documentando as produções próprias do TNSJ desde 2003.

Foto: TUNA

PUB
Pingo Doce Sabe Bem

Viva! no Instagram. Siga-nos.